Estamos a um mês do evento global de futebol realizado a cada quatro anos.

Na primeira Copa do Mundo FIFA do leste europeu, a anfitriã Rússia preparou 12 estádios em 11 cidades, incluindo o estádio Luzhniki em Moscou, onde será realizada a final.

Enquanto o mundo está na febre da Copa Mundial, o mesmo não acontece na Coreia do Sul, cuja seleção está entre as 32 competidoras pelo título.

(Imagem: Korea Times)
Poucos espectadores assistiram ao jogo da K-Leage dentre Ulsan Hyundai e Jeonbuk Hyundai Motors no Estádio de Futebol Munsu, em Ulsan. (Imagem: Korea Times)

Em Seul, a maioria das pessoas nem aparentam saber se o evento ocorre em junho, ou ainda este ano. Muitos dos entrevistados responderam:  “Já é a Copa do Mundo?”

Os esportes não estão morrendo em Seul. Isto prova a alta popularidade da Liga Coreana de Beisebol. Suas partidas nacionais costumam atrair dezenas de milhares de espectadores, com muitas disputas emocionadas entre os torcedores fanáticos de equipes rivais. Mas não é o mesmo nos campos de futebol.

Há diversos motivos pela falta de interesse dos coreanos na Copa do Mundo.

A situação na Península Coreana e a histórica cúpula inter-coreana do dia 27 de abril agarrou a atenção do público. As questões trouxeram os líderes do Leste Asiático, os EUA e Coreia do Norte à mesa para buscar um caminho de paz na região e no mundo em geral. A antecipação da Copa do Mundo se evaporou em meio a esse momento de gravidade e espera por laços inter-coreanos mais fortes.

(Fonte: Korea Times)
Jogadores da equipe sul-coreana de futebol levantam a bandeira nacional ao comemorar sua vitória sobre a Espanha nas quartas de final da Copa do Mundo de 2002. (Fonte: Korea Times)

“Acho que jogadores famosos como Son Heung-min devem fazer uma aparição surpresa em Running Man ou em outros programas de TV para promover a Copa do Mundo”, disse um colunista de futebol no Chosun.com, referindo-se ao maior programa de variedade da SBS. Ele acrescenta que os jogadores de futebol foram incapazes de atrair a atenção do público através de seu desempenho em campo e agora estão contando com os programas de TV.

As razões mais profundas por trás do baixo perfil atual da Copa do Mundo envolvem a fraca popularidade do futebol coreano, em contraste com o crescimento da Liga Coreana de Beisebol (KBL).

O futebol era mais atraente do que o beisebol, e seu pico de popularidade ocorreu em 2002 na Copa do Mundo realizada entre a Coreia e o Japão. A média de público em partidas de futebol foi acima de 14,600 durante o ano, enquanto o beisebol atraiu cerca de um terço dessa quantia. No entanto, após a Copa Mundial de 2002, o futebol nunca mais foi o mesmo em Seul.

A mudança chegou em 2008, quando o time sul-coreano de beisebol agitou o país ao derrotar Cuba, ganhando medalha de ouro Jogos Olímpicos de Pequim. No ano seguinte, o time alcançou a prata no Clássico Mundial de Beisebol. As duas temporadas de glória pregaram o boom do beisebol em todo o país.

(Imegem: Korea Times)
Torcedores lotam o estádio de Beisebol de Jamsil no dia 25 de março em Seul, onde Doosan Bears organizou uma partida contra o Lions da Samsung. O segundo dia da temporada regular da Liga Coreana de Beisebol contou com mais de 180 mil torcedores em cinco estádios do país. (Imagem: Korea Times)

Outro fator que atrai mais pessoas para a KBL em relação a liga de futebol é o sistema mais tradicional de clubes baseado em regiões, estabelecido quando a organização foi fundada em 1982. O sistema encoraja um maior envolvimento entre os fãs de diferentes cidades e províncias durante a competição.

Um analista de esportes disse: “O que realmente impulsiona a popularidade de ambos os esportes é a maneira como os torcedores se identificam”, ressaltando que a liga coreana de futebol, estabelecida em 1983, falhou em atrair os fãs devido a falta de um sistema de clubes baseado em regiões.

A disparidade entre a “cultura do estádio” para cada esporte também contribui para a popularidade do beisebol. Os fãs de beisebol, aproximadamente 50% do sexo feminino, têm mais do que o esporte para apreciar, como eventos de tela gigante entre as entradas (innings), líderes de torcida, churrasqueiras ao ar livre para “comer e assistir” e arremessos de abertura de jogo feito por celebridades. Já os estádios de futebol são geralmente ocupados por torcedores masculinos em sua maioria e ainda carecem de eventos participativos para os espectadores.

“O futebol está perdendo seu poder na Coreia”, disse Hong Myung-bo, ex-jogador sul-coreano e treinador da equipe nacional. Ele destaca a avaliação há muito conhecida do esporte na Coreia: “Há torcedores de futebol na Coreia, mas não há fãs de clubes de futebol”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.