Yoo Jae-woong, professor da Universidade de Eulji no departamento de relações públicas e design da Universidade de Eulji, é especialista em imagem e marcas nacionais. Recentemente ele preparou uma matéria para o jornal The Korea Times, a qual reproduzimos na íntegra.

Em algum lugar ao longo do caminho, a TV coreana foi inundada com um tipo de programa conhecido como “meokbang”, que mostra diferentes alimentos. É um fenômeno peculiar, do tipo que é difícil encontrar em qualquer outro lugar do mundo. Percorra os canais de TV coreanos a qualquer momento e você verá que três ou quatro deles estão transmitindo algum programa relacionado à comida.

Isso é o suficiente para deixar as pessoas com a impressão de que a Coreia é uma espécie de “república meokbang”, onde todos pensam em comer e beber sem parar.

Os programas de Meokbang oferecem informações valiosas relacionadas a alimentos e ocasionalmente há uma espécie de catarse ou satisfação indireta por assistir. Como o público se torna mais interessado em comida, a profissão de chef está se tornando cada vez mais uma escolha popular entre os jovens. Estes são alguns dos aspectos positivos da “televisão meokbang”.

Há muitos programas de Meokbang no Youtube, principalmente na Plataforma Afreeca TV. Foto: Youtube

Mas nem todos os aspectos são positivos. O excesso de meokbang corre o risco de promover o consumo excessivo de alimentos, com consequências potencialmente prejudiciais para a saúde do público coreano. Não muito tempo atrás, as autoridades do governo coreano estavam suficientemente motivadas por questões de saúde para alertar sobre a questão do meokbang desenfreado.

Eles mal tiveram tempo de apresentar seus argumentos antes de serem silenciados pela opinião crítica, pois as pessoas acusavam o governo de se inserir nos assuntos privados do público. Ainda assim, a questão meokbang não foi embora.

Certamente, é verdade que os programas carregam sérios problemas em termos quantitativos e qualitativos. Embora possa não ser o lugar do governo apresentar diretamente sua adequação, vale a pena considerar alguns esforços para melhorá-los por meio de um processo de debate social, no interesse de promover a saúde pública, o desenvolvimento da indústria de alimentos e o interesse público.

Em primeiro lugar, os programas de meokbang não tiveram um impacto pequeno no desenvolvimento da cultura culinária coreana. Embora eles certamente tenham ajudado a tornar o público mais interessado em comida, um dos aspectos mais preocupantes é o modo como contribuem para padronizar a cultura alimentar coreana de maneiras indesejáveis.

Os tipos de alimentos que tendem a ser fortemente preferidos em programas de meokbang são aqueles que oferecem mais “bang” para o dinheiro. Em outras palavras, eles servem comida que é acessível e abundante, sem sacrificar o sabor de outros restaurantes que vendem pratos similares.

Mas esses três valores são um pouco incompatíveis. A menos que estejam operando algum tipo de empreendimento de caridade, as pessoas que ganham a vida com alimentos não sobreviverão no mercado se venderem alimentos baratos e abundantes e usarem bons ingredientes. É mais provável que alguns aspectos anormais estejam em jogo de formas que não são visíveis para o exterior.

A atualização da cultura alimentar da Coreia exigirá que se adote padrões diferentes para “valor”.

Isso significa deixar de lado o custo e a quantidade como principais métricas para o valor dos alimentos e adotar o custo em relação à satisfação total em seu lugar. Uma refeição saborosa nos proporciona satisfação e felicidade que vão além da mera saciedade. Os padrões aqui não são apenas sabor, custo e quantidade, mas também uma série de outros fatores, incluindo serviço, higiene e atmosfera.

A cultura culinária coreana poderia se tornar muito mais diversificada e de melhor qualidade se adotasse essa coleção de valores como padrões para os alimentos nos programas de meokbang.

Os programas de Meokbang também não têm um impacto pequeno na reputação da indústria de restaurantes da Coreia. Uma vez que um estabelecimento aparece em um programa, ele tende a ser inundado de clientes; os chefs que preparam a comida tornam-se sub-celebridades.

Enquanto isso, há muitas outras pessoas anônimas que são chefs talentosos, mas que nunca tiveram a chance de aparecer em nenhum programa de meokbang. A concorrência na indústria de restaurantes coreanos se intensificou; as pessoas abrem restaurantes com grandes ideais e ambições, mas acham difícil sobreviver de dois a três anos. À medida que jovens com criatividade e paixão pela comida entram no negócio de restaurantes, surge uma necessidade urgente de apoio e consideração da sociedade, permitindo-lhes tempo e oportunidade para mostrar suas habilidades.

Programa Tasty Guys da Netflix. Foto: Netflix

Mais do que qualquer apoio material, o que mais importa para eles é o senso de reconhecimento social que surge quando seus esforços são devidamente avaliados. A indústria de restaurantes da Coreia poderia recuperar parte de sua vibração se os programas de meokbang adotassem uma abordagem mais aberta e se esforçassem para encontrar e encorajar esses jovens chefs promissores.

Os programas de meokbang também têm uma influência direta na cultura culinária, que tem profundo significado em termos de interesse nacional. Quando visitamos ou desenvolvemos interesse em um país, algumas das associações mais duradouras que adquirimos têm a ver com a comida. De certa forma, a comida coreana permaneceu subestimada e menos conhecida do que a culinária de outros países.

Há alguns anos, a administração de Lee Myung-bak liderou um esforço para a globalização da culinária coreana, mas os resultados não podem realmente ser vistos como um sucesso. A cultura culinária coreana só será capaz de ganhar o devido reconhecimento global quando mostrar não apenas uma compreensão dessa cultura e suas tradições, mas também a criatividade para entender e atender às necessidades dos consumidores estrangeiros.

A Onda Coreana até hoje foi impulsionada por filmes coreanos, minissérie, videogames e música popular (K-pop). Está na hora de a cozinha coreana levar adiante esse manto com seu próprio boom.

Com algum esforço, isso é certamente possível. Uma onda de culinária coreana também contribuiria para aumentar a demanda turística e elevar a imagem nacional da Coreia. Os principais intervenientes na criação deste tipo de clima são os mesmos jovens chefs e trabalhadores de restaurantes apaixonados que estão agora a lutar na indústria alimentar. Aumentar a moral deles é um nicho que os programas de meokbang poderiam perfeitamente preencher. 

Yoo Jae-woong, professor da Universidade de Eulji no departamento de relações públicas e design da Universidade de Eulji, também serviu como ministro adjunto do Korean Overseas Information Service de 2004 a 2008. Foto: The Korea Times.

Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.