Desde que comecei a escrever para o Koreapost tenho conhecido gente incrível e passado por experiências inesquecíveis. Ontem tive a oportunidade de participar na organização da quinta edição do Kpop Dance Tournament, realizado pela K.Ö Entertainment em parceria com o nosso site e foi algo além do esperado. Confesso que voltei para casa sem voz e cansado, mas feliz por ver as pessoas felizes. E quando digo pessoas não é somente o público mas também os competidores e o grupo organizador, que aliás, trabalha sem retorno financeiro algum apenas para oferecer aos amigos um evento estruturado e de alto nível.

13559174_1109230079123419_4362513287292377798_O
Evento lindo com gente linda: inesquecível!

Mas na verdade, não consegui uma autorização da minha boss aqui no Koreapost para escrever fora do dia normal da minha coluna, apenas para falar sobre o evento em si. Sim, ele foi fantástico, impecável e tudo mais que está na boca do povo (eu mesmo recebi várias mensagens de amigos parabenizando o KDT) e teria muita história para contar. Queria contar duas histórias de bastidores que na loucura do desenrolar do evento poucas pessoas presenciaram. Envolvem quatro pessoas que até ontem à tarde eu nem conhecia direito, mas que me marcaram a tal ponto que fiquei o dia inteiro pensando nelas.

A primeira história começa quando a Carol Lee me chama desesperada para levar uma pessoa ao hospital. Ela estava com o rosto pálido e logo pensei que poderia estar com uma crise de pressão baixa. Perguntei ao garagista onde ficava o pronto-socorro mais próximo e coloquei ela e a acompanhante no carro, quando sou surpreendido com o pedido para irmos somente até a farmácia mais próxima. Argumentei que talvez fosse melhor ir até o hospital, mas ela disse que não haveria problemas, apesar de eu não acreditar muito porque ela estava realmente muito abatida. De qualquer forma, acabamos indo apenas para a farmácia onde compramos um anti-inflamatório e um analgésico. Não muito confiante e querendo alegrá-la um pouco, comprei uma água de coco para ela tomar e rumamos de volta. E como precisava voltar para ajudar o evento, deixei a moça e a acompanhante no meu carro para que descansasse e fui embora.

Depois de algum tempo, vi essa mesma pessoa descendo junto com a amiga acompanhante, ambas vestidas com roupas de apresentação. Não sabia, mas elas eram membras do grupo K★NRG! Cheguei mais perto do palco para ver a apresentação e claro, meus olhos ficaram seguindo a tal moça que estava doente e para a minha surpresa… dançou absolutamente bem! E outra surpresa, a tal acompanhante, que fisicamente parecia bem delicada, também dançava extraordinariamente bem e com um vigor incrível. No mesmo instante esse grupo já era um dos meus favoritos!

A segunda história também envolve alguém com problemas de saúde. Quando achei que ficaria tranquilo até o resto da tarde, o Lucas Jotten pede para eu chame uma ambulância pois uma membra da grupo Fix2U desceu chorando do palco. Eu tinha acabado de ver a apresentação delas (aliás, extremamente animado) quando uma delas desabou na lateral do palco chorando de dor. Como parecia ser uma emergência, comentei que talvez fosse melhor levá-la no meu carro mesmo. Logo apareceu um membro de outro grupo cover que eu já havia visto mas que não conhecia pessoalmente e a pegou no colo e a levou nos braços até o subsolo. Olha, só faltava uma capa nele para virar o super-homem! Ele a colocou no carro e fomos até o pronto-socorro. Deixa-a por lá e voltei ao evento.

Foi quando saíram os resultados finais. Eu havia sido convidado para entregar os troféus (que eram lindos, representando diamantes brutos e feitos de material ecologicamente corretos) aos primeiros colocados. E justamente no terceiro lugar da categoria de dança, chamaram o grupo K★NRG! Descobri que o nome da menina era Bárbara Almeida e meus olhos acompanharam-na mais uma vez durante a premiação. Claro, ela estava super-emocionada. Depois, quando terminou a premiação e chamaram todos os vencedores, aproveitei para dar um abraço carinhoso nela e tive que me segurar para não soltar algumas lágrimas pois sabia de tudo o que ela tinha passado.

