Com o crescimento contínuo do mercado de aluguéis e do número de lojas virtuais na Coreia do Sul, a cultura de consumo também vem mudando. Pode-se perceber uma preferência do consumidor a produtos alugados ou usados, ao invés de pagar o preço de um novo.

De acordo com uma pesquisa do Instituto Shinhan de Pesquisa de Tendências, uma média mensal de 5.800 consumidores utilizaram serviços de venda online no ano passado, valor quase quatro vezes maior do que os 1.500 em 2015.

A partir desse estudo também foi revelado que a média do dinheiro gasto nesse tipo de negócio passou de 3,1 bilhões de won (aprox. 8,6 milhões de reais) mensais em 2015, para 14,4 bilhões de won (aprox. 40 milhões de reais) em 2016, um aumento de 500% em apenas um ano.

O aluguel e compartilhamento de bens também vem ganhando espaço. Apenas no ano passado, o serviço de aluguel de LEGO teve um crescimento de 238% em seus consumidores, enquanto em lojas de aluguel de roupas e artigos domésticos esse número aumentou 52 e 47%, respectivamente.

Gráfico de crescimento dos serviços de aluguel e compartilhamento nos últimos anos. Foto: Shinhan Card/Korea Bizwire
Gráfico de crescimento dos serviços de aluguel e compartilhamento nos últimos anos. Foto: Shinhan Card/Korea Bizwire

Com um maior número de pessoas procurando por esses serviços, a visão do consumidor sobre alugar também vem mudando.

Uma dona de casa de 35 anos, de sobrenome Park, do distrito de Gangdong, costumava temer passar no setor de brinquedos nos mercados, pois toda vez seu filho de 8 anos lhe pedia para comprar um novo – até que ela descobriu o serviço de aluguel de LEGO. “Meu filho costuma se cansar dos brinquedos após brincar com eles algumas vezes, mas com esse serviço, nós podemos simplesmente alugar quando ele quiser, e fica mais barato”, conta. Park diz que tem utilizado bastante o serviço, porque assim ela pode economizar mais, uma vez que o custo para compra desses brinquedos, é alto.

Nas redes sociais, a palavra-chave “compartilhar” foi mencionada mais de seis milhões de vezes em 2016, enquanto “alugar” foi citada 2,5 milhões de vezes. Outras palavras, como Airbnb, casa compartilhada, estacionamento, escritório e carro foram bastante usadas junto com “alugar”. Com “compartilhar”, palavras como carrinhos de bebê, roupas, estúdio, brinquedos e hanbok foram as mais encontradas.

A pressão financeira, falta de espaço e a moda em constante mudança contribuíram para o crescimento na popularidade dos serviços de aluguel e compartilhamento”, conta um representante da Shinhan Card. “E mais empresas mudarão seu foco para esse tipo de serviços também daqui pra frente”, completa.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.