FOTO: Pinterest - DRAMAFEVER

Andante | Hangul: 안단테 | Ano: 2017 – 2018 | Episódios: 16 | Classificação Indicativa: 15 anos | Emissora: KBS1

Olá dorameiras e dorameiros de plantão, como vão vocês???

Vamos de mais recomendação!

Assisti esse dorama na época em que estava LOUCA pelo EXO, principalmente pelo KAI, que faz parte do elenco principal deste drama. E na época do falecido DRAMAFEVER.


‘Andante’ conta a história do estudante Lee Shi Kyung (Kai, do EXO), viciado em jogos, que repentinamente, junto de sua mãe, tia e irmã, teve de se mudar para a casa da avó paterna, que vive em uma cidade pequena. Ao chegar na cidade ele encontra, Kim Bom (Kim Jin Kyung, de We got Married 4), pendurada em uma árvore, como um cadáver, e se apaixona por ela. Junto de sua irmã, ele precisa se adaptar a uma nova escola, que obriga os alunos a serem voluntários no hospital local.

Lee Shi Kyung (Kai), ele é um adolescente tímido, viciado em jogos, preguiçoso, que odeia estudar, e que de início, pode parecer irritante e egoísta.

Kim Bom (Kim Jin Kyung), é uma adolescente misteriosa, que parece ter diversas faces, tímida, ousada e carismática.

FOTO: Tumblr

Shi Young (Lee Ye Hyun, Extraordinary You) é a irmã mais nova do Shi Kyung, é imatura, assim como ele e está sempre pronta para a briga.

Se você quer rir, chorar litros, se indignar, ou até cair de amores pelo KAI, esse é o drama para isso.

Algo que me surpreendeu nesse drama foi a reflexão sobre a vida e morte. Logo no início temos Shi Kyung preso dentro de um caixão, já que faz parte de uma tarefa de auto-retrato fúnebre, onde deve escrever o texto que ficará em sua lápide, o qual traz uma reflexão sobre como seria se eles morressem cedo, deixando pessoas especiais para trás, lhes ensinando a lidar com a morte e valorizar a vida.

O hospital é um dos principais cenários da série, onde se desenvolve grande parte do enredo. Os pacientes no hospital encontram-se ali por diversas razões, mas, principalmente, estão vivendo seus dias até que a doença terminal os consuma.

O desenrolar de personagens secundários e suas histórias, principalmente, aqueles que estão em fase terminal, agrega muito aos protagonistas, aprendendo a lidar, não apenas com a morte e a perda, mas com a vida, deixando uma lição, para viver cada dia como se fosse o último, sem arrependimentos.

FOTO: Pinterst

A família de Shi Kyung é muito importante para a trama, Jung Won (Jeon Mi Seon, de Mother e The great Seducer), tentar criar os filhos da melhor maneira possível, já que seu marido é ausente, e quase sempre não recebe o reconhecimento merecido, principalmente por atos desconhecidos pelos filhos, que aparentam ser ingratos e sem noção.

A avó paterna de Shi Kyung, Kim Deok Boon (Sung Byoung-Sook de Secret Garden, Life e Doctor Strange) é uma das personagens mais importantes, trazendo um conflito fundamental para história, é cheia de carisma e gera momentos emocionantes.

FOTO: My Drama List

Há também um possível casal/ship secundário Shi Young e Park Ga Ram (Baek Chul Min, Kill me Heal Me). Ele é filho do médico que trabalha no Hospital, é simpático, bonito, inteligente, fofo, bondoso, amável, completo oposto dela, que é uma adolescente explosiva na maioria das vezes, sem qualquer filtro na língua,e não fica calada nem quando deve, mas que se mostra boa, empática e prestativa.

Ga Ram e Shi Young se conhecem por causa do Shi Kyung, começam com uma amizade e aos poucos vamos percebendo que há um sentimento, além disso. Mas não espere por um beijaço, ou na verdade, por qualquer beijo, pois o amor desses personagens vai além de algo físico.

FOTO: heartnseoul

A personagem Bom teria um rostinho diferente, já que a primeira atriz a ser chamada para o papel foi Jung Da Bin (conhecida por My Sassy Girl, Rebel: The thief who stole people e o mais recente, Extracurricular), porém a mesma teve de recusar o papel por motivos de agenda. Kim Jin Kyung entrega uma boa atuação, com diversas facetas, de início se mostrando fechada e triste, mas acaba sendo contagiada pela energia positiva de Shi Kyung.

Tanto o personagem de Kai quanto de Jin Kyung, se ajudam a desabrochar e amadurecer, de jovens tristes, solitários e até egoístas, para jovens adultos felizes positivos, com grande senso de empatia e amor.

O dorama traz lições importantes – com a ocorrência de mortes, os personagens aprendem a deixar de fingir ser fortes e a serem honestos sobre o como sentem e se deixar sentir tristes e chorar, desta forma, iniciando o processo para seguir em frente, com ajuda de amigos e familiares. Mesmo com a morte de pessoas queridas, devemos seguir em frente, vivendo uma vida positiva e de se orgulhar, com amor e bondade, já que desta forma é possível impactar a vida de pessoas próximas.

Aprendemos a não nos prender ao passado e os arrependimentos, para que possamos aproveitar o presente.

FOTO: SM Entertainment

A maior lição do drama é que a morte acaba com a vida não mas com o relacionamento. Em uma frase dita por Bom no drama, ela diz que “a morte é algo inevitável, mas não definitivo, e que dependendo do que construímos em vida, o outro sempre será uma boa história e uma memória calorosa de nós“.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.