13558761_1109243925788701_810676459465978208_O
Olha a bárbara arrasando ali atrás, de braços abertos!

Hoje, consegui falar com as minhas duas clientes no meu “UberAmbulância”. A menina do Fix2U é a Victória Schmidt Tognon. Eu entrei em contato pelo Facebook e perguntei se estava tudo bem e ela disse que sim, tinha sido apenas uma torção no joelho mas disse que na hora doeu muito e que ao colocar o pé no chão, não conseguia nem sentir a perna de tanta dor. Na verdade, ela se machucou no meio da apresentação (naquela hora do “vamos pular”) mas continuou dançando até o momento que ela desabou ao final. Perguntei a ela porque ela tinha continuado mesmo machucada e com dor e ela respondeu com estas palavras: “eu continuei por causa das meninas, ensaiamos tanto para aquele momento… eu não queria estragar tudo, mesmo doendo muito eu continuei por elas”. Fiz a mesma pergunta para a Bárbara e ela me respondeu assim: “desde a primeira fase do KDT, nós ensaiamos tanto! Passamos por muito stress e momentos ruins, mas não desistimos. Eu me sentiria péssima se não apoiasse meu grupo até o final. Foi a primeira vez em muito tempo que todas as integrantes do Venus se juntaram em uma coreografia. E de alguma forma eu sabia que com todo o apoio que todas estavam me dando, eu melhoraria o suficiente pra apresentar. E eu sabia também que me arrependeria depois, caso não tivesse dançado.”

13576818_1109230405790053_7101690805137439271_O
A victória é essa de laranja aí na frente. Só tem uma palavra pra descrevê-la: guerreira!

Consegui falar também com o herói que a carregou até o carro. Ele é o Edson Freitas do grupo Hot Synergy, um cara que já ganhou o meu respeito. Comentou que já passou por momentos em que não havia ninguém para o ajudar e que por isso sempre ajuda quem precise dele. A tal menina que parecia frágil (mas que no palco se transforma, wow…) era a Shun, líder do grupo K★RNG. De uma certa forma, a Victória, a Bárbara, o Edson e a Shun me mostraram algo muito mais bonito do que uma coreografia bem treinada ou do que a cultura coreana rompendo barreiras. Neles, consegui ver o valor que representam os nossos amigos de verdade, que lutam juntos em espírito de equipe. Que brigam mas fazem as pazes depois, que estão juntos nas alegrias e nas tristezas. E esse é o mesmo espírito que eu vi dentro da galera da K.O. Entertainment com o Koreapost para organizar o KDT. Gente que não ganha nada em troca mas como disse no começo do texto, trabalha sem retorno financeiro algum apenas para oferecer aos amigos um evento estruturado e de alto nível.

Valeu a pena e agora quero estar no próximo KDT, mas sem machucados ou feridos, please… rsrsrs… Parabéns a todos os envolvidos e a todos os competidores. Parabéns Lucas Jotten e família K.O Entertainment, o evento foi lindo! Be fearless!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

4 COMENTÁRIOS

  1. Sobre o evento: foi tudo lindo, queria mais kkk😍😍😍
    Fiquei sabendo do q aconteceu com as meninas, obg por ajuda-las Bruno Uber ❣ kkkk
    Gostei tbm dessa primeira foto aii :p

  2. Olá, Bruno, tudo bem? Queria pedir a tua ajuda. Eu estou escolhendo um nome coreano pra mim (sim!) e estou na dúvida.
    Entre sites e sites escolhi Baek Min Na.
    Uma amiga minha que estuda coreano disse que nunca viu esse nome, portanto não sabia dizer se “existia” mas eu gosto tanto dele! Tu podes me dizer se já viu ou se acha normal, bom para um nome? Eu também não achei o significado. Agradeço desde já!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.