Hoje vocês vão se divertir bastante: vou contar a vocês sobre a minha primeira viagem à Coreia! Ela aconteceu em 1996, quando eu tinha 22 anos, ou seja, 20 anos depois que saí de lá com a minha família. Eu estagiava na Samsung em São Paulo e fui enviado junto com colegas coreanos e não coreanos para Suwon e depois para Seul em um treinamento de dois meses em uma das fábricas e na sede da empresa. Sabia que seria uma excelente experiência, só não esperava que voltaria com tantos amigos e tantas aventuras para contar!

Participantes Do &Quot;Program For Future Global Managers&Quot; Da Samsung Em 1996
Participantes brasileiros do “program for future global managers” da samsung em 1996

Naquela época o aeroporto internacional de Seul ainda era o Kimpo Airport e a viagem demorava em torno de 30 horas. Ao levantar do assento, lembro bem da sensação de que a minha bunda tinha afundado de tanto ficar sentado! Outra lembrança é do calor e da umidade que senti assim que a porta da aeronave foi aberta, pois cheguei em julho durante aquelas semanas de altas temperaturas. Quem já esteve por lá no verão sabe que é algo como o clima de Manaus ou Foz do Iguaçu no verão, só que muito pior!

Gimpo International Airport Na Década De 90.
Kimpo international airport na década de 90.

“Quanto coreano tem por aqui…”, foi o que mais pensei durante os meus primeiros dias na Coreia. Pois é, para mim era super estranho ver tantas pessoas de olhos puxados ao meu redor, depois de ter crescido no Brasil, a todo momento achava que tinha visto algum amigo coreano meu pois todos eram muito parecidos! E durante esse período inicial, percebi que era coreano e ao mesmo tempo não era coreano, apesar de eu sempre ter achado que eu tinha guardado dentro de mim uma certa identidade das minhas raízes. Talvez uma das razões para tal tenha sido o meu jeito diferente de ser coreano. Por influência dos meus pais e avós, minha maneira de pensar e agir e o meu jeito de falar eram de décadas passadas.

Foram dois meses de muito trabalho, mas deu para me divertir muito também! Tenho diversas histórias engraçadíssimas para contar! Uma delas é quando eu e alguns dos meus colegas estávamos andando na rua e cruzamos com uma loira, numa época onde era mais difícil de ver não coreanos no país. “Olha, que gata”, disse bem baixinho um dos amigos em português. A moça simplesmente vira para trás e diz “vocês são brasileiros??”. Era a esposa de um jogador de futebol brasileiro… nossa, se tivesse um buraco no chão tinha enfiado a minha cabeça lá! Outro caso envolvendo mulher foi quando fomos numa churrascaria brasileira e encontramos a Miss Coreia 1996 Lee Eun-hee (irmã do famoso ator Lee Byung-hun) comemorando o seu aniversário com amigas. Claro, fomos lá tirar foto e demos muitos beijinhos e abraços! E claro, as amigas dela ficaram horrorizadas, mas acho que ela gostou pois depois enviou metade do bolo pra gente!

Meus Cantores Preferidos: Shin Seung-Hun (Esquerda) E Kim Gun-Mo (Direita)
Meus cantores preferidos: shin seung-hun (esquerda) e kim gun-mo (direita).

Confesso que não conhecia muito bem a cultura coreana além do básico. Não ouvia música coreana, por exemplo. Voltei de lá com diversos CDs de artistas como Shin Seung-hun e Kim Gun-mo (hoje, meus favoritos de todos os tempos) e pensando em como é que eu nunca tinha me interessado por eles antes. Durante a minha estada, conheci diversos lugares turísticos mas aqueles que ficaram na minha memória foram os pequenos restaurantes e os becos da cidade, que me proporcionaram uma experiência bem autêntica. E falando em autenticidade, também tenho histórias para contar sobre o uso daqueles infames vasos sanitários que ficam na altura do chão mas vou deixar para lá, senão vou passar vergonha aqui! 🙂

Depois desta viagem, nunca mais fui o mesmo. Se no começo senti algum incômodo pelas diferenças culturais, comecei a sentir saudades da Coreia antes mesmo de partir. Voltei diversas vezes para lá mais tarde, mas esta primeira viagem abriu meus olhos para a minha identidade como pessoa. Antes, não entendia bem quem eu realmente era e nem valorizava o meu passado. Esta viagem serviu para me mostrar o quão importante é sabermos quem somos e de onde viemos. Não vou dizer que virei 100% coreano, mas deixei meu coração aberto com interesse para aprender mais sobre os meus antepassados e o lugar onde eu nasci.

