Em meio a taxas recordes de desemprego juvenil, na casa dos dois dígitos, o Governo Metropolitano de Seul prossegue os esforços para apoiar os jovens este ano, com 5.000 jovens entre as idades de 19 e 29 recebendo 500.000 won (R$ 1.500) todos os meses a partir de julho por até seis meses para ajudá-los a subir na carreira.

A decisão de Seul para seguir com essa iniciativa de benefícios aos jovens este ano foi recebida com ceticismo especialmente por políticos conservadores, incluindo Oh Shin-Hwan, um legislador do partido Bareun.

Alguns críticos questionaram a eficácia do programa de benefícios para a juventude de Seul, enquanto outros contribuintes foram vistos expressando frustração on-line sobre o programa de bem-estar social do governo municipal.

Na sequência das críticas, no ano passado, sobre critérios de seleção arbitrárias, o que levantou questões sobre a elegibilidade de alguns dos beneficiários, os candidatos precisam agora atender a um requisito recém adicionado – não viver em uma casa onde a renda familiar seja 150% maior do que renda familiar média.

Outra alteração feita no processo de inscrição deste ano é a proporção da renda familiar para o comprimento de tempo gasto à procura de emprego. Ao contrário do ano passado, os jovens de famílias de baixa renda serão priorizados.

PYH2015102504270001300_P4

Em resposta às crescentes críticas sobre os padrões de renda do ano passado, um funcionário do governo de Seul disse, “Após a controvérsia do ano passado, sobre os beneficiários provenientes de famílias de alta renda, os novos critérios deste ano farão com que o apoio econômico de Seul seja distribuído de forma mais equitativa entre os jovens”.

Seoulites jovens com um parceiro ou filhos também serão priorizados na iniciativa de benefícios para a juventude de Seul. Estudantes universitários quase graduados ou aqueles já em benefícios de emprego, não serão elegíveis.

O processo de inscrição começa no início do próximo mês no site YouthHope, e está aberto a todos os cidadãos coreanos que foram registrados como residentes em Seul no ano passado.

De acordo com estatísticas da OCDE de 2016, a taxa de desemprego entre os jovens da Coreia do Sul, de 12,5% foi maior que a do Japão, Alemanha e EUA, apenas 0,6 abaixo da taxa média dos países da OCDE.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.