Hey lindezas! Com toda essa precaução em torno do Coronavírus a rotina de muita gente acabou mudando, ficar em casa apesar de seguro, para muitos não deve ser legal.

Para muitos… Não para todos!

Para nós caras (os) dorameias (os) um tempo recluso em casa é tudo que precisamos para colocar em dia aqueles dramas ou filmes que estão na listinha.

Além de bons dramas, podemos apreciar bons livros também, e se o drama tem como temática o mundo editorial, a parceira fica perfeita.

“Romance is a Bonus Book” é a resenha da vez, já estava na minha listinha a uns dias, e eu tinha a sensação de que me deixaria toda boba sabe?

O motivo inicial que me fez assisti-lo foi a notícia que seria o último trabalho do Lee Jong Suk antes de se alistar ao exército, ou seja, dois aninhos sem ver aquele rostinho lindo nos dramas. O segundo motivo era por conter em sua história um romance mais maduro, eu tinha acabado de assistir “My Strange Hero” na vibe colegial, mais leve, meigo e tal.

Cha Eun-ho (Lee Jong-Suk) e Kang Dan-i (Lee Na-young). Foto: TvN

Cha Eun-ho (Lee Jong-Suk) e Kang Dan-i (Lee Na-young) tornaram-se amigos após
um acidente onde a Dan-i salvou a vida do então desconhecido Cha Eun-ho que saiu ileso, mas infelizmente Dan-i acabou se machucando gravemente e precisou ficar hospitalizada por quase um ano, o que a fez perder o ano letivo. Sem poder sair do hospital Dan-i nomeia Eun-ho como seu ajudante e companheiro de leitura, a partir desse acordo, meio que forçado (rsrsrs), surge uma linda amizade.

… Os dois conheceram muitas pessoas, passaram muito tempo juntos e leram muitos livros, caminharam, viajaram, leram…

Com o passar dos anos Dan-i que é cinco anos mais velha que o Eun-ho, engata em um romance com outro cara e como quase todos os casais apaixonados… Casam-se. Dan-i constrói sua carreira em marketing que mais tarde opta por dar uma pausa para se dedicar ao lar e a sua família após a chegada da filha do casal.

Já o Cha Eun-ho passa à ser um escritor de sucesso, tornando-se professor universitário e editor-chefe de uma empresa editorial.

Anos mais tarde, os dois continuam amigos mas já não partilham mais de angústias e segredos. Dan-i já vive uma vida totalmente diferente da planejada, se vê mãe, divorciada, sem moradia, fora do mercado de trabalho e fazendo bicos para sobreviver. 37 anos, sendo 7 sem exercer sua profissão acabam pesando na vida dela, que encontra muitas barreiras para re-ingressar no mercado de trabalho.

Sem saber de nada que acontece com a amiga, Eun-ho que segue sendo um escritor brilhante e editor-chefe mais jovem da empresa onde trabalha. Vive uma vida confortável, chamando atenção por sua inteligência, beleza e simpatia, seu único problema é sua diarista comilona e fofoqueira 🤫 kkkkk…

Entre muitos nãos, perrengues e choros, Dan-i chega à uma entrevista de emprego na editora do Eun-ho, que foi surpreendido com a presença da amiga. Dan-i sabendo que seria difícil conseguir a vaga no seu nível superior, acaba se candidatando a vaga de apoio, deixando Eun-ho em choque com a escolha.

Sem muita opção, Dan-i revela tudo para Eun-ho que se sente culpado por não estar ao lado dela nesses momentos.

Depois de tudo esclarecido eles passam a morar juntos e mesmo discordando, ele decide apoiá-la a entrar na editora mantendo a amizade dos dois em segredo. A partir daí o drama passar a ter um outro cenário, com novos personagens, personagens esses que me conquistaram. O mundo editorial apesar de fantástico tem seus perrengues e começamos a ver todo o trabalho por trás dele.

Após a conquista da vaga de apoio Dan-i se empenha bastante, mostrando sabedoria e empatia. Maaaassss como nem tudo são flores ela se depara com sua superior Song Hye Rin (Jung Yoo-jin) apelidada como “bruxa de gelo” que apesar de ser ética e muito querida pelos seus chefes, é fria e viciada no trabalho, seu único fraco é seu amor unilateral pelo ‘sunbae’ Eun-ho.

Tive um tanto de dó dela, apesar de um pouco fria, dava pra ver em seus olhos como ela era apaixonada pelo Eun-ho, que por sua vez, sabia disso mas decidiu levar aquela relação como amizade mesmo.

Outros Personagens. Foto: TvN

Ainda sobre os personagens, acompanhamos as relações de outros casais, cada um com um dilema diferente. Temos também exemplos de mulheres fortes e decididas. No decorrer do drama passamos a entender melhor o seu título “Romance is a bonus book”. Nas vidas dos personagens há histórias de lutas, derrotas e vitórias, romance é um livro bônus que eles podem apreciar.

Durante o drama percebi que estava sentindo muito a falta de ir até uma livraria, folhear um bom livro, ler várias e várias sinopses, conhecer um autor novo, entre outras maravilhas que uma livraria te traz. A vida adulta acabou me trazendo uma rotina onde ler um livro não cabe no meu tempo.

Voltando aos personagens principais, enquanto um desacreditava no amor, o outro achava que isso só poderia acontecer uma vez na vida, aprendemos com eles que isso não é verdade. A frase “A LUA É LINDA” passou a ganhar outro significado, ao ouvir essa frase você saberá o quanto é amado.  Não posso dar muito spolier, mas aquele sentimento que me faria ficar toda boba de fato aconteceu. O amor é um sentimento tão simples e doce, as pessoas que fazem disso um problema.

Enquanto acompanhava os atores “devorando” uma obra me via sedenta em ler um livro. Por isso resolvi trazer esse drama pra vocês, espero que acabe te influenciando também.

Aqui na coluna não faltam resenhas e indicações maravilhosas pra vocês curtirem durante a quarentena, quem puder #fiqueemcasa e aproveitem de bons dramas e livros claro!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



4 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.