Kim Min-kyung, uma recém casada de 23 anos, diz que sua vida gira em torno do Instagram. Ela é uma grande fã de Im Ji-hyun, web celebridade e guru de beleza, a qual ela acompanha todos os passos. Im Ji-hyun é mais conhecida pelo seu apelido e nome de sua marca, Imvely.

“Olho o Instagram dela todos os dias para me atualizar. Preciso conferir o que ela está vestindo e o que está comendo”, disse Kim. “Eu acho que a capacidade de Im chamar a atenção de seus fiéis seguidores para a compra de itens, é notável”.

(Imagem: @imvely_official)
(Imagem: Instagram @imvely_official)

De acordo com um relatório da Strategy Analytics (SA), a taxa de penetração de usuários de mídias sociais na Coreia do Sul está aumentando, com 79,3% dos sul-coreanos entre 18 e 24 anos usando plataformas como o Instagram e Twitter em 2017.

Im Ji-hyun, que começou vendendo roupas quando as pessoas começaram a pedir pelos itens que ela comprava e postava em seu blog, hoje é membro sênior de uma empresa de moda e beleza, com vendas anuais acima de 80 bilhões de won (71 milhões de dólares). A companhia é liderada por seu marido, também considerado parte da primeira geração de influenciadores digitais.

invely-site

(Imagem: Site http://imvely.com)
(Imagem: http://imvely.com)

A Imvely expandiu offline com 10 lojas lançadas desde 2013, incluindo uma loja no centro de Seul, onde há muitos turistas japoneses e chineses. A marca até possui um outlet na loja de departamentos Lotte.

Visando explorar outros mercados asiáticos, a Imvely uniu forças com a empresa de moda chinesa Bosideng International Holdings Ltd. em 2016 para expandir não só roupas locais, mas produtos de beleza que ganharam enorme popularidade nos últimos anos.

Dados da indústria mostraram que as exportações de cosméticos fabricados na Coreia do Sul para a China aumentaram mais de cinco vezes nos últimos três anos devido ao crescimento da onda coreana, ou “hallyu”, que impulsionou a robusta demanda.

(Imagem: site http://en.imvely.com)
Loja Imvely em Hongdae, Seul. (Imagem: http://en.imvely.com)

Celebridades das mídias sociais e criadores de suas próprias marcas também são frequentemente procuradas por grandes empresas (até mesmo marcas de alto nível) por sua habilidade de conquistar seguidores leais, os quais podem fazer a diferença no mercado global.

Kim So-hee, dona e fundadora da Stylenanda (veja aqui uma reportagem que o Koreapost fez sobre a marca) uma das principais varejistas on-line da Coreia do Sul, tornou-se famosa quando os visitantes de seu blog começaram a comprar as roupas que ela escolhia.

Refletindo o sucesso desta fórmula de negócios, a gigante dos cosméticos francesa, L’Oreal completou recentemente a aquisição da empresa de maquiagem e moda Nanda Co., sob Stylenanda, marcando a primeira aquisição de uma empresa coreana feita pela L’Oreal. O preço da transação não foi divulgado.

De acordo com uma pesquisa conduzida pela consultoria Bright Local, 88% dos consumidores dizem confiar nas recomendações dos influenciadores digitais tanto quanto nas de seus amigos íntimos.

(Imagem: Instagram @Risabae_art)
(Imagem: Instagram @Risabae_art)

A Youtuber coreana de beleza Lee Sa-bae também montou sua empresa, Lee Sa-bae Art, com mais de 1,75 milhões de seguidores. Ela se tornou uma espécie de referência na indústria da beleza e está planejando unir-se com uma marca de alto nível. O nome da empresa ainda não foi divulgado.

“Eu me considero ‘Codeok’, uma abreviação de Cosméticos e Doekhoo, gíria para pessoas obsessivas”, disse a organizadora de casamentos de 27 anos, Park Ga-yeon. “Tenho comprado quase todos os produtos de beleza que Lee recomenda e estou absolutamente satisfeita”.

Essa tendência provavelmente continuará no futuro, tendo em vista que os departamentos de marketing dos varejistas e grandes empresas buscam aumentar seu orçamento para campanhas de influenciadores multifacetados.

A gigante sul-coreana Lotte montou a chamada “equipe de comércio dos influenciadores”, composta por jovens varejistas pela primeira vez no país. A equipe é composta por quatro profissionais de marketing com menos de cinco anos de experiência no setor.

A Shinsegae Department Store, uma grande varejista sul-coreana, também tem um número de analistas que estão investigando os próximos e novos influenciadores digitais, pois a empresa pretende entrar na mente dos jovens compradores.

Tais tendências de marketing se expandiram dos setores de beleza e moda para outros mercados varejistas, incluindo a indústria de alimentos.

O CJ Home Shopping convidou o  Youtuber, Edmmer, famoso por seus “meokbang” (que são vídeos que o apresentador grava a si próprio fazendo uma refeição, muitas vezes em grande quantidade, enquanto interage com os espectadores online) para o seu estúdio para vender produtos alimentares.

Especialistas dizem que o impacto dos influenciadores deve crescer no futuro, pois o uso de smartphones e outros meios de comunicação on-line conquistaram os consumidores, especialmente os mais jovens.

“As pessoas escolhem consumir o conteúdo, sabendo que o resultado final é vender algo”, disse a professora Kim Kyung-ja, da Universidade Católica da Coreia. “O que importa para eles é o quão interessante, original ou valioso o conteúdo é”.

No entanto, os especialistas também apontam as desvantagens para essas campanhas de marketing de influência, já que alguns consumidores ainda sentem que o conteúdo ou os produtos não parecem genuínos.

“Nós, profissionais de marketing, sempre nos preocupamos que o marketing de influenciadores possa tomar um rumo escorregadio se não for executado corretamente”, disse Kim Ji-won, especialista em marketing do Shinsegae Group. Kim acrescenta que a equipe está se esforçando para traçar uma estratégia onde a relação entre consumidores e influenciadores seja natural e o conteúdo não pareça forçado.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.