Compartilhe

A Coreia é uma das nações mais surpreendentes do mundo – tanto que, para a maioria dos ocidentais, a terra da Calma Manhã pode parecer muito diferente do que eles estão acostumados em seu dia a dia. Aqui apresentaremos alguns dos fatos mais peculiares sobre a Coreia do Sul.

1. Existem 250 tipos diferentes de Kimchi

Os coreanos levam o kimchi muito a sério. É um alimento básico na dieta coreana, ele sempre é aguardado antes de se fazer uma refeição. E se você acha que conhece o kimchi, pense duas vezes. Existem 250 tipos de kimchi, os mais populares são: kimchi de repolho (paechu kimchi), kimchi de rabanete (kakktugi), kimchi de pepino (oi kimchi) e kimchi de água.

KIMCHI

2. Os coreanos comem sopa de algas marinhas em seus aniversários

Pode parecer uma maneira conservadora e divertida de celebrar o aniversário, porém a sopa de algas marinhas tem um significado mais profundo: lembrar as crianças da dor do parto e apreciar o cuidado dado a eles pela mãe.

3. Os coreanos não fazem ‘festa de 15 anos’

Mas eles celebram o primeiro aniversário de uma pessoa da maneira mais festiva. O bebê aniversariante usa um hanbok, a roupa tradicional da Coreia acompanhada por um chapéu. Não há bolo de aniversário, mas uma mesa cheia de comida tradicional para a ocasião, incluindo a sopa de algas marinhas, frutas, panjeon (panquecas coreanas) e bolos de arroz.

KOREAN BABY

Se você for convidado para tal evento, não vá pela comida, eles convidam à um propósito mais sério do que apenas alimentar os convidados – o de ajudar a determinar o futuro do bebê.

Os pais colocam vários objetos na mesa e deixam a criança escolher o seu favorito. Por exemplo, se a criança pegar um pincel ou livro, ele/ela está destinado a ser inteligente; Se pegar dinheiro ele/ela será rico; Se pegar comida, significa que não terá fome. Se a criança pegar o fio, acredita-se que ele/ela vai viver uma longa vida.

4. O adultério era ilegal até algum tempo atrás

Durante 62 anos, os coreanos casados enfrentavam até dois anos de prisão se tivessem casos extraconjugais ou envolvimento com uma pessoa casada. O raciocínio na época era proteger as mulheres e a boa moral, mas um júri eventualmente revogou a lei. Cerca de 53 mil sul-coreanos foram acusados por esta lei, desde 1985.

5. Coreanos animam estudantes do ensino médio que realizam o exame nacional dando-lhes doces

Fazer o “sooneung”, o exame de entrada da universidade coreana (tipo o ENEM brasileiro) é uma grande preocupação na Coreia, não é exagerado dizer que a vida da família gira em torno disso. Os pais colocam seus filhos em cursos desde uma idade muito precoce e dedicam cerca de 10% do orçamento para garantir que seus filhos tenham grandes chances  de sucesso.

ENEM

As mães até vão ao templo para rezar pela pontuação de seus filhos – então, se você pensar bem, é muita pressão colocada em adolescentes de 18 anos. Como resultado, no dia em que fazem o teste, uma multidão de torcedores, normalmente familiares e amigos, se reuninem às portas dos colégios que realizam os exames entregam doces para os jovens com intuito de desejar boa sorte.

6. Os coreanos acreditam na influência dos tipos de sangue nas personalidades

É comum que os coreanos perguntem qual é o seu tipo sanguíneo. Isso serve para dar uma indicação de sua personalidade e pode ajudar a determinar níveis de compatibilidade. Todos os tipos possuem pontos fortes e fracos, mas o tipo B geralmente é considerado o menos desejável entre eles. Os coreanos são bastante supersticiosos, mas esse costume pode ser comparado ao fascínio dos ocidentais pela astrologia.

7. Metade da população possui sobrenomes idênticos

O relatório oficial do Escritório Nacional de Estatística, revelou que, entre um total de 275 sobrenomes, 44 foram relatados por pertencerem à menos de 100 pessoas.

Sendo assim: 8.780.000 eram de sobrenome de Kim, 5.980.000 de Lee (Yi/Rhee), 3.400.000 de Park, 1.910.000 de Choi e 1.780.000 de Chung (ou Jung). Dados de 1985

8. Pessoas com o mesmo sobrenome não podem se casar

A lei contra matrimônio entre pessoas com mesmo sobrenome vem desde à era Joseon e está enraizada no princípio da “pureza de parentesco”, que ainda existe na Coreia. Por causa do número limitado de clãs, ter o mesmo sobrenome não se refere apenas a um mesmo sobrenome, mas sim a uma raiz familiar implícita.

9. Saúde e tradição são as razões pelas quais os coreanos tiram seus sapatos ao entrarem em casa

Sendo também uma questão de etiqueta. No entanto, no início, havia uma lógica muito prática por trás disso: as pessoas acreditavam que caminhar com os pés descalços era benéfico para a saúde. Estar descalço permite que seus pontos de pressão sejam estimulados – esse é o mesmo princípio da reflexologia, que argumenta que o pé se conecta a todas as áreas do seu corpo.

SHOES

No entanto, quando confinados aos sapatos durante o dia inteiro, seus pés não podem respirar, esticar e tatear – andar com os pés descalços é a melhor maneira de fazer isso.

Além disso, as casas coreanas foram tradicionalmente criadas a cerca de 2 pés do chão para ventilação e ficando acima da terra úmida e fria. Era costume remover seus sapatos na entrada e ficar com apenas suas meias nos pés.

10. No entanto, você nunca terá pés frios em uma casa coreana

As casas coreanas são provavelmente as mais eficientes do mundo. Na verdade, casas coreanas são projetadas para a eficiência: eles usam um sistema de aquecimento no piso. Tradicionalmente, o sistema de aquecimento tinha uma finalidade dupla: manter a família aquecida e cozinhar.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




DEIXE UM COMENTÁRIO