Na semana passada contei a história da minha primeira viagem à Coreia. Por falta de espaço, infelizmente muitas histórias pitorescas ficaram de fora. Hoje, vou contar uma e aproveitar para falar um pouco mais sobre um assunto que pelo título do post vocês já devem saber do que se trata: coreanos e carne de cachorro. Mais um assunto polêmico!

Eu estava na fábrica da Samsung em Suwon quando alguns gerentes quiseram preparar uma surpresa para o grupo que veio do Brasil. Chamaram a gente para um happy hour e na Coreia, happy hour é coisa séria! Fim do trabalho e já havia um ônibus nos esperando. Entramos nele pensando qual seria o nosso destino, pois ninguém havia nos contado ainda. Depois de uns 40 minutos chegamos num lugar descampado onde havia um pequeno rio. Saímos do ônibus e fomos procurar os nossos chefes.

Piquenique Aquático!
Piquenique aquático!

Logo vi que eles estavam dentro do riacho, fazendo brindes com soju! Na margem, vi que havia MUITAS caixas de bebida e também uma mesa onde estavam preparando comida. “Mr Kim, venha para cá”, gritou um deles. “Não tenho roupa para entrar”, disse, no que responderam que era para entrar de roupa mesmo! E eu, que tinha apenas uma calça social (que estava vestindo naquele momento), não tive outra alternativa. Entrei lentamente, sentindo a minha roupa molhar! Quando enfim sentei, percebi que a água vinha na minha cintura. E logo me deram um copo de soju para que eu brindasse também. Como na Coreia é desfeita recusar bebida, então pensei logo em alguma maneira de não beber. E comecei a receber bebida, jogar o conteúdo no riacho e encher o copo com água do rio… se não morri de disenteria nesse dia, não morro mais!

Se Beber, Não Dirija!
Se beber, não dirija!

E então, o gran finale. Trouxeram alguns pratinhos de comida pra gente. Um dos meus amigos brasileiros perguntou a eles o que era e ouvimos a palavra “chicken”. Opa, delícia! Comecei a comer e como estava bom, repeti o prato. Só que no meio do segundo prato, vi que havia um osso meio estranho, não parecia de frango… parecia um osso de… cachorro??? Fui perguntar ao cozinheiro o que era aquilo e ele respondeu mais claramente: 찌개 de… au-au… quase vomitei… não era “chicken” e sim “tchi-guê”! Meu amigo brasileiro, esse gostou, por incrível que pareça! Olhei ele com cara de espanto mas ele estava mais na boa que eu!

Essa foi uma experiência marcante pra mim, pois nunca havia nem visto carne de cachorro e eu AMO cachorros (vivos!). Já tive mais de 30, apesar de hoje não ter mais condições de criá-los na minha casa. Eu tinha coleção da revista “Cães e Companhia”, ia a exposições e sabia de cor todas as raças de cães! Então, imaginem como esse é um assunto incômodo para mim. Durante a Copa do Mundo de 2002, quando aumentou o interesse sobre a Coreia, cansei de brigar com pessoas que vinham falar que eu era “comedor de cachorro”. Assunto complicadíssimo!

Dogs
Dogs are friends, not food!

Enfim, não vou me aprofundar muito no assunto, mas acho que é preciso desmistificá-lo. Na Coreia se come cachorro? Sim, infelizmente. São cachorros pegos na rua? Geralmente não, existem fazendas que criam cachorros para consumo. Todos os coreanos gostam? Não, hoje em dia e especialmente entre os jovens, há um movimento para que essa tradição seja deixada de lado. Alguém que vá visitar a Coreia não vai achar um McDog no meio da rua, especialmente nos centros urbanos. Mas esses restaurantes existem e é necessário contextualização sociocultural para entender melhor o assunto. Enfim, vamos falar novamente sobre o assunto com maior profundidade num outro dia!

Ah… e para aqueles que tem curiosidade em saber o gosto da carne… olha, diria que é bem parecido com carne de carneiro. E falando em carneiro… esses animaizinhos tão fofos… será que o melhor não seria pararmos de comer carne de qualquer espécie? 😉


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

14 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom o texto! Fiquei me imaginando na mesma situação haha sou vegetariana, adoro cachorros e não me dou muito bem com bebidas… Minhas habilidades sociais na Coréia seriam muito restritas rs.

