Em Seul, vive uma moça solteira na chamada “idade mais apropriada para casar”, termo comum usado na Coreia. Porém, ela não sente a necessidade de casar.

Ao invés disso, ela está poupando o custo de um casamento para adquirir uma residência, onde ela e o namorado possam viver juntos. O único momento que ela pode encontrar o corretor de imóveis é depois do trabalho, à noite.

Poeira fina, no distrito de Songdo. Foto: Yonhap
Poeira fina, no distrito de Songdo. Foto: Yonhap

De acordo com os resultados da pesquisa social deste ano, divulgada pela Statistics Korea no dia 6 de novembro, menos da metade (48,1%) das pessoas acima dos 13 anos consideram o casamento uma necessidade.

Pedestres a caminho do trabalho na intersecção Sejong-ro,Seul. Foto: Yonhap
Pedestres a caminho do trabalho em Seul. Foto: Yonhap

Além disso, 56,4% dos coreanos pensam atualmente que os casais não precisam se casar para viver juntos. O percentual vem aumentando desde 2010, e esta é a primeira vez que ultrapassa os 50%. Isso mostra como a nova geração considera o casamento como uma opção, não como uma necessidade.

Em relação ao compartilhamento do trabalho doméstico, a percentagem referente ao trabalho doméstico efetuado pelas esposas diminuiu, enquanto a divisão das tarefas domésticas ou realizadas apenas pelo marido aumentou significativamente, em comparação à dois anos atrás.

Os resultados variaram entre grupos de diferentes faixas-etárias; o grupo dos 19 aos 29 anos teve maior proporção de compartilhamento nas tarefas domésticas e realização das mesmas lideradas pelo homem, enquanto o grupo dos 40 a 50 anos teve proporção maior de tarefas domésticas liderada pela esposa.

Foto: Pexels
Foto: Pexels

Quanto ao setor ambiental, mais pessoas acreditam que os problemas ambientais se tornaram “piores” (36,4%) do que “melhores” (25,4%). Em particular, 82,5% dos coreanos disseram estar preocupados com a alta concentração de poeira fina.  Sobre o custo de proteção do meio ambiente, a proporção de pontos positivos foi alta para todas as idades.

Perguntados sobre segurança pública, 20,5% responderam que se sentem seguros. São 7,3% a mais, comparados a última pesquisa. As principais preocupações de segurança foram o crime (20,6%), segurança nacional (18,6%) e poluição ambiental (13,5%).

A pesquisa social semestral, conduzida pela Statistics Korea, investigou cinco setores dos dez pertencentes ao sistema de indicadores sociais. Este ano, cerca de 39 mil cidadãos coreanos acima de 13 anos responderam as questões sobre família, educação, segurança e meio ambiente.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.