Atualmente na Coreia, poucos pais vivem com os filhos. A casa tradicional coreana onde três gerações viviam juntas mudou significativamente e menos pessoas acreditam que o casamento é uma obrigação.

Uma pesquisa realizada pela Statistics Korea, revelou que apenas 29,2% dos coreanos disseram que vivem com seus filhos. Segundo o governo, essa é a primeira vez que o número caiu para menos de 30%. Em 2008, 38% dos coreanos viviam com seus filhos.

O número de filhos que vivem com seus pais continua a cair e algumas das maiores razões para que eles vivam separados são o trabalho e a necessidade de obter instrução“, disse Yoon Yeon-Ok, um diretor da Statistics Korea. “Mesmo entre os pais que ainda vivem com os filhos, os mesmos têm que se sustentar e alguns filhos que vivem com os pais pagam por seus próprios gastos“.

De acordo com os dados da agência, 52,6% dos pais que vivem com seus filhos disseram que pagam suas próprias despesas domésticas, 2,4 pontos percentuais a mais em comparação com dois anos atrás. O número de filhos que sustentam seus pais caiu de 49,5% em 2014 para 47,4% este ano.

Dados divulgados também mostraram que menos coreanos acham que o casamento é uma obrigação e mais apoiam a ideia de viver com seus parceiros sem se casar.

O número de pessoas que disseram que as pessoas devem se casar foi de 51,9% este ano, caindo de 64,7% em 2010 e 56,8% em 2014. Mais homens (56,3%) acreditavam que o casamento é importante em comparação com as mulheres (47,5%).

O número de pessoas que acreditam que podem viver com seus parceiros sem se casar subiu de 40,5% 2010 para 48% este ano, e mais homens estavam abertos à ideia.

Apenas cerca de 30,8% dos coreanos disseram que os filhos devem cuidar de seus pais idosos, que demonstra uma queda acentuada de 40,7% em 2008 e 31,7% em 2014. Mais pessoas acreditam que não só os membros da família devem cuidar dos idosos, mas sim isso deve ser uma responsabilidade do governo e da sociedade. 18,6% disseram que deveriam cuidar de si mesmos, um aumento de 6,7 pontos percentuais em relação a 2008.

Os adultos estão mudando outros hábitos também.

Os dados mostraram que há menos pessoas tomando café da manhã e fumando cigarros, enquanto a maioria ainda bebe muito álcool. “O número de fumantes continua a cair desde 2006, enquanto o que o de alcoólatras subiu“, disse Yoon.

De acordo com o relatório, 20,8% dos coreanos com mais de 19 anos disseram que fumam, contra os 22,7% relatados há dois anos. A taxa de tabagismo foi a mais alta para aqueles em seus 40 anos em 26,4% e 51,4% por cento deles fumam menos de meio maço por dia.

Cerca de 50,4% disseram ter tentado parar de fumar no ano passado, mas mais de metade deles disseram que não conseguiram, devido ao estresse que estão tendo no trabalho e em casa“, disse Yoon.

A porcentagem de coreanos que beberam pelo menos uma bebida no ano passado foi 65,4%, que é ligeiramente superior aos 64,6% de 2012.

As pessoas que estão bebendo duas a três vezes por mês, representam a maior parte dos bebedores, com 29,7%, e 4,9% deles disseram que bebem quase todos os dias“, disse Yoon

Mais de metade, ou 53,1%, disseram que bebiam por razões sociais. 41,1% disseram que bebiam por causa do estresse.

[Por alguma razão] a porcentagem de pessoas que pensam que seu estado de saúde está bom foi maior entre os bebedores e fumantes do que entre aqueles que não bebem e nem fumam“, disse Yoon.

15201712

O número de pessoas tomando café da manhã também caiu, enquanto o número de pessoas que praticam atividades físicas e realizam exames médicos regulares aumentou.

De acordo com os dados, 67,2% dos coreanos tomam café da manhã, em comparação com 70,1% em 2012. O número daqueles que realizaram exames médicos regularmente subiu de 58,3%  em 2012 para 60,7% este ano, e o número de pessoas que se exercitam aumentou de 36,9% para 38% no mesmo período.

As maiores fontes de medo para os coreanos entrevistados foram o crime, a segurança nacional e questões econômicas. As catástrofes provocadas pelo homem foram as principais preocupações em 2014, seguidas da segurança nacional e da criminalidade.

A agência de estatística entrevistou 38.600 coreanos com mais de 13 anos, ou 25.233 famílias, de 18 de maio a 2 de junho. O governo divulga os dados a cada dois anos.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.