O “Coreanos pelo Mundo” de hoje vai nos levar ao espaço com Yi So-yeon, nascida em Gwangju, no dia 2 de junho de 1978. Imagine chegar em sala de aula para mais um dia de estudo do seu MBA e saber que a colega que senta ao seu lado, conseguiu chegar onde poucos humanos estiveram: ao espaço.

Exatamente, a primeira pessoa de nacionalidade coreana a ter esta oportunidade foi a cosmonauta e também doutora do Instituto de Ciência e Tecnologia Avançada da Coreia do Sul (KAIST) Yi So-yeon. Sua trajetória é bastante comovente, já que, segundo entrevista que concedeu à revista americana Cosmopolitan, ano passado, a cultura tradicional sul-coreana poderia tê-la impedido de seguir seus objetivos.

Ela nasceu em uma região de pequenos fazendeiros, onde as mulheres, em um passado não muito distante, não frequentavam a escola. Sua avó, assim como outras cidadãs da mesma época, não tiveram a oportunidade de saber ler e escrever.

Mas So-yeon, com a ajuda do programa educacional do governo sul-coreano, em especial para jovens com dificuldades financeiras, conseguiu perseguir seu sonho. Da própria família, ela afirmou ter adquirido a inspiração para a engenharia, já que auxiliava o pai no concerto de máquinas em casa, aos 10 anos de idade. Em diversos momentos da sua carreira ela seria a única mulher presente e, em diversos momentos, foi questionada por seus colegas homens sobre a razão de estar entre eles. Contudo, a determinada jovem pouco ligou e hoje tem uma história de vida e tanto para contar. Aqui vamos expor alguns momentos desta trajetória, baseados em informações adquiridas em variadas fontes da internet.

Yi começou a carreira obtendo títulos de bacharel e mestrado em mecânica na KAIST em Daejeon. Ela também se tornou doutora em sistemas biotecnológicos em 29 de fevereiro de 2008, pela mesma instituição. A caminhada que a levaria até a nave russa Soyuz TMA-11 começou no final de 2006, durante o processo seletivo do programa espacial sul-coreano, no qual ela foi um dos finalistas, juntamente com seu conterrâneo, o pesquisador Ko San.

Yi So Yeon. Foto: The Daily Californian
Yi so yeon. Foto: the daily californian

Primeiramente, ele fora o preferido pela Coreia do Sul para ser enviado aos treinamentos finais na Rússia, em razão de ter conseguido melhores resultados nos testes finais, o que fez de So-yeon uma substituta. Contudo, em 2008, a Agência Espacial Russa solicitou a troca devido a problemas como violações das regras internas da agencia, cometidos por Ko San, durante os estágios finais do treinamento para o voo espacial. Assim, Yi So-yeon acabou juntando-se à equipe principal da missão Soyuz TMA-12.

Em 8 de abril de 2008, ela foi lançada ao espaço junto com os cosmonautas Sergey Volkov e Oleg Kononenko para estadia a bordo da ISS (Estação Espacial Internacional). A cosmonauta sul-coreana foi incumbida de realizar oito experimentos científicos para o Instituto de Pesquisa Aeroespacial da Coreia do Sul (KARI), a exemplo do comportamento de moscas em microgravidade, o crescimento de plantas e as mudanças causadas pela falta de gravidade em seu coração, olhos e face. Yi So-yeon fotografou a si mesma seis vezes ao dia com uma câmera especial, no intuito de registrar as mudanças ocorridas em momentos diferentes do dia e da noite.

O retorno da cosmonauta à Terra foi realizado em 19 de abril, após onze dias em órbita, juntamente com a astronauta dos Estados Unidos Peggy Whitson, comandante da Expedição 16, e o cosmonauta Yuri Malenchenko.

A volta à Terra teve problemas para a equipe, já que a nave Soyuz apresentou falhas no seu funcionamento, levando os tripulantes atingirem a atmosfera numa trajetória balística mais acentuada que o normal, submetendo-os a uma força gravitacional dez vezes maior que a sentida na superfície terrestre. Outra questão que se soube na ocasião é que a cápsula da nave aterrou 420 km fora do local de pouso original, no Cazaquistão. Contudo, apesar do ocorrido, que poderia causar sérios problemas físicos à equipe, após alguns dias sob observação médica, eles foram liberados sem terem apresentado qualquer dano de saúde grave, ou leve.

Após a sua jornada espacial, Yi So-Yeon tornou-se pesquisadora do KARI e embaixadora espacial da Coreia do Sul pelo mundo, junto com seu colega Ko San. Em agosto de 2014, ela renunciou ao cargo, alegando questões pessoais para tanto. Em entrevista na época, ela afirmou estar preparando-se para casar com um coreano-americano e que desejava fazer um MBA.

Sua decisão pôs fim ao programa espacial sul-coreano. Após sua graduação do curso na Universidade da Califórnia, na Berkeley Haas School of Business, So-yeon Yi juntou-se ao corpo de astronautas comerciais da Associação de Profissionais de voo espacial. Ela serve também no conselho de diretores da instituição.

Vivendo atualmente em Seattle, EUA, ela descreveu à revista Cosmopolitan um pouco da sua experiência: “Você nunca se aborrece no espaço ou dessa visão da Terra. Mesmo que eu descreva isso durante dois dias e noites, ou um mês inteiro, não posso fazer justiça. É muito incrível. Parece exatamente o que fazemos no Google Earth, mas estando, desta vez, ao vivo. Lembro de segurar a respiração e procurar por meu país. Levamos apenas 90 minutos para fazer uma órbita completa da Terra e apenas alguns segundos para passar a Coreia. Isso faz você se sentir muito pequeno. Foi o momento que atingi o maior nível de foco da minha vida, pois não é possível pensar em outra coisa”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.