Compartilhe

Daniel Dae Kim é amplamente creditado por ter quebrado barreiras para atores coreano-americanos em Hollywood. Desde a sua estreia em 1992, Daniel estrelou em séries populares, incluindo “Lost” e “Hawaii Five-0“, e foi franco em sua defesa da igualdade racial no setor de entretenimento americano.

Agora, ele está indo para a parte da produção, em particular de títulos coreanos nos EUA. No próximo mês, “The Good Doctor“, um remake do sucesso do drama da KBS do mesmo nome, escrito por Park Jae-bum, está programado para ir ao ar na ABC, segunda-feira à noite.

Na série original, o ator Joo Won é um cirurgião pediátrico com autismo e síndrome de savant. A série da ABC contará com Freddie Highmore como Shaun Murphy no papel. O show também tem um elenco multiétnico com Antonia Thomas, Nicholas Gonzalez, Chuku Modu e muitos mais.

Daniel disse que a produção lhe deu uma quantidade “surpreendente” de satisfação e liberdade recém-descoberta. “Como ator você só pode obter os papéis que você recebe. Como produtor, você pode criar um mundo desde o início e preenchê-lo com os tipos de pessoas que deseja ver, que refletem a realidade em torno de você“, disse ele ao The Korea Herald em entrevista no InterContinental Seoul Coex.

A nova versão foi feita por David Shore, o criador da popular série médica “House” da Fox e está programada para começar a ser transmitida em 25 de setembro.

Daniel Dae Kim em coletiva de imprensa no InterContinental Seoul Coex. Imagem: KOCCA.

Daniel tem esperança de que mais dramas coreanos de TV sejam readaptados para a televisão americana no futuro – sua empresa de produção 3AD tem vários projetos em andamento – mas diz que precisam ser ajustados para o sistema americano e o público.

Você não pode simplesmente confiar no romance. Para que um show tenha sucesso na América, você precisa de algo além de uma história de amor – um motor que possa continuar por várias temporadas talvez.”

Os dramas coreanos tendem a ser hiperfocados nas emoções intensas dos personagens, ele observou. “Lembro-me de assistir a ‘Winter Sonata‘. Havia um monte de ‘Eu te amo, mas não posso estar com você’.” Em dramas coreanos, (os personagens) sentem tudo 100%. Se eles estão apaixonados, eles estão profundamente apaixonados em todo o seu ser.

Essas coisas são, penso eu, únicas para a cultura coreana e o modo como (os coreanos) expressam (sentimentos). Esse é um dos perigos de tentar trazer um formato coreano para a América. Os relacionamentos são diferentes nos Estados Unidos. Coisas como divórcio e família são tratadas de forma diferente.

Independentemente do processo de adaptação para remakes, no entanto, Daniel sente que dramas coreanos originais “não devem mudar” e devem permanecer fiéis à sua identidade distintiva. “Assim é o personagem do K-drama.”

Daniel Dae Kim em coletiva de imprensa no InterContinental Seoul Coex. Imagem: KOCCA.

Daniel apontou que muitos atores asiáticos-americanos ficam “cansados de apenas esperar e esperar que alguém escreva” um papel multidimensional e completo para eles, então eles se aventuram no próprio processo criativo.

Recentemente, o ator coreano-americano Justin Chon, da série de filmes “Twilight“, escreveu e dirigiu o filme “Gook“, lançado nos EUA em 18 de agosto. O filme centra-se em dois irmãos coreano-americanos e um gerente que comanda uma loja de sapatos em Los Angeles quando algo acontece e mexe com seus negócios.

O filme foi convidado para o Sundance Film Festival este ano, juntamente com outras estrelas asiáticas, como o comediante coreano-americano David So, entre outros.

Daniel prevê que mais desses movimentos acontecerão. Ele também acredita que uma transição gradual para a igualdade racial está ocorrendo em Hollywood, embora possa parecer lenta para muitos. “Eu acho que está mudando. Nós estamos tendo papéis para homens asiáticos, onde eles são sexy e engraçados… Mas é ridículo que ainda tenhamos que enfrentar esses obstáculos.”


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




DEIXE UM COMENTÁRIO