Compartilhe

Você provavelmente já ouviu falar do termo ‘show con’, ele vem da junção de duas palavras: showcase, e concert, e foi o que a Starship Entertainment decidiu fazer para os meninos do Monsta X apresentarem o comeback do seu quinto mini-álbum, The Code. Diferente do Olympic Hall que tem a capacidade para 3.000 pessoas, onde o grupo apresentou o show de Seul da sua Primeira Turnê Mundial, o Show Con foi realizado ontem no Jangchung Arena, com a capacidade para 4.000 fãs acompanharem a performance das músicas do mini-álbum e lançamento do MV da faixa título, “Dramarama”.

Live no VApp
Live no VApp. (Hyungwon: “Eu sei que é aleatório, mas… eu amo todas as músicas do álbum.”)

Desde o dia 17 de Outubro o fandom do grupo, intitulado Monbebe, já vem bombardeando as redes sociais com a #Dramarama, depois que o grupo divulgou a agenda de lançamentos diários que fariam até o dia do Show Con e eventual comeback. A agenda consistia em teasers de fotos dos integrantes no conceito criado para o o mini álbum, três cenas do MV, a track list, um teaser do MV, uma prévia das faixas e um vídeo de spoiler de tudo que vem nas duas versões do álbum: o De:Code e o Terminal Protocol.

No meio disso tudo, os meninos ainda tiveram tempo de atender a pedidos dos fãs de lives no Vapp, comemorar o aniversário de um dos integrantes – que teve a #MinPuppyDay no top 10 do trend mundial do Twitter – e comparecer ao Dream Concert em Pyeongchang para as Olimpíadas. É muita dedicação, não é?

Versões De:Code e Terminal Protocol
Monsta X: Versões De:Code e Terminal Protocol

Ontem, o dia do Monsta X começou com o Show Con – infelizmente sem a presença de Shin Hoseok (Wonho) que foi hospitalizado por conta de uma gripe severa – na Jangchung Arena lotada de fãs, com as mondongies no ar, prontas para mais um comeback. E o grupo da Starship Entertainment não deixou a desejar!

Dramarama já começa surpreendendo por ser completamente diferente de tudo que o Monsta X já fez, com uma batida forte e os vocais alinhados de dar arrepio a qualquer um. Jooheon e I.M tem uma química incrível, e a presença de palco do rapper mais velho é de invejar artistas mais experientes. Ele consegue parecer muito maior do que realmente é, como se estivesse em todos os pontos ao mesmo tempo, e isso fica claro não somente em Dramarama. Em todas as músicas com mais foco no rap a sensação é de que tem pelo menos cinco Jooheons no palco.

A música ainda tem o vocal poderoso de Yoo Kihyun e seu alcance de notas altas fazendo contraste com o instrumental pesado, característico do grupo, que dessa vez trabalhou com produtores como Andreas Oberg e Drew Ryan Scott.

Houve também a performance da esperadíssima From Zero, música que não é novidade nenhuma para quem acompanhou a primeira turnê mundial do Monsta X. Antes apresentada apenas por Wonho e Hyungwon, ela agora ganhou uma versão com os sete integrantes, e entrou no álbum, para felicidade geral dos monbebe! Infelizmente, o mesmo não aconteceu com Mirror, quem sabe no próximo?

Para quem mora na Coreia, o show con começou às seis da tarde, para nós brasileiros, às sete da manhã.
A pergunta é: valeu a pena?

do fansite Be My Peterpan
do fansite Be My Peterpan

A opinião desta que vos escreve é que esse, sem a menor sombra de dúvida, é o comeback mais forte que o Monsta X já fez. O grupo vem trilhando um caminho muito característico e original desde o debut pós No.Mercy, entre dificuldades, pouca visibilidade, coreografias roubadas e tempo de exibição cortado.

Usando de honestidade, simpatia e principalmente de muito carisma e paciência, eles estão conquistando seu espaço. Sem ter conseguido nenhuma vitória (a aclamada First Win) em nenhum programa coreano de música,  ainda, mas com muito otimismo, é paupável a evolução dos integrantes: nos vocais, nas coreografias, nas produções, e sem a menor sombra de dúvida aquele ditado que diz que “o que é seu tá guardado” serve para eles como uma luva.

Esse ano, além de indicados para as categorias de Melhor Coreografia Masculina e Música do Ano com “Beautiful” no MAMA, na noite da premiação, Lee Minhyuk foi convidado a fazer uma apresentação solo.

Sobre The Code, podemos dizer que o Monsta X veio com força, mas tranquilos. Eles são consistentes, sabem qual caminho estão seguindo e para onde querem ir, são meninos que tem muito certo em suas cabeças o que estão fazendo, cheios de sonhos e projetos paralelos ao grupo, mas sem pressa. Eles ainda pretendem ficar na indústria por muito tempo, sem dramas.

Com quinze minutos de lançamento do MV, que tem uma produção cinematográfica, a #Dramarama já era primeiro lugar nos trends mundiais!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




DEIXE UM COMENTÁRIO