Compartilhe

Falta pouco para a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, que terá como sede PyeongChang, na Coreia do Sul. Essa será a 23ª edição da competição desde 1924, quando ocorreu pela primeira vez, na França.

A cerimônia de abertura será no dia 9 de fevereiro, e o encerramento no dia 25. Nos 17 dias de competições serão distribuídas 102 medalhas de ouro, separadas em 15 esportes. Por ser o país-sede, as expectativas pelo bom desempenho da delegação sul-coreana são grandes. Até hoje, a melhor colocação do país no quadro final de medalhas foi a 5ª, nas olimpíadas de inverno de 2010, no Canadá, tendo na ocasião recebido 6 medalhas de ouro.

Para essa edição, a delegação do país conta com mais de 100 atletas, competindo em praticamente todas as modalidades. A maior esperança de medalhas douradas está na patinação de velocidade, em pista longa e curta, por causa da tradição de que a Coreia do Sul sempre alcançou ao menos uma vitória em cada edição dos Jogos. 15 atletas competirão nos eventos das modalidades, entre eles, Lee Sang-Hwa, detentora do recorde mundial dos 500m em pista longa, atual bicampeã olímpica é a que tem maiores chances de sucesso. Além dela, Lee Seung-Hoon, campeão mundial na prova de largada coletiva (nova modalidade olímpica) em 2016, Kim Bo-Reum, campeã mundial em 2016 também na largada coletiva e Hwang Dae-Heon e Choi Min-Jeong na pista curta também têm boas chances de medalhas, além das provas em equipes.

Patinadora Lee Sang-Hwa com a medalha de ouro nos Jogos de Sochi em 2014. Ela foi escolhida pelos soldados coreanos como atleta com maiores chances de medalha esse ano. Foto: edaily
Patinadora Lee Sang-Hwa com a medalha de ouro nos Jogos de Sochi em 2014. Ela foi escolhida pelos soldados coreanos como atleta com maiores chances de medalha esse ano. Foto: edaily

Outra esperança é Yun Sung-Bin, no skeleton, modalidade na qual os atletas deslizam pela neve em um pequeno trenó, ele é atual 1º colocado no ranking mundial. E também Won Yun-Jong, no bobsled em duplas, que foi campeão mundial na categoria em 2016.

A decepção até agora é na patinação artística. Com a aposentadoria da muitas vezes campeã Kim Yu-Na, o país não teve mais destaques no esporte. O maior destaque atual é Choi Da-Bin, de 17 anos, atual 10ª colocada no ranking mundial feminino.

Kim Yuna, conhecida como "Rainha Yuna" pela imprensa internacional se aposentou em 2014 após as olimpíadas de Sochi e foi escolhida como um dos embaixadores dos Jogos Olímpicos de 2018. Foto: Japan Times
Kim Yuna, conhecida como “Rainha Yuna” pela imprensa internacional se aposentou em 2014 após as olimpíadas de Sochi e foi escolhida como um dos embaixadores dos Jogos Olímpicos de 2018. Foto: Japan Times

E a surpresa fica por conta da equipe feminina de hóquei no gelo, que será composta por atletas tanto da Coreia do Sul, quanto da Coreia do Norte, que também desfilará junto ao país-sede na abertura dos Jogos, como uma única nação.

PyeongChang é um pequeno povoado localizado na região de Gangwon-do, no nordeste da Coreia do Sul, um local conhecido pelas trilhas em montanhas e templos budistas. As competições ocorrerão em dois locais, o Mountain Cluster, aglomerado de montanhas, onde ocorrerão as provas em altura (categorias de esqui, bobsled, luge e skeleton), além das cerimônias de abertura e encerramento em um estádio construído de maneira controversa e o Coastal Cluster, em Gangneung, cidade vizinha a PyeongChang, no qual ocorrerão as competições em áreas fechadas e planas (patinação, hockey e curling).

Estádio Olímpico de Pyeongchang, que foi construído para as cerimônias em meio a controvérsias por causa de sua localização em meio a uma cadeia de montanhas. Foto: Site oficial PyeongChang 2018
Estádio Olímpico de Pyeongchang, que foi construído para as cerimônias em meio a controvérsias por causa de sua localização em meio a uma cadeia de montanhas. Foto: Site oficial PyeongChang 2018

Façam suas apostas! Quem vai surpreender? Quem vai desapontar? Será que a Coreia conseguirá um novo recorde de medalhas esse ano? Logo logo nós iremos descobrir!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




DEIXE UM COMENTÁRIO