    • Fala Grazielly! Pelo contrário, você se daria muito bem na Coreia, que tem uma ampla gama de opções de comida vegetariana, acho que até mais que o Brasil! Quanto a cachorros, na Coreia tem mais gente que ama do que os come, garanto! 🙂

    • Olá Alex, nem sempre é desculpa da maneira que você descreve. O que quis dizer é que o assunto é complexo e que eu não teria tempo/espaço para emitir uma opinião mais aprofundada. Obrigado por ler o meu post e caso queira fazer mais comentários, fique à vontade, abs!

      • Coreanos adoram usar termos parecidos como esse para ressaltar que um nao-coreano nao entende a cultura coreana. Mesmo em um caso tao controverso mesmo para os coreanos como eh a carne de cachorro, se um estrangeiro se revolta, logo chega alguem querendo lecionar “cultura coreana”. Coreanos incrivelmente tem desculpas “historicas” (mtas inverdades fabricadas por um governo nacionalista) para tudo. Nao me interprete mal, adoro a Coreia, mas verdade seja dita, eh mto dificil racionalizar com coreanos.

        Militancias a parte, otimo blog. Parabens.

        • Eu particularmente nunca usei artifícios para ressaltar que um não-coreano não entende a cultura coreana. Muito pelo contrário, existem sim muitos não-coreanos que entendem a cultura coreana. E acredito sim que você goste da Coreia, senão provavelmente nem estaria lendo a minha coluna. Quanto a ser difícil racionalizar com coreanos, respeito a sua opinião! Obrigado pelo elogio, um forte abraço! 🙂

  2. Muito bom o texto, e percebo que existem muitos artistas coreanos que tem paixão por cachorros, acho que isso também colabora bastante para que as pessoas criem um novo habito, ao invés de comer a carne os adotam como animais de estimação, como na maioria dos outros lugares do mundo.

    • Olá Luana! Sim, como disse para a Grazielly lá em cima, na Coreia tem mais gente que ama do que os come. Tem toda uma histórico para entender melhor esse assunto, caso tenha interesse procure na internet que tem farto material!

  3. Na Índia a maioria da população olha para o Brasil como inferno por comer animais sagrados como bois de todas as formas possíveis além de estarem disponíveis em todos os supermercados. Ainda recebo perguntas nas manhãs andanças pelo mundo sobre a experiência de comer macacos (não é a melhor carne do mundo quando provei entre índios do Xingu) etc…
    Cada cultura teve em sua história momentos que forçaram a usar os recursos naturais disponíveis que com a melhoria ou piora das condições do local se esgotam e são substituídas por similares (anímais de caça por animais criados). Para o povo a lembrança cultural tem valor inestimável e mesmo não precisando mais o hábito se perpetua. Geração mais novas mudam esses hábitos lentamente pois muitos desses hábitos podem ser questionáveis tanto pela origem do anímal ou vegetal assim por conta de sabor….
    O hábito de comer cachorro deve ser respeitado assim como quem come insetos, aves de caça e outras fontes de proteína animal, pois com certeza em algum momento da história de um povo esse alimento salvou a população da fome.

    No Brasil apenas nos rincões do Norte onde calangos (largartos), cágados (tartarugas) , primatas (macacos) e outros mamíferos são a única fonte de proteína ( lá não tem supermercado com Tony Ramos perguntando se é Friboi) entendem sem muitos problemas o uso de cães na alimentação por entenderem que na fome o que cair na armadilha é comida…

    Enfim respeitar o próximo pode ser um desafio para sua criação, mesmo assim respeite ! Por mais diferente que seja toda tradição tem história que vai além de sua existência pessoal e toda história deve ser respeitada por mais controversa que ela seja,

    • Reinaldo, acho que você acabou complementando o meu texto de maneira bem objetiva! Valeu pelo comentário e sim, acredito que no fim das contas o que mais importa é o respeito mútuo, com certeza! Um forte abraço! 🙂

  4. Bom, eu sou da opinião que se a pessoa come carne de boi, porco, etc qual o problema experimentar carne de cachorro? Eu não sou a maior fã de carne, mas acho que experimentaria qualquer coisa numa boa, pra conhecer. Inclusive já vi em mercado na China pra vender, era uma cabeça cerrada ao meio, eu não sei se eles limparam o animal e deixaram a cabeça pra trás ou se vendiam a cabeça pra fazer algo como ensopado ou sei lá.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.