Compartilhe

O meu último texto deu muito pano para manga e abriu discussões interessantes tanto por aqui como pelo Facebook. A minha amiga Aileen Nakamura do canal Aprendendo Coreano fez comentários sobre a questão da beleza dos K-idols e de como isso acaba gerando confusão nos fãs, fazendo eles acharem que todo o resto da população coreana seria parecida com eles. Realmente, esse é um ponto relevante e apenas para exercício, basta olhar o público que aparece nos programas de auditório. São pessoas comuns, de belezas comuns (e não por isso menos belas), assim como as pessoas no dia a dia em São Paulo ou qualquer outra cidade do Brasil.

O grande problema é que essa estandardização da beleza gera muitos problemas sociais. A busca da “perfeição” faz com ocorra uma situação onde se faz qualquer coisa para alcançar esse objetivo. E mais uma vez, fico surpreso de ver tanta “gente de fora” falando sem contextualizar os fatos, como se todos fossem especialistas no assunto. Claro, preconceito sempre será preconceito, bullying sempre será bullying e o que é errado sempre será errado, mas por exemplo, lembro de ter entrado numa discussão sobre o peso médio da população coreana e praticamente fui linchado quando disse que não é possível analisar friamente a questão do sobrepeso na Coreia, como fazemos no Brasil.

O fato é que realmente, a cultura da beleza é muito grande na Coreia. Na minha última viagem para Seul em 2015, após uns cinco anos sem visitá-la, lembro de ter me espantado com o número de clínicas de cirurgia plástica nas ruas e com o número de propagandas delas dentro das estações de metrô. Mesmo um primo meu que é médico dermatologista havia aberto uma clínica em Gangnam (local super valorizado em Seul), bem atrás do Galleria Mall e me me deixou surpreso quando me contou sobre o boom recente no mundo da estética por lá. Falamos também sobre o quanto os K-idols influenciam essa tendência, o que é fato.

Eis mais um vídeo interessante do canal Asian Boss antes da gente continuar com o assunto. Desculpem, legendas apenas em inglês:

Pois bem, vou falar estritamente do ponto de vista pessoal. Eu acredito que há uma busca irracional da beleza por boa parte da população coreana, isso é fato. Muitos estudantes coreanos, por exemplo, pedem aos pais de presente uma blefaroplastia (operação para fazer dobrinhas nos olhos) ao entrarem na faculdade, pois isso melhoraria as chances de sucesso na vida. Quando se faz um currículo na Coreia, é praxe colocar fotos nele. Mas então, os coreanos são mais ou menos “fanáticos” pela beleza que por exemplo, os brasileiros? Não, não acredito nisso e explico a seguir.

Acredito que o brasileiro tenha tanta sede pela beleza quanto os coreanos. A diferença seria somente no poder aquisitivo da população. Se os brasileiros tivessem condições financeiras parecidas com a dos coreanos, certamente teríamos (muito) mais cirurgias plásticas por aqui também. Além, claro, do fato de que a beleza tem significados diferentes nos dois lugares: se lá o objeto de desejo é a tal dobrinha no olho, por aqui é o aumento dos seios, por exemplo. Pois é, ninguém nunca está contente com o que tem.

Agora, o que acho extremamente desagradável é quando julgam toda a população de um lugar por causa de uma parte dele. O fato de parte dos coreanos buscarem a cirurgia plástica não quer dizer que toda a população coreana seja assim ou assado. Normalmente vejo julgamentos desnecessários baseados em subjetividades e sem contextualização alguma, como ocorre por exemplo quando aparece gente falando “credo, os coreanos comem cachorro” ou “os coreanos são tarados, convidam as amigas para ir no motel a toda hora”. É uma preguiça de entrar em discussões desnecessárias com pessoas que não conhecem a Coreia como ela é e ficam com achismos ou então, julgam com a sua lupa sem se atentar às diferenças culturais …

Da minha parte, não gosto dessa “corrida pela perfeição”, mas aí teria que reclamar até da maquiagem que a minha esposa usa, não? O que eu acredito é que o importante é que cada um seja feliz do seu jeito. E você, o que acha?

 


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




2 Comentários

  1. Acho que você está certíssimo, todo país tem culturas que influenciam seu povo, aqui no Brasil as crianças são influenciadas pelo futebol, carnaval, serem artistas e tal…Mas nem todo ser humano é influenciável, a maioria segue com seus planos e vidas independentes do que a sociedade aprova ou desaprova. Temos países, asiáticos na maioria, que influenciam muito mais a educação do que a beleza. Mas vale ter uma boa educação e carreira do que se enquadrar em modelos de estética imposto por uma minoria. Mas no geral todos nós queremos de alguma forma melhorar fisicamente algo, seja perder peso, mudar o cabelo, usar Maquiagem ou ganhar músculose, muitos só não mudam por falta de recurso financeiro.

  2. Acredito que quando queremos conhecer algo ou lugares, temos que ter uma mente sensata não é o fato de minha cultura ser diferente da outra que me dá direitos de ditar o que é certo ou errado. O fato é que não precisamos mudar nosso valores ou nosso modo de pensar más não devemos exigir isso de ninguém. Eu sou apreciadora do modo de vida asiático, sua educação, costumes e culinária me trazem espanto, curiosidade e admiração. A coisas que não vou entender, entretanto, não ferem minha consciência. Pra mim, o melhor é aproveitar as diversidades e aprender com elas.

DEIXE UM COMENTÁRIO