Os pais de uma criança Youtuber, que arrecadou dinheiro suficiente para comprar um edifício de 9,5 bilhões de won (8,0 milhões de dólares), estão recebendo críticas do público relacionadas a um suposto abuso infantil que a menina teria sofrido no passado.

A mais popular Youtuber mirim da Coreia, Boram, recebeu grande atenção do público depois que o jornal Maeil Business News publicou que a Boram Company – empresa familiar que opera dois canais do YouTube com a menina de 6 anos – havia comprado recentemente um prédio em uma das áreas mais ricas de Seul.

Os dois canais – Boram Tube ToysReview e Boram Tube Vlog – têm o maior número de assinantes e ganham mais receita advinda do marketing de todos os canais sul-coreanos do YouTube, de acordo com o site de análises Social Blade.

Veja este vídeo que mostra as atividades matinais de Boram:

Em meio à crescente atenção do público sobre o jovem Youtuber, as acusações passadas de que Boram foi abusada por seus pais, estão recebendo os holofotes novamente.

Em setembro de 2017, o escritório local da Save The Children levou a questão ao tribunal, pressionando as acusações contra os guardiões de Boram. A instituição de caridade acusou os guardiões da criança de obter lucro financeiro ao colocar crianças em situações que poderiam colocá-las sob estresse mental e distribuir as imagens para o público, gerando uma influência negativa nos telespectadores menores de idade que assistem aos vídeos.

Os vídeos em questão incluíam aqueles mostrando a criança de 6 anos roubando dinheiro da carteira do pai, danificando sua boneca favorita e agindo como se ela estivesse grávida e estivesse dando à luz. Após o ultraje público, os pais se desculparam com o público e tornaram os vídeos privados.

O Tribunal de Família de Seul sustentou as acusações da instituição de caridade e ordenou a investigação dos pais de Boram.

Enquanto isso, a preocupação sobre as crianças que atuam em plataformas de vídeo comerciais estão se expandindo, com vozes pedindo regulamentações mais restritas de tais canais.

De acordo com os dados da Social Blade, entre os quinze principais ganhadores dos canais do Youtube sul-coreanos, dez – incluindo o de Boram – ou eram de crianças ou voltados para jovens espectadores.

No mês passado, outro canal infantil popular do YouTube, o Ttua Ttuji TV, que apresenta garotas gêmeas, também foi criticado depois de compartilhar um vídeo das duas garotas comendo um polvo gigante. No vídeo, as crianças pareciam ter dificuldade em mastigar o polvo, franzindo a testa e gemendo ao longo do vídeo.

(Captura de tela do vídeo do YouTube da Ttua Ttuji TV)

Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.