Foto: The Daily Beast.

Steven Yeun, desde seu último trabalho no filme bem recebido pela crítica cinematográfica mundial “Em Chamas” (2018), tem encontrado um dilema que até então possivelmente não fazia parte da sua vida cotidiana: quem sou eu? E a que lugar pertenço? Diferentemente de outros atores coreano-estadunidenses, Yeun teve a oportunidade de estar em um set de filmagens na Coreia do Sul e saber os contrastes desta indústria com a forma de trabalhar do ocidente, especificamente de Hollywood. Porém, foi algo maior que apenas uma experiência profissional, tendo o ator a oportunidade de conhecer mais sobre si, ter conexão com uma parte de sua personalidade, que ele jamais tinha estabelecido qualquer vínculo anteriormente.

Durante o Festival Internacional de Cinema de Toronto, em 2018, em entrevista para o apresentador Tom Power, o ator colocou esta sensação nas seguintes palavras: “o olhar e as lentes do mundo ocidental não estão mais sobre você. Você não precisa se explicar … você pode simplesmente ser”, tal constatação, segundo a rádio CBC do Canadá diz muito sobre o significado de ser um ator coreano-estadunidense. No fundo, o ator parece também sentir o que muitos dos descendentes e imigrantes em geral pelo mundo constatam: não pertencer totalmente a lugar algum. E, em uma área tão exclusivista como a cultural, esta situação parece tomar proporções maiores.

Steven Yeun nasceu em 21 de dezembro de 1983, em Seul, Coreia do Sul. É casado com a fotógrafa Joana Pak e têm dois filhos. Ficou conhecido por interpretar o personagem Glenn Rhee na série de terror “The Walking Dead”, da American Movie Classics (AMC), e, mais recentemente, por seu papel no filme de suspense “Em Chamas”, do diretor Chang Dong-lee. Por este último, ele ganhou o prêmio da National Society of Film Critics, que fica em Nova Iorque, na categoria Melhor Ator Coadjuvante. Recebeu ainda prêmios de outras entidades de críticos importantes como o da Toronto Film Critics Association; e foi indicado para o Grand Bell Awards e Blue Dragon Film Awards. O ator ainda desempenhou papéis coadjuvantes nos filmes “Okja” (2016), de Bong Joon-ho e “Sorry to Bother You” (2018), de Boots Riley. Também esteve em um episódio da 3ª temporada de “The Big Bang Theory”, “The Staircase Implementation”, dando vida ao personagem Sebastian.

A família de Yeun é toda proveniente da Coreia do Sul. Seu pai era arquiteto antes de mudar em 1988 para Regina, Saskatchewan e depois para Michigan. O ator foi criado em Troy, Michigan. Em entrevista para Oliver Singer da “Interview Magazine”, ele afirmou que seus pais começaram a chamá-lo de “Steven” depois de conhecer um médico com esse nome, e que a família possuía lojas de produtos de suprimentos de beleza em Detroit. Ele se tornou bacharel em psicologia com especialização em neurociência, graduando-se na Kalamazoo College, em 2005, onde conheceu o escritor, produtor, comentarista político e comediante Jordan Klepper e, assim foi parar na Second City, uma empresa especializada na improvisação direcionada à comédia. Foi assim que desistiu de ser médico, sonho de seus pais. Porém, apesar das reticências, ambos o apoiaram em sua decisão.

Steven Yeun como o sociopata Ben em “Em Chamas”. Foto: Thunderbird Releasing/Independent UK.

O interesse de Yeun em atuação e improvisação veio durante seu primeiro ano em Kalamazoo, quando ele assistiu ao grupo da faculdade, Monkapult. Desta forma, ele decidiu fazer um teste para Monkapult, sendo aceito apenas em uma segunda oportunidade. Mudou-se para Chicago em 2005 e passou a viver com o irmão. Logo após a formatura, ele se juntou a Stir Friday Night, um grupo de comédia composto de membros asiático-estadunidenses. Em 2010, veio a oportunidade para interpretar o papel Glenn na série com maior audiência na história da televisão a cabo.

