Mystic Pop-up Bar | Hangul: 쌍갑포차| Ano: 2020 | Episódios: 12 | Emissora: JTBC – distribuído pela Netflix

Olá dorameiros e dorameiras iguais a mim, como vocês estão?

Sejam bem vindos ao bar itinerante, fiquem à vontade para comer, beber e contar sobre os seus problemas, há uma pessoa que pode ajudar vocês então… “Você quer beber comigo?”

Nesta publicação, venho recomendar um drama, com episódios lançados entre os meses de Maio e Junho na Netflix e possui os gêneros: drama (o que não pode faltar, não é mesmo?), fantasia, mistério (o que deixa um sabor “de quero mais” em cada episódio), comédia (o que deixa o drama bem leve), ficção sobrenatural e embora não seja o foco, também tem aquele leve romance.

Mystic Pop-up Bar foi baseado em uma Webcomic denominada de “Ssanggabpocha” ou “Twin tops bar”, escrita por Bae Hye Soo, publicada em Junho de 2016 e apesar de ter apenas 12 episódios (cerca de 1h08min de duração), a trama tem início, meio e fim, ou seja, posso considerá-lo como um drama que possui um roteiro bem elucidado, não deixando lacunas (apesar de que particularmente senti falta de mais detalhes no final, mas que não atrapalhou a compreensão de toda história) e você pode se emocionar e dar boas risadas ao mesmo tempo.

Foto: Netflix

A ficção se inicia no período da dinastia Joseon, em Hanyang, onde vivia uma jovem chamada Wol Ju (Hwang Jung Eum), filha de uma xamã que possuía o dom de ajudar as pessoas, por meio dos sonhos delas (apanhadora de sonhos). A vida de Wol Ju era simples e humilde e a mãe dela estava preocupada que a jovem vivenciasse o mesmo destino que ela, por isso, pediu que ela não utilizasse seu dom.

A vida de Wol Ju começa a desandar, quando a família real, solicita a presença da mesma para ajudar o príncipe herdeiro a solucionar o problema que tanto o perturbava, já que a árvore sagrada que protegia Hanyang e os moradores, não conseguiu solucionar (ao longo dos episódios, você poderá compreender os motivos que levaram Wol Ju a um triste destino).

Foto: Netflix

500 anos se passaram e Wol Ju se encontra como dona de um bar itinerante que está aberto apenas no horário noturno, localizado em um estacionamento, na capital. Mas, ela não está administrando esse bar porque gosta e sim por um castigo determinado por Yeomradaewang (Yum Hye Ran), a responsável pelo purgatório (para saber o motivo do castigo, só assistindo ao drama).

Para livrar-se do cruel destino eterno que a aguarda, Wol Ju tem a missão de curar cem mil mágoas dos seres humanos e infelizmente seu tempo já está se esgotando (tanto que 500 anos se passaram e ela não havia concluído a meta) e ela precisa se apressar, ou terá que encarar o castigo eterno.

Apesar do desafio que era lidar com seres humanos (motivo de seu rancor e mau-humor devido ao triste passado, sendo alvo de fofocas e preconceito), ela teve que encarar essa missão.

Foto: Coffeecaramello

Porém, ela não está sozinha, o Chefe Gwi (Choi Won Young) que era um importante detetive da vida pós-morte que caçava e prendia espíritos malignos, tornou-se responsável por monitorar e ajudar Wol Ju à alcançar seu objetivo, além de ser um ponto de equilíbrio para ela.

E como Wol Ju e o Chefe Gwi ajudam os seres mortais a curar suas mágoas? Primeiro, os clientes que tem mágoas internas acabam encontrando o bar e enquanto consomem bebidas e deliciosos alimentos cozinhados pela dona, Wol Ju tenta fazer com que as pessoas falem um pouco sobre o que os aflige e assim ela pode ajuda-las. Porém, ela logo percebeu que é bem difícil fazer com que as pessoas do século XXI desabafem com “estranhos”.

Foto: Han Cinema

Enquanto isso, Han Kang Bae (Yook Sung Jae, do grupo BTOB), um jovem trabalhador temporário de um supermercado no setor de atendimento ao cliente, evita ao máximo tocar nas pessoas que atende. Por um descuido, quando o cliente toca nele, algo inusitado acontece: um sino toca, ou seja, ele tem um o dom espiritual de fazer as pessoas falarem seus verdadeiros sentimentos, mágoas e problemas que as aflige.

Entretanto, para Kang Bae, isso não é algo bom, pois esse dom só o prejudica. Ele só queria ser uma pessoa comum, ter contato físico com as pessoas, não ser alvo de discriminação, e também de poder se apaixonar e viver um romance.

Foto: Kstationtv

“Sentimentos sinceros sempre são belos? Em 27 anos de vida, percebi uma coisa. Para se dar bem com os outros, é melhor não saber o que eles sentem.”

Por uma ironia do destino, ele encontra Wol Ju e o Chefe Gwi no bar itinerante e termina por ser contratado como funcionário de meio período utilizando seu dom e ajudando Wol Ju a alcançar seu objetivo, mas, isso não virá de forma gratuita.

Foto: Starbiz

Nesse drama também, podemos retirar lições: Uma delas é que toda escolha possui uma consequência, podendo ser boa ou ruim e o bom é que muitas das vezes, temos uma segunda chance. Também há a lição de que todos nós carregamos algo que escondemos e precisamos nos curar. E por último, sentimentos sinceros, nem sempre são belos e podem machucar.

Será que Wol Ju, conseguirá concluir sua missão? Qual o futuro do Chefe Gwi e do Ssanggab Cart Bar? Kang Bae conseguirá viver um romance e ser uma pessoa normal? Por que Kang Bae apareceu na vida de Wol Ju?

Para encontrar todas as respostas, só conferindo os episódios. Espero que gostem e se divirtam!

Foto: JTBC

Aqui você pode experimentar um pouco de Mystic Pop-up Bar. Vocês também podem comentar qual sua opinião sobre essa produção:

Trailer: 

OST1:


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.