Compartilhe

O Drifterz Crew é uma equipe de b-boy fundada em 2003 em Seul, quando Bongs, Trickx e Saloot se juntaram ao grupo após ganhar uma competição importante na Coreia. Com o nome estabelecido, a equipe começou suas atividades formais, e a partir daí escreveria uma história incrível no mundo do break dance.

CREW CAPA

O Drifterz Crew começou a ser conhecido como a melhor equipe da Coreia ganhando muitas competições nacionais e internacionais. Em 2007, eles foram nomeados como embaixadores da Organização de Turismo da Coreia e celebraram contratos exclusivos com marcas de vestuário esportivo. Eles também têm atuado em vídeos musicais coreanos e estrangeiros, e peças de dança comercial principalmente em negócios de conteúdo de desempenho no exterior.

Em 2013 participaram do filme “Battle of B-Boy” e assinaram o contrato exclusivo com o Comitê de Patrimônio Cultural de Seul em 2015. Esse ano, como parte das celebrações da 12ª Feira de Cultura Coreana, o Drifterz Crew veio a São Paulo se apresentar, e um de seus membros fundadores – o Trickx – reservou parte de seu tempo para conversar exclusivamente com o KOREAPOST.

01

KOREAPOST: Vocês têm projetos educativos e sociais, você pode explicar sobre eles um pouco?

TRICKX: Nós fazemos várias atividades como apresentar o nosso trabalho voluntariamente para os deficientes, ou palestras em escolas primárias.

KP: Qual foi ou é passo mais difícil que você aprendeu ou está tentando aperfeiçoar? Um record pessoal que você queira quebrar.

TX: A minha filosofia de vida é tentar fazer tudo que eu quero antes de morrer, por isso quando começo algo eu vou até o fim. Quando entramos nessa dança é bem dificil de sair. De verdade, o break dance é mesmo difícil, então quando eu consigo atingir a meta me sinto muito feliz.

02

KP: Qual a sua motivação para continuar a dançar break?

TX: Eu danço pelo desafio, e eu ganho forças através dos gritos e incentivos do público.

KP: Você já se machucou dançando e, se sim, qual foi o mais grave? Alguém na equipe já teve algum caso grave de fratura?

TX: Eu tive que parar por um ano. Foi quando eu tinha uns 25 anos e estava treinando para participar de um concurso chamado KOD. Eu treinava muito, madrugava treinando, ensaiava as piruetas e me deu um problema nas pernas. Eu fui para a China, participei do concurso mundial, me apresentei, e por causa do problema que tive nas pernas, depois disso eu parei por um ano. Parei e depois eu retomei os treinos, foi a época que eu mais me machuquei.

03

KP: Houve uma evolução muito grande desde os anos 90 até agora no break e no hip hop, no que isso afetou a cena pro Drifterz Crew? Abriu espaços, teve alguma mudança?

TX: (A cena do breakdance) Melhorou muito de uns tempos para cá. Agora tem curso nas universidades – surgiram cursos de street dance, os alunos se interessam em aprender e estar desenvolvendo a dança educacionalmente. O grupo Drifterz Crew é filiado a Prefeitura de Seul e eles nos dão apoio educacional, na organização de eventos, ajudam no desenvolvimento da auto-suficiência, ajudam muito mesmo, com workshops, trabalhos, eventos etc. Acredito que isso ajudou na imagem e evolução do breakdance.

KP: Como você descreve a cena atual de b-boying na Coreia do Sul?

TX: Lentamente, não apenas na Coreia do Sul como também mundialmente, eu particularmente acho que a cena está perdendo a originalidade, com o passar do tempo. Ao meu ver, está se distanciando da dança que eu acreditava ser, mas de qualquer forma, acho que a tendência é que uma parte da originalidade volte. Eu vou continuar a fazer o que eu sei, quero mostrar a originalidade do breaking para o público, quero fazer o público despertar. Às vezes temos recaídas, e precisamos vencer isso, não dá pra continuar com essa dança se não vencermos.

A equipe conta com um site oficial – totalmente em coreano – que explica sobre projetos e toda a parceria com a prefeitura de Seul. E é só acessar o Twitter para ficar sabendo as novidades e concursos que o Drifterz Crew participa.

No vídeo você pode conferir mais do conteúdo exclusivo da entrevista que o Trickx deu para o Koreapost!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




DEIXE UM COMENTÁRIO