Para a maioria das pessoas, não é sempre fácil conciliar o tempo para ler um romance de 400 páginas com trabalho, tarefas domésticas e vida social.

Assim, hoje em dia, os leitores estão preferindo histórias minimalistas ao invés das longas, pois em meio à agitada vida estressante da cidade, a leitura não é apenas um passatempo relaxante e agradável.

Com a influência das mídias sociais, os jovens leitores tendem a divulgar seus hábitos de leitura ou livros favoritos publicando fotos ou trechos.

O que tornou a leitura, não mais uma atividade solitária, mas uma questão de mostrar suas coleções de livros e listas de leituras “obrigatórias” em um grupo. Quantos livros você leu se tornou um instrumento através do qual você pode ser julgado pelos outros.

Seguindo esta tendência emergente, os romances curtos tornaram-se populares na indústria editorial por oferecerem a mesma curiosidade instigante dos romances mais longos porem em menos páginas.

Os jovens leem livros em ritmo acelerado, sendo passatempos para uma pequena viagem ou tentam ler durante os finais de semana, quando estão cansados de notícias sensacionalistas“, disse Kim Mi-jeong, editor da editora Mimesis.

Assim como escritores e editores estão interessados em atrair a atenção dos leitores, nós, os editores, buscamos diversificar gêneros e formas de literatura, dependendo das diferentes demandas.”

Ëm junho, a editora Mimesis lançou sua série “Takeout” de romances de poucas paginas. A empresa pretende publicar 20 livros até dezembro. Assim como as pessoas compram café, os leitores podem pegar um livro do tamanho da palma da mão e se divertir. Para atrair leitores mais jovens que buscam novidade e exclusividade, os romancistas se uniram a ilustradores para adicionar imagens às literaturas.

Os romancistas receberam bem a nossa proposta porque entendem que os leitores mais jovens gostam de romances mais diretos, mas intensos, que exigem menos tempo para terminar.”

Ao questionar os escritores se isso não lhes preocupava, no quesito de transmitir sua filosofia ou mensagem através de livros curtos, Kim disse que eles são profissionais, e assim podem articular histórias de uma maneira sutil e fugaz.

Enquanto isso, a editora Biche publicou recentemente um conto de aniversário de Haruki Murakami, “Birthday Girl”, em formato de livro. Dado que anteriormente sete ou oito contos eram publicados juntos em um formato de coleção, a publicação de um único conto é uma mudança na indústria editorial.

1e6e658aedca4b06bb15bfc060f72972

Além disso, outra editora de nome Walker vem lançando sua série “It’s okay to be short” desde 2017, com o objetivo de levar alegria ao fim de cada livro.

Em uma pesquisa com 2.952 pessoas com a media de 20 e 30 anos do JobKorea e Albamon – um site para candidatos a emprego – 10,1% dos entrevistados disseram que não leram um único livro no ano passado. Aproximadamente um terço dos entrevistados (ou 32,6%) responderam que não têm o hábito regular de ler livros, de acordo com a pesquisa.

Jang Eun-su, crítico de literatura e CEO do Editing Culture Lab, argumenta que os romances de curta duração podem encorajar os jovens a ler mais livros ao serem motivados por terminarem uma leitura rapidamente e se sentirem mais tranquilos ao marcar um item em sua lista de terminados.

O aumento nos livros mais curtos tem muito a ver com a maneira como nos comunicamos nas mídias sociais“, disse Jang. “Em uma época em que os jovens consumidores, buscam novas experiências, livros curtos e ilustrados parece ser uma opção atraente“.

O crítico também relatou que a preferência dos leitores por livros de curta duração é uma coisa universal. “Embora a maioria dos livros mais vendidos na Amazon tenha uma contagem de páginas superior a 300 páginas, o número de romances curtos está em constante crescimento“, disse Jang.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.