Em julho passado tivemos o Curso Intensivo de Coreano nas Férias de Inverno organizado pelo Centro de Educação Coreana em São Paulo e ministrado no Colégio Polilogos. Diversos estudantes de educação da Univerdade de Jeonju na Coreia vieram especialmente para ministrar no curso. Para mim, foi “normal” que meu filho participasse, mas vi que por volta de 10 brasileiros (não-coreanos) participaram do curso. E confesso que isso me deixou muito feliz, explico a seguir.

Nascido na Coreia, tenho 41 anos e vivo no Brasil desde os sete. Desde cedo vi os mais velhos fazendo grandes esforços para divulgar a nossa cultura e levar a comunidade coreana a ter voz ativa na sociedade brasileira. Vou ser injusto em não citar o nome de muitas pessoas aqui (inclusive algumas já falecidas), mas três delas me inspiraram bastante a fazer o mesmo: Profa Lisa Um, Profa Kyung Ja An e Profa Joana Keum Ja Choi. Diziam que a integração cultural era importante e eu realmente acreditava e acredito nisso.

coreia-do-sul-bandeira

Junto com amigos da minha geração, lutamos muito para empunhar essa bandeira e continuar o trabalho feito até então através de associações, grupos de igrejas, taekwondo e inclusive trabalhos solitários de membros da comunidade. Mas tínhamos que dar tempo ao tempo e essa integração cultural deslanchou quando vieram as novas gerações e começamos a sair das confecções. Hoje temos médicos, dentistas, juízes, advogados, professores, engenheiros, empresários e pessoas ligadas à moda e arte que tem trabalhos reconhecidos. Depois, vieram as empresas coreanas como a Samsung, LG e Hyundai. Mas ainda não era o suficiente.

Abnormal Summit

E quem diria que o passo maior viria com o k-pop e dramas! Acompanhei o crescente interesse dos brasileiros na cultura pop coreana, achando que era algo efêmero. Mas isso acabou levando muitos fãs a buscar algo adiante e as diversas entidades ligadas à cultura como o Centro Cultural Coreano e os diversos sites sobre música coreana (SarangInGayo, K-pop Brasil, Kpop Station, KoreaBrazil) tiveram a felicidade de perceber esse movimento e fazer um trabalho bacana. Teve até o Champs, que eu achava super maneiro! Atualmente, o leque de atração é muito maior com trabalhos como o do Instituto de Dança Tradicional Coreana e até a participação do brasileiro Carlos Gorito no programa “Abnormal Summit”.

Instituto de Dança Tradicional Coreana

Vinte anos atrás eu trabalhava na Samsung e fui fazer um estágio de três meses na Coreia com 15 brasileiros. Éramos estranhos no ninho. Hoje, tenho amigos brasileiros que estudam, trabalham ou vivem na Coreia. Vejo grupos como a Comunidade de Brasileiros na Coreia e Coreanos do Brasil e blogs como o De Prosa na Coreia, eagoraKorea e Diário da Gigi e vejo que não estamos fazendo apenas amigos, mas “coreanos honorários”. Era o que precisávamos: embaixadores brasileiros da comunidade coreana que vão nos ajudar a mostrar aos demais os aspectos positivos da gente! E é por isso que fiquei feliz em ver brasileiros matriculados no curso de coreano, porque hoje, os amantes da cultura coreana empunham a bandeira da integração cultural junto conosco.

Coreanos e brasileiros, é o início de uma bela amizade! 🙂

Bruno


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



23 COMENTÁRIOS

  1. Gostei muito, confesso com uma “pontinha” de inveja, pois nós cariocas quase não temos acesso a essa linda cultura, quem nos salva é o Instituto Nam Ho Lee.
    Mas quem sabe um dia realizaremos o sonho de ter um restaurante coreano no Rio de Janeiro. Abs.

  2. Fico pensando quando a cultura coreana vai deslanchar em Minas, êta lugar difícil. É curioso porque minha mãe fez muito corte (de roupa) pra um senhor coreano de SP. Na minha escola também haviam duas garotas coreanas que vieram para o Brasil ainda crianças, mas logo elas se mudaram pra SP. Em BH, onde resido atualmente, não consigo achar nada relacionado à Coréia, como cursos de coreano (até encontrei um, mas além de não ser presencial é muito caro se comparado a outros cursos) ou até mesmo um restaurante de culinária exclusivamente coreana. Por outro lado, o cunhado da mulher do meu tio é de família coreana e na cidade onde ele vive existe algumas opções, apesar de não ser cidade grande. Eu espero que um dia a cultura coreana seja tão presente aqui como a japonesa. Quando me mudei pra BH, morei perto da Associação Mineira de Cultura Nipo Brasileira e lembro que aconteciam festivais de comida típica, apresentações de música, dança… Além disso eles ofereciam diversos cursos, como o Centro Cultural Coreano em SP oferece. Dizem (porque nunca fui) que os eventos de anime que acontecem aqui oferecem um local pra quem gosta de k-pop, mas não é o meu caso. Enfim, se souber de alguma coisa por aqui que eu não saiba, seria ótimo que compartilhasse! Tem um professor de conversação em inglês que morou muitos anos na Coréia, mas ele não dá aulas de coreano, só de inglês. Acho que em breve vou dar um pulo em SP pra ver se aproveito um pouco do que não tem aqui! A professora Lisa Um me disse que no Centro Cultural Coreano tem uma biblioteca, fiquei com muita vontade de conhecer!

