Compartilhe

Com o programa de armas acelerando na Coreia do Norte, a ajuda alimentar das Nações Unidas para o país está começando a decrescer. Mas Lim Hyoung-joon, chefe do escritório da Coreia do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (WFP), salienta que o apoio humanitário deve continuar, independentemente da situação política atual.

A questão da ajuda humanitária para a Coreia do Norte deve ser vista separadamente da situação política“, disse Lim Hyoung-joon em uma entrevista ao The Korea Herald. “A situação política pode ser complicada, mas essas questões devem ser tratadas separadamente“, acrescentou.

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas foi lançado na Coreia do Norte em meados da década de 1990, com foco em alimentos e alívio de desastres. O escritório de Seul apoia seu financiamento e serve de ligação entre o órgão da ONU e o governo sul-coreano.

Lim Hyoung-joon, chefe do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas em Seul (WFP). Imagem: The Korea Herald.

Nosso recurso é baseado em financiamento voluntário e houve uma queda notável nas doações (após a implementação das sanções da ONU contra a Coreia do Norte)“, disse Lim Hyoung-joon, expressando preocupação pelo programa no próximo ano.

Apesar dos números baixos das doações, no entanto, o funcionário da ONU expressou esperança sobre o plano da Coreia do Sul de fornecer ajuda através do WFP.

A administração de Moon Jae-in vai gastar US$ 4,5 milhões para um programa de nutrição administrado pelo WFP, destinado a nutrir crianças e mulheres grávidas. Ele vem como parte do pacote de ajuda do governo de US$ 8 milhões para a Coreia do Norte, anunciado em setembro. Os US$ 3,5 milhões restantes serão destinados a um projeto de desnutrição e provisões de vacinas pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância.

A administração anterior da presidente Park Geun-hye suspendeu todo o apoio ao Norte após o quarto teste de armas nucleares em janeiro do ano passado.

Foto: Koogle
Foto: Koogle

Lim Hyoung-joon disse que a Coreia do Sul fornecendo ajuda ao Norte neste momento tenso enviará uma mensagem positiva. “A Coreia do Sul teve a assistência do WFP e em apenas em 20 anos alcançou a ‘fome zero‘, que se manifestou como um símbolo de esperança para o mundo. O mundo se moverá uma vez que a Coreia do Sul dê o primeiro passo.”

Um recente relatório da ONU mostrou que cerca de 72% da população norte-coreana, numero que chega a 24,9 milhões, sofre de escassez de alimentos e desnutrição. Entre eles, 1,3 milhões, incluindo crianças e mulheres grávidas, estão com extrema necessidade de ajuda.

Ele também sublinhou a transparência no seu programa de ajuda. “Temos uma política muito transparente e rigorosa de que ‘sem acesso, sem assistência‘, que prioriza o monitoramento de nossas rotas de fornecimento de ajuda. Nas áreas que operamos, a equipe de monitoramento realiza inspeções tão frequentes que chegam a 130 vezes por mês“, ressaltou.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.




DEIXE UM COMENTÁRIO