Tatuagem (123rf)

A Comissão Nacional de Direitos Humanos da Coreia poderá recomendar em breve a abolição da “proibição de tatuagens” há muito contestada na Coreia, e este pode ser um momento encorajador para a introdução de um sistema de licenciamento e registro para tatuadores.

De acordo com relatos locais, o órgão de direitos humanos decidiu apoiar as propostas legislativas atualmente pendentes na Assembleia Nacional, que buscam fornecer uma maneira legal para os tatuadores estéticos trabalharem. Atualmente, apenas aqueles com licença médica podem fazer tatuagens, o que efetivamente proibe a maioria dos tatuadores e estúdios de tatuagem.

(Os projetos de lei) buscam garantir procedimentos e conhecimentos seguros (em tatuagens) e reduzir os riscos de higiene e, portanto, sua legislação seria válida”, disse a agência de notícias Yonhap.

O NHRCK (Comissão Nacional de Direitos Humanos da Coreia) está analisando uma petição do grupo local de tatuadores Tattoo Union Korea, que afirma que a política atual viola seus direitos humanos.

Vários projetos de lei foram propostos para permitir um status legal para tatuadores não médicos. O caso mais recente foi da deputada Ryu Ho-jeong, do Partido da Justiça da oposição, em junho do ano passado, no qual ela propôs definir formalmente a tatuagem como “inscrever várias formas na pele humana com pigmento não tóxico usando agulhas”, regular a prática por meio de licenciamento de tatuadores e obrigando o registro de suas lojas.

A concessão de status legal aos tatuadores tem sido um tópico muito discutido nos últimos anos, principalmente em meio à crescente popularidade das tatuagens. No mês passado, o candidato presidencial liberal Lee Jae-myung mencionou o licenciamento legal de tatuadores como uma de suas promessas de campanha.

O ponto cego jurídico

Para ser correto, nenhuma lei define a tatuagem como um procedimento médico. Foi a Suprema Corte que fez a definição por meio de uma decisão histórica em 1992.

O tribunal superior decidiu então que uma tatuagem de sobrancelha deveria ser considerada um procedimento médico, com o argumento de que um erro processual poderia injetar tinta em uma parte mais profunda da pele e a reutilização de agulhas de tatuagem poderia espalhar doenças.

Isso significa que os tatuadores que não têm licença para praticar medicina se enquadram no artigo 27, cláusula 1 da Lei de Serviços Médicos, que afirma que o pessoal não médico está proibido de realizar práticas médicas.

Kim Do-yun, líder da Tattoo Union, foi condenado a uma multa de 5 milhões de won (4.175 dólares) em dezembro de 2021 por tatuar uma celebridade não especificada dois anos antes. Ele, como a maioria dos membros do grupo, não tem licença médica.

Muita tinta derramada sobre o status legal dos tatuadores na Coreia
Doy (Kim Do-Yun – à esquerda) está defendendo a legalização de sua profissão

Comecei essa luta (legal) para derrubar (a decisão de 1992) da Suprema Corte. Vou lutar com calma até o fim”, disse ele em entrevista coletiva após a decisão, dizendo que vai recorrer do caso e apresentar queixa ao Tribunal Constitucional.

Algumas tatuagens são realizadas por médicos licenciados, como tatuagens de sobrancelha feitas principalmente por dermatologistas. Mas a maioria das tatuagens é feita sem qualquer supervisão das autoridades, simplesmente porque as licenças de tatuagem não existem na Coreia.

Existem instituições de cosméticos que dizem que vão te dar uma licença ao concluir um curso, mas isso não faz sentido porque não é uma permissão autorizada pelo estado”, disse um tatuador que trabalha em Hongdae, oeste de Seul, que não quis ser identificado.

Exceto em alguns casos raros, a polícia local raramente reprime as lojas de tatuagem, permitindo que elas se promovam por meio de mídias sociais e sites. Uma rápida pesquisa no Google fornecerá informações de contato de vários tatuadores em Seul, a maioria dos quais está na área de Hongdae.

Houve momentos em que as tatuagens eram um tabu social na Coreia, quando um homem volumoso com dragões ou tigres inscritos em si mesmo efetivamente significaria más notícias. Havia até um regulamento no alistamento militar obrigatório para todos os homens coreanos que designaria homens com tatuagens cobrindo a maior parte de seus corpos para postos não-combatentes, alegando que eles eram impróprios para tarefas normais como soldados devido à percepção social sobre tatuagens. O regulamento foi extinto em 2021.