    • Até tempos atrás, em Belo Horizonte havia uma ou duas dezenas de famílias coreanas, mas a maioria deles veio para São Paulo, onde a maioria dos coreanos estão concentrados. Fala-se em 50.000 coreanos vivendo no Brasil, enquanto que são 1.500.000 de japoneses espalhados em diversos estados, o que explica a grande influência da cultura japonesa. Se vier para cá, não deixe de nos avisar! E a Profa Lisa é uma pessoa muito bacana, com certeza lhe dará um suporte! Existem vários lugares bacanas para você conhecer por aqui, relacionados à cultura coreana!

  3. Oi Bruno, parabéns pela matéria! Além disso, vi algumas citações sobre sites de música e outros, mas já que tratas sobre a cultura coreana, acrescentaria a sua lista o site Brazilkorea, que divulga a cultura, política, economia e as relações entre o Brasil e Coreia. Acompanho o site há algum tempo e tem um conteúdo muito comprometido nesse esforço.

    • Olá Ana Maria, eu citei o BrazilKorea sim, junto com os outros sites! E obrigado por acompanhar a minha coluna, fique a vontade para sugerir assuntos e dar pitacos!

      • Obrigada por me responder! Sobre assuntos, você poderia escrever sobre música em geral, os artistas e estilos musicais coreanos que você escutava na sua adolescência já aqui no Brasil. Hoje na internet tem muita informação sobre música pop coreana, mas pouca coisa sobre outros estilos, tipo o Trote.

    • Olá Newton, prazer em conhece-lo! Pois é, não sei se há muitos coreanos na sua região. Outro dia conheci um professor de taekwondo de São Jose dos Campos que me disse que não viviam muitos coreanos por aí. Enfim, continue com as aulas online por enquanto, é o jeito, existem diversos sites e vlogs muito bacanas! Um forte abraço!

  4. Eu me apaixonei pela Coréia através dos doramas, infelizmente ainda não consegui encontrar aulas online de coreano, se vc seouber de algum professor dê uma dica, por favor.

    • Vc pode começar estudar pelos blogs o necessario tipo ler,escrever e procurar professores de coreano….muitas pessoas que eu conheço recomendam johnny han, eu te passo o face dele se vc quiser,tenta me achar no facebook mei email ayurekorea@gmail.com

    • Olá Regiane, existem cursos online como o Rosetta Stone. Além disso, há vários sites e blogs feitos em português, como o “De Prosa na Coreia” e o “Coreano Para Brasileiros” e também um canal no Youtube chamado “Hey Unnie” que é muito bacana! Mas aulas presenciais mesmo, acredito que somente em São Paulo por enquanto!

  5. Gostei bastante do assunto , e por incrível que pareça me apaixonei pela Coreia pela própria cultura , pela comida , pela língua , estudo muito para poder ser fluente e quem sabe estudar na Coreia , desejo sucesso com seu trabalho ^^

  6. Desde pequena sempre achei que nasci no país errado. Gosto do Brasil, mas não o amo de fato. Passei minha adolescência tentando me encontrar, aprendi inglês porque achei que amava USA, depois percebi que sequer gosto das músicas ou suas demais culturas. Depois pensei, Espanhol, deve ser isso … Também não foi!! Alguns meses atrás em um belo dia de chuva fiquei com vontade de comer torta de limão, mas não sabia fazer e fui buscar no Google uma receita quando por erro de digitação encontrei um ator coreano Lee min ho… desde então e por causa dele me aparece pela Corea, suas músicas e doramas , filmes , roupas e tudo mais.. mas especialmente me apaixonei pela língua coreana. Hoje estudo coreano lá no Bom Retiro todo sábados…. confesso que não achei que iria conseguir fazer o curso. Fiquei no pé da Dona Lisa Um para não perder a oportunidade… Estou estudando à apenas 15 dias.. mas já me sinto parte desse país que aprendi tanto a amar.

    • Joana, é bacana ouvir a sua história, fico agradecido que tenha compartilhado com a gente! Fique no pe da Dona Lisa sim, ela é uma pessoa muito bacana e com certeza irá fazer o que estiver ao alcance dela para lhe ajudar! Precisando de algo, também estamos à disposição!

  7. Muito legal mesmo com as culturas se interligaram. Comecei a me interessar pela Coreia por causa do k-pop em 2009 mas é inevitável se ficar preso somente a isso quando você vai descobrindo toda a gama de cultura, informação e história por trás desse país.
    Tenho me empenhado em tentar aprender o coreano com diversos materiais que temos disponibilizado na internet e com pessoas que tem o interesse em ceder alguns minutos do seu dia para ajudar. No Rio de Janeiro ainda não temos tantos meios de nos ligar a cultura quanto em São Paulo, mas sempre que posso ir a SP tento me aproximar mais dessas entidades ligada a cultura.
    Achei sua matéria muito interessante, é legal ver esse ponto de vista de coreanos que estão no Brasil por tanto tempo.

    Site muito bacana, parabéns!

    • Aline, obrigado pelo carinho! O meu objetivo é esse mesmo, mostrar um pouco do que é a cultura coreana do ponto de vista de um coreano imigrante (mas que já virou totalmente brasileiro, né? rsrsrs). Continue acompanhando a nossa coluna, muito obrigado!! 🙂

  8. Tive a honra de morar em Seul ,propriamente em Seong Buk Gu,onde tive a oportunidade de conhecer e fazer muitos amigos na Coreia,hoje moro no Brasil,em Minas Gerais,mas quero muito reencontrar estes amigos,que Moran em Seul,poderiam me ajudar a encontrar estes amigos?

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.