Posteriormente conseguiu outros trabalhos como ator coadjuvante, que seriam grandes momentos para a sua carreira como a produção Okja, que competiu pela Palma de Ouro na principal seção de competição do Festival de Cinema de Cannes de 2017, e a participação em Sorry to Bother You, que ganhou os prêmios Top Ten Independent Films do National Board of Review e melhor roteiro e primeiro lugar no Independent Spirit Awards de 2019. Yeun ainda emprestou sua voz para personagens de filmes e séries animadas. Um deles foi Steve Palchuk em “Trollhunters”, série de três temporadas da Netflix e que conta com a criação de Guillermo del Toro, lançada ano passado. Entre projetos futuros estão a participação em um episódio de “The Twilight Zone” (2019), da CBS All Access e em oito episódios da série animada Invincible”, adaptação dos quadrinhos de Robert Kirkman, a ser lançada em 2020 pela Amazon Prime.

Em “The Walking Dead”. Foto: E! News.

Jacob Stolworthy do Independent britânico, em um artigo publicado em 31 de janeiro de 2019, descreveu Steven Yeun como “amável, efusivo e inteligente, nunca se esquivando de tópicos potencialmente contenciosos”. O jornalista ainda comentou o receio do ator com o papel em “The Walking Dead”. Ele temia que a participação na série definisse sua carreira por anos. Na oportunidade, o ator descreveu sua experiência profissional tanto nos EUA, quanto na Coreia da seguinte forma: “uma pessoa asiática se parece com um público branco maioritário, mas na Coreia, os personagens são apenas humanos, porque eles não estão pensando nesta questão racial. Eu não tinha que representar todos os asiáticos no filme ‘Em Chamas’. Eu poderia apenas ser eu mesmo”.

Tal experiencia fez com que Yeun tivesse o sentimento de não pertencer a lugar algum. Um homem sem país. “Hoje em dia sinto minha alteridade em todas as situações. Se eu for para a Coreia, há lembretes de que não sou totalmente coreano. Existem questões culturais e históricas que eu não tenho, pois não fui criado lá. Há coisas que fazem parte da identidade coreana, e eu estou perdendo partes dela”. Em entrevista para a revista GQ, Yeun revelou que tal condição o ajudou a interpretar Ben, do filme “Em Chamas”. O diretor Chang Dong-lee, principalmente, foi o que mais incentivou a permanência dos traços da “americanidade” do ator, pois elas contribuiriam muito bem para ajudar com a ambiguidade do personagem.

Em “Okja”. Foto: Inverse.

Para o Independent, o ator ainda falou sobre a popularidade na web: “a internet nos fez sentir sem direção. As pessoas estão realmente com medo de ficarem sozinhas e eu entendo esse sentimento. Pode levá-los a tentar encontrar lugares inclusivos onde você possa não se sentir tão só”. Sobre o sucesso do filme “Podres de Rico” (2018), com a direção de Jon M. Chu, Yeun acredita que a produção auxiliou a ampliar as possibilidades para uma representação maior da diversidade cultural em Hollywood. Ainda sobre o problema de ter a carreira definida por um personagem, o jornalista escreveu que, nos últimos anos, Yeun tem procurado papeis tão distantes quanto possível do simplório de Glenn.

“No sociopata Ben, parece que ele encontrou a antítese de seu personagem em Walking Dead – e, no processo, uma referência para papéis futuros”. Sobre esta questão o artista falou que experienciou angústias extremas, tanto ter a carreira marcada por um trabalho em especial, quanto à sensação de cair no esquecimento pela indústria. Mas com a participação em “Em Chamas” ele, sorrindo e aliviado, salientou o entrevistador, comentou que é única a sensação de não ser definido por nada, nem ninguém.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.