Compartilhe

As esculturas do Haetae, criatura lendária do folclore coreano, podem ser vistas em vários pontos da capital, Seul, perto de marcos históricos e outros lugares de grande importância como o edifício da Assembleia Nacional.

Em forma de leão com um chifre em sua testa, o animal imaginário da mitologia coreana é conhecido como um guardião que combate incêndios e desastres. A história motivou arquitetos criativos a construírem um certo número dessas esculturas pela cidade.

Haetae, criatura mitológica na entrada do Palácio Gyeongbokgung. (Foto: Kobiz Media)
Haetae, criatura mitológica na entrada do Palácio Gyeongbokgung. (Foto: Kobiz Media)

A influência e a simpatia pelo Haetae têm sido refletidas na sociedade coreana. Há um time profissional de beisebol e uma companhia alimentícia, que levam o nome do animal imaginário. O Haetae também foi consagrado como ícone símbolo da capital sul coreana em 2008.

O projeto de um novo parque de diversões, que tem como tema o Haetae, localizado na cidade de Shinan, província de Jeolla do Sul, é o projeto mais recente originado pela influência da popularidade da criatura mítica.

No mês passado, funcionários do município participaram da cerimônia de lançamento do projeto de construção. Com custo de 5 bilhões de wons, o porque terá uma série de estruturas construídas. Estão inclusas a construção de uma sala de exposições e um café. Também está prevista a construção de estátuas, tudo relacionado ao Haetae.

O Haetae também é conhecido como o animal mítico que distingue o certo do errado. Também é associado a justiça e ao direito.

Com todas essas qualidades, e histórias interessantes, foram feitos esforços para a restauração do par de esculturas do Haetae localizadas próximo ao Portão Gwanghwamun, em Novembro passado.

Esculturas do Haetae estão localizadas em vários pontos da capital Seul. (Foto: Kobiz Media)
Esculturas do Haetae estão localizadas em vários pontos da capital Seul. (Foto: Kobiz Media)

O Governo Metropolitano de Seul e o Ministério de Terras, Infraestrutura e Transportes, anunciaram que o Ministério de Estratégias e Finanças examinará a proposta de Seul e decidirá se financia ou não o projeto de restauração.

Enquanto os funcionários do Ministério da Infraestrutura acreditam que ainda é cedo para afirmar se o mais novo projeto urbano de Seul seguirá como proposto, especialistas em restauração histórica têm argumentado há meses em favor da restauração das antigas esculturas do Haetae na atual Praça Gwanghwamun.

No final da Praça Gwanghwamun, ficavam o par de esculturas do Haetae, localizados próximo a plataforma tradicional chamada de ‘Waldae’, que separa a entrada entre o Palácio Gwanghwamun e a praça.

Não é a primeira vez que funcionários do governo discutem sobre as esculturas do Haetae localizadas em Gwanghwamun. Em 2008, o par de esculturas foi movido de suas posições originais meses antes de serem deslocadas para fins de renovação.

Quando estas notícias saíram, especialistas em Feng Shui argumentaram que aconteceria uma série de incêndios durante o ano, incluindo o incêndio em Namdaeun, em 2008. Isso motivou os funcionários do governo a moverem as estátuas mais cedo que o planejado.

De qualquer forma, um funcionário da Administração do Patrimônio Cultural negou a declaração, alegando que o mito que o Haetae combate incêndios não é claro na literatura tradicional, em entrevista exclusiva para Segye Times.

Outro par de esculturas da criatura encontram-se em frente ao edifício da Assembleia Nacional, sendo um masculino e um feminino, cada um com aparência distinta.

Haetae à beira da atual Praça Gwanghwamun. (Foto: Yonhap)
Haetae à beira da atual Praça Gwanghwamun. (Foto: Yonhap)

De acordo com um memorando do oficial de justiça Sunwoo Jong-won, as esculturas do Haetae foram colocadas em local improvável por causa do escritor Park Jong-hwa, que era membro do comitê de pesquisa história na época.

Park supostamente disse aos funcionários envolvidos na construção do prédio da Assembleia Nacional que colocar as esculturas do Haetae perto do edifício ajudaria a combater incêndios, citando incidentes passados no Palácio Gyeongbokgung, onde a ocorrência de incêndios diminuiu depois que as esculturas da criatura foram construídas.

Em seu memorando, Sunwoo diz que Park conseguiu financiar o custo das duas esculturas do Haetae para o edifício da Assembleia Nacional depois de encontrar-se com o fundador da Haitai Confectionery & Foods, empresa de alimentos sul-coreana que tinha o mesmo nome da criatura imaginária.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




DEIXE UM COMENTÁRIO