 


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

14 COMENTÁRIOS

  1. Ebaaa texto fresquinho!!!!
    Me divirto com a forma como o senhor escreve;ri muito com a história da loira. Bem que poderia ter o “minha primeira viagem parte 2,né?!
    Obrigada.

  2. Aquele ali é o Willy? 😀
    Eu tb fui uma primeira vez para a Coréia, em 1991, aos 17anos, onde tive experiências bem engraçadas tb.
    Dentre elas, em busca de diversão no subsolo do hotel, fomos inadvertidamente atraídos pela música “Unchain my heart”, na voz de Joe Cocker, para uma boate com assentos em forma de corações vermelhos em um beco, trajados de bermudas e chinelos havaianas, de onde fugimos correndo de um maitre trajado em um terno brilhante cafona. O barato era experimentar as diversas bebidas de ginseng pq alguém falou que dava barato… 😀

  3. Nossa, que texto legal.
    Adoro todos os seus posts, Bruno. Mas esse é um pouco mais especial justamente por você compartilhar conosco esse momento que acho que é um dos mais interessantes na vida de uma pessoa que cresce em outro país e num determinado momento revive e encontra suas verdadeiras raízes. Achei bem engraçada a parte da loira hahahaha
    Ainda não tive a oportunidade de conhecer a Coréia mas um dia com certeza o farei.

    Até semana que vem~

  4. Adoro seus posts. Obrigada por compartilhar um pouquinho de seus momentos na Corea. Eu estou esperando minha filha terminar a Faculdade, para fazermos nossa primeira viagem à Corea. Espero que seja tão divertida como a sua.

  5. Tive o previlegio de morar 1 ano na coreia ( cidade- incheon)
    Conheci seul e fiquei apaixonado, pretendo voltar um dia.
    Quem tiver a oportunidade de ir, vá,pois nao vai se arrepender.
    Se alguem quiser me add no facebook tai….Diego Chagas- incheon
    Abraco

  6. Ô Bruno, que bacana, compartilhamos o gosto pelo mesmo artista. Escuto bastante as músicas do Shin Seung Hun.
    A propósito, super legal o relato sobre a 1ª viagem a Coreia!

  7. Me divirto muito com seus posts,coincidência …também trabalhei na Samsung(fabrica) de Campinas, creio que você era da sede de São Paulo.Vi muitos amigos item para a Coreia devido a treinamento dado pela empresa, e em suas bagagens traziam muitas histórias interessantes e o quanto eles não queriam vir embora (rsrsrs).Foi a partir da empresa que começei a me interessar pela cultura e língua,pessoa curiosa ,observadora…sim o comportamento dos coreanos me fascinavam…Mas é incrível como em poucas palavras você consegue fazer que nòs entre nesse “mundo” tão surpreendentemente fascinante.

  8. Adoro ler os seus posts Bruno! Até fiquei Imaginando a cara de vcs quando a loira se virou e perguntou se vcs eram brasileiros..haha…, realmente deve ter sido uma experiência fantástica pra vc que cresceu longe da Coréia, garanto que tem muito mais coisas pra contar! Faz um segundo post contando mais pra gente! Beijos…Bruno e até próximo post..

  9. Ei, tudo bom? Gostaria de saber se você se lembra qual churrascaria era em que encontrou a miss, penso que pode ser uma churrascaria brasileira em que meu pai trabalhou, a miss 1996 esteve lá também, estou tentando reencontrar os antigos amigos deles de lá, pois ele não se lembra dos nomes.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.