Hello Dracula (Drama Festa: Hello Dracula) | Hangul: 안녕 드라큘라
Ano: 2020 | Episódios: 02 |Duração:1h10m | Classificação Indicativa: 15 anos | Emissora: JTBC

Olá dorameiras e dorameiros de plantão, como vão vocês???

Vamos de recomendação nessa quarentena.

Admito que assisti esse drama pela temática e pelo elenco, ~ tem algum sone ai? ~ além de ser bem curtinho.

FOTO: k4us

‘Hello Dracula’ faz parte do projeto da JTBC ‘Drama Festa’, que tem por objetivo ajudar novos diretores e roteiristas a ganhar experiência.

O mini-drama conta três estórias: sobre a relação de mãe e filha; a vocalista de uma banda indie, que está presa entre relacionamento, sonhos e realidade; e a amizade especial entre 2 crianças de mundos diferentes.

Muito foi falado sobre o drama, já que Seohyun, do Girls Generation, interpretaria uma personagem lésbica, principalmente, por ser um tema polêmico.

FOTO: kpopmap

An-Na, personagem de Seohyun (Girls Generation, estrelou dramas como Private Life e Time), é uma professora que mora com sua mãe Mi-Young (Lee Ji-Hyun), que ignora o fato da mesma ser lésbica e tenta sempre fazer com que ela saia com homens. An-Na esconde seus sentimentos de sua mãe e sempre faz de tudo para atender os pedidos e desejos da mesma.

Mi Young, personagem de Lee Ji Hyun (participou de Let’s Eat 3 e Abyss), é uma escritora e mãe que busca o melhor para sua filha, segundo suas próprias convicções, acabando por sufocar a filha e ignorar os sentimentos dela.

FOTO:Asianwiki

Seo-yeon, personagem de Lee Joo Bin (Love is Jungle, Find Me in Your Memory e Ga Doo Ri’s Sushi Restaurant), é a vocalista de uma banda indie que não faz sucesso, além de trabalhar como professora de música. Ela luta para superar o término de um relacionamento, sempre questionando se deve seguir seus sonhos ou viver a realidade.

Yoo-ra, personagem de Go Na Hee (que participou de Arthdal Chronicles e Fight For My Way), é uma das alunas de An-Na, que sofre bullying por ser de uma família humilde. Ela mora em um bairro que está sendo re-projetado, logo, ela terá de mudar de casa e escola.

Ji Hyung, personagem de Seo Eun Yool (participou de Eulachacha Waikiki, The Tale of Nokdu e Are you human too?) é o melhor amigo de Yoo-ra que vive em uma realidade totalmente diferente da dela, mas sua mãe desaprova sua amizade com Yoo-ra, devido à diferença de classes sociais.

FOTO: k4us

Mas se você, assim como parte do público, resolver assistir pensando que testemunhará um belo romance entre pessoas do mesmo sexo, não espere por isso. Esse não é o foco do drama.

‘Hello, Dracula’, mesmo contando 3 estórias diferentes, todas acabam se encontrando, se entrelaçando, além de resolver grande parte dos conflitos. Os personagens se conhecem, principalmente, do dia a dia, mas não se relacionam, como é o caso de An-Na e Seo-yeon, que são colegas de trabalho.

Esse drama não pode ser resumido a romance, término e amizade, já que ele é bem complexo e cheio de detalhes subentendidos. A atuação de Seohyun não deixa a desejar, já que mesmo sem pronunciar uma palavra podemos compreendê-la e entender seus sentimentos reprimidos.

O dorama traz cenas impactantes que envolvem religião, homofobia, preconceito social e depressão. No começo, o telespectador é pego por uma cena com vitrais religiosos e uma igreja, onde usam a religião para reprovar o homossexualismo.

FOTO: Youtube

Vemos que seguir os sonhos é difícil, que fazer e viver do que gosta, é visto como fora da realidade, e às vezes, como falta de maturidade, além de sempre sofrer a pressão da cobrança para terem empregos “sérios”.

Mas que nunca devemos parar de tentar e seguir o caminho que realmente queremos.
Podemos ver também como reprimir os próprios sentimentos e não ser quem se é, pode afetar a vida de alguém e sua saúde mental.

Todos os personagens são dignos de simpatia, além de, fácil identificação com os mesmos, inclusive, com a mãe, que mesmo reprimindo a filha, durante o dorama evoluí, apresentando uma grande evolução no final.

Acima de tudo, temos estórias sobre crescimento, aprendizado ao lidar com sentimentos, diferenças, preconceitos, religião, tradições e padrões impostos pela sociedade.

Cada narrativa tem seu ápice, a mãe de An-Na após descobrir do término da filha, decide confrontar a ex-namorada da filha, gerando um episódio depressivo.

A narrativa de Seo-yeon avança quanto ela reencontra o ex-namorado, fazendo relembrar do passado. A narrativa de Yu-ra e Jin Hyung, tem seus momentos felizes e tristes, já que por Yu-ra ser pobre, tem um amadurecimento psicológico precoce, tendo consciência do valor de posses e dinheiro, e compreende que sua condição financeira afeta seu lugar na sociedade. Uma simples e inocente amizade entre crianças gera um grande conflito, por serem de classes sociais diferentes.

FOTO: tumblr

Em suas cenas finais o drama traz todos os personagens juntos, se unindo para resolver um conflito, principalmente as protagonistas, acabando por se proteger e se entender, independente de seus ideais, divergências e idades. E ainda recebemos uma mensagem de união e força feminina, além de esperança, de superar situações complexas e melancólicas.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.