Você sabia que existe um filme coreano que é a adaptação de um filme brasileiro? Pois é.

Casa Amor: Exclusive for Ladies (título alternativo: Working Girl) é um filme de 2015, dirigido por Jung Bum Shik, e é a adaptação do filme De Pernas Pro Ar (2010), de Rodrigo Santucci.

Cho Yeo Jeong interpreta a Baek Bo Hee, baseada na Alice de Ingrid Guimarães. Como na versão original, Bo Hee é uma funcionária workaholic cheia de potencial de uma empresa de brinquedos (infantis – hehe). Para ser promovida, ela precisa apresentar um produto novo para investidores internacionais – mas, devido a uma confusão na retirada de pacotes na portaria do seu prédio, ela acaba pegando o pacote de Oh Nan Hee, moradora do mesmo prédio, interpretada por Clara, que na versão original é a Marcela interpretada pela Maria Paula. Como na versão brasileira, ela não confere o conteúdo antes da apresentação (o que me deixa inconformadíssima nos dois filmes) e acaba mostrando brinquedos sexuais ao invés de infantis aos investidores – o que acarreta (obviamente) na sua demissão.

Alice e Marcela
Alice e Marcela
Bo Hee e Nan Hee
Bo Hee e Nan Hee

Num geral, a versão coreana é uma adaptação bem fiel da original, tendo inclusive falas e cenas quase iguais – como, por exemplo, a cena do elevador logo após a apresentação que causa a demissão da protagonista, com ela segurando a caixa cheia de brinquedos sexuais rodeada de (ex)colegas de trabalho que são a encarnação do estereótipo de executivos: todos usando ternos pretos, com expressões sóbrias. Algo começa a vibrar e a personagem, achando que é um dos vibradores, abre a caixa e começa a tirar os brinquedos – atraindo a atenção de todos que estão no elevador -, até que outra mulher atende o celular.

Entretanto, diferentemente do filme brasileiro, o universo particular dos personagens principais pareceu ser construído com mais informações. No filme coreano parece demorar mais até chegar na cena da desastrosa apresentação (que é o início do enredo principal nos dois filmes), pois há uma caracterização mais detalhada do ambiente de trabalho da protagonista. Os funcionários usam os brinquedo infantis no dia-a-dia da empresa, o que leva a uma imagem bizarra de uma mulher adulta usando um terninho preto andando naqueles carrinhos infantis motorizados e usando tiaras com orelhas de bichinhos enquanto trabalha, mas é justamente nesse estranhamento que está o humor.

Existem, inclusive, várias cenas de duração considerável na perspectiva do marido. Diferentemente do João (Bruno Garcia), que é arquiteto, Koo Kang Sung (Kim Tae Woo) é professor universitário de arte. Por conta da dedicação da mulher ao trabalho (e à falta de experiências sexuais satisfatórias por parte dela), ele está sofrendo pela falta de sexo (eh, coitadinho). Ao contrário dele, seu colega de trabalho sofre com o apetite sexual voraz da esposa, que o “utiliza” até a exaustão, a ponto de lhe causar sangramentos nasais (EH, COITADINHO). A interação desses dois opostos causa certo divertimento, mas a certa altura chega a ficar um pouco forçado.

Para ser sincera, várias coisas me pareceram forçar a barra na versão coreana: muito choro, hospitalização desnecessária, muitas cenas de sexo (algumas inclusive meio estranhas), e aquele bom e velho drama coreano. Mas talvez eu tenha achado tudo isso forçado por já conhecer a versão original. Afinal de contas, é a adaptação de um filme ocidental sobre um assunto que é um tabu mais forte na Ásia do que por aqui – sexualidade feminina -, precisava de elementos comuns aos filmes coreanos para tentar agradar ao público coreano.

Algumas mudanças foram feitas: Bo Hee tem uma filha, Ha Yoo (Kim Ha Yoo), enquanto Alice tem um filho, o Paulinho (João Fernandes); entretanto, Ha Yoo adora videogames e está no time de futebol da escola, assim como Paulinho. Quanto à Nan Hee, temos uma visão maior do psicológico da personagem, havendo até um pequeno flashback. Ela ganha até um par romântico com uma história que se desenrola durante o filme! E o ator que interpreta o par romântico dela é ninguém mais, ninguém menos que Go Kyung Pyo – mais conhecido pelo papel do Sun Woo, de Reply 1988. Além disso, a empregada doméstica de Bo Hee (que, assim como na versão brasileira, é a melhor personagem do filme inteiro), é interpretada pela incrível Ra Mi Ran, que inclusive também participou de Reply 1988.

Bo Hee, Ha Yoo e Kang Sung
Bo Hee, Ha Yoo e Kang Sung

Acredito que Casa Amor funcione muito bem como uma adaptação; além disso, me tirou boas risadas. É um bom filme para assistir quando se quer espairecer.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.