Mas este não é mais o caso, uma vez que atualmente celebridades exibem suas tatuagens na TV e vemos a presença de lojas de tattos bem iluminadas em todo o país.

Existem até tatuadores com canais no YouTube, como “Danhaha”, um casal que administra uma loja de tatuagem em Hongdae. O casal uma vez enviou um vídeo deles tatuando um ao outro, uma indicação clara de que os tatuadores na Coreia operam apenas no escuro.

Em 2017, o grupo de pesquisa online Doo It Survey perguntou a 3.969 pessoas com idades entre 10 e 99 anos o que eles achavam de tatuagens “não excessivas e regulares”, às quais 28,5% responderam que eram contra. Outros 36,3% disseram que eram neutros e 35,1% disseram que eram a favor em relação a isso.

Na mesma pesquisa, 65% disseram concordar com a “legalização” dos tatuadores, ou seja, licenciá-los para operação, enquanto 15,7% eram contra, e o restante disseram não ter certeza.

Muita tinta derramada sobre o status legal dos tatuadores na Coreia
A deputada Ryu Ho-jeong, do Partido da Justiça da oposição, posa para uma foto na Assembleia Nacional em 21 de junho de 2021, exibindo seu trabalho corporal temporário em apoio a tatuagens. (Escritório do Representante Ryu Ho-jeong/Yonhap)

Tatuagem e regulamento

A pesquisa acima mencionada disse que 74,6% dos entrevistados tinham algum nível de medo em relação à infecção por um procedimento anti-higiênico, o que é uma preocupação legítima.

The Risk of Bacterial Infection After Tattooing” em 2016 por pesquisadores alemães, realizou uma revisão sistemática de casos entre 1984 e 2015, e encontrou relatos de infecções cutâneas locais e infecções sistemáticas.

Medidas de higiene inadequadas em estúdios de tatuagem e cuidados não médicos de feridas são os principais fatores de risco para infecções relacionadas a tatuagens. Além disso, espécies bacterianas patogênicas facultativas podem ser isoladas de tintas de tatuagem em uso, o que pode representar um sério risco à saúde ”, concluíram os pesquisadores no artigo publicado na Deutsches Ärzteblatt International – a revista científica internacional bilíngue oficial da Associação Médica Alemã.

A tatuagem é definitivamente um procedimento que envolve uma preocupação legítima com a saúde, e é por isso que países fora da Coreia têm leis que regulam isso em vários níveis. Países europeus como Grécia, Dinamarca, Reino Unido e Holanda têm leis relacionadas aos destinatários, como idade e requisitos de saúde física, bem como onde no corpo se pode receber tatuagens.

Todos os estados dos EUA têm limites legais para a idade dos destinatários, e cada estado tem vários níveis de licença e processo de registro para tatuadores. O Alabama, por exemplo, emite licenças para instalações de tatuagem, piercing e artes corporais e estabelece padrões para operação, enquanto o Texas exige que todos os tatuadores e body piercers sejam registrados em seu departamento de saúde. Estados como Maryland exigem que os tatuadores cumpram os regulamentos específicos do código de saúde.

Por causa do vácuo legislativo relacionado à tatuagem na Coreia, não há nenhuma maneira legal de proibir que menores de idade façam tatuagens. Literalmente, qualquer pessoa pode fazer tatuagens na Coreia, mas apenas graduados em faculdades de medicina podem fazê-las.

Nós (tatuadores) estamos cientes das questões de higiene relacionadas às tatuagens e da necessidade de ter os devidos cuidados. Gostaríamos de obter uma licença, mas não há como”, disse o tatuador de Hongdae.

O cirurgião plástico Cho Myung-shin está entre os poucos tatuadores na Coreia que é um médico de verdade. Em seu livro recém-publicado “Tattooing Doctor”, ele afirmou que a preferência do público pelo status quo proíbe a maré de mudança.

Há uma percepção generalizada entre o público de que não há problemas (com as atuais políticas de tatuagem)”, escreveu ele, acrescentando que a decisão está sendo tomada por aqueles que não estão familiarizados com tatuagens.

De acordo com um relatório de outubro do National Assembly Research Services, o número de pessoas que praticam tatuagem é estimado em cerca de 50.000, com um adicional de 300.000 estimado no que foi descrito como “indústria de maquiagem semi-permanente”, como sobrancelha tatuagens. “As tatuagens se tornaram populares, com a tendência recente mostrando alta aceitação do público… É hora de chegar a uma decisão sobre se a prática da tatuagem deve ser totalmente legalizada”, disse o relatório.

Disclaimer

As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.