Um em cada dois estudantes universitários acreditam que as condições do mercado de trabalho pioraram nesse ano, enquanto mais da metade dos pretensos candidatos a emprego disseram que queriam trabalhar para uma grande empresa ou uma empresa pública, segundo dados de uma pesquisa publicada esta semana.

Na pesquisa realizada pela Federação das Indústrias Coreanas (FKI), 52,6% dos 3.461 estudantes pesquisados disseram que as condições do mercado de trabalho se deterioraram um ano antes do esperado para os recém graduados. Apenas 2,6% responderam que as condições tinham melhorado um pouco, enquanto 26,5% disseram que não viram quaisquer alterações significativas. O resultado da pesquisa foi aparentemente similar às reais condições do mercado.

A taxa de desemprego das pessoas com idade entre 15 e 29 anos tem se mantido em torno de 10% nos primeiros nove meses do ano, após um pico em uma alta recorde de 12,5% em Fevereiro. A taxa de desemprego dos jovens chegou a 9,4% em Setembro, em comparação com a taxa de desemprego de 3,6% para toda a população.

A FKI não forneceu razões para a elevada taxa de desemprego, mas a sua pesquisa mostrou que mais de metade dos entrevistados queriam trabalhar tanto para um grande conglomerado quanto para empresas públicas.

Uma feira de empregos para estudantes universitários em Seul, no dia 05 de Setembro de 2016. Foto: Yonhap.

Apenas 5,3% dos entrevistados disseram que planejam procurar emprego em uma pequena ou média empresa. Isso possivelmente explica a alta taxa de desemprego dos jovens no país em que as empresas de pequeno e médio porte são responsáveis por quase 98% do emprego total.

Aparentemente reconhecendo a discrepância entre o que querem e o que está disponível, 15,4% dos entrevistados disseram que provavelmente irão acabar encontrando um emprego em uma empresa menor.

A FKI, o maior lobby empresarial na Coreia do Sul, que representa as 600 maiores empresas do país, também sugeriu que muitos estudantes universitários podem ter expectativas muito elevadas em termos de salário.

As pessoas que participaram da pesquisa disseram que desejavam ganhar uma média de 34,64 milhões de wons (R$ 120 Mil) no primeiro ano de faculdade. A FKI disse que essa quantia os colocaria entre os 32% da renda de todos os assalariados.

Os estudantes citaram a necessidade de reduzir o piso salarial entre as grandes e pequenas empresas, bem como os esforços para criar novos postos de trabalho para ajudar a reduzir a taxa de desemprego dos jovens. Isso vai obrigar as empresas a reduzirem voluntariamente a diferença de renda entre as grandes e pequenas empresas, enquanto o governo deve intensificar os seus esforços para criar mais empregos de qualidade“, conclui a FKI em um comunicado para a imprensa.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.