Restaurantes com arquitetura e decoração mais simples, mas com comidas caseiras saborosas, tem ganhado clientes, que formam filas para apreciar os ‘baekhan’.

Baekhan significa arroz branco, mas é geralmente entendido como refeições caseiras que consiste em um prato de arroz, sopa e acompanhamentos, chamados de banchan.

Baekhan, pequeno restaurante, grandes filas
Banchan são os acompanhamentos dos pratos principais. Fonte: Los Angeles TImes

Em uma pesquisa com 2000 adultos sobre onde eles vão quando querem comer uma comida caseira, mais de 58% responderam restaurantes baekhan como primeira escolha, de acordo com a empresa de pesquisa de marketing Macromill Embrain.

Me diga onde você come e eu te direi quem tu és“, disse o renomado gastrônomo francês, Jean Anthelme Brillat-Savarin, em seu livro, “A Fisiologia do Sabor“, publicado em 1825.

Achar uma ligação entre o tipo de comida que alguém come e sua identidade tem sido um longo tópico de interesse por toda a história da humanidade. E quando se fala em tradições e sentimentos coreanos, há muito a ser dito sobre as comidas caseiras.

O paladar desenvolvido durante a infância torna-se um padrão para a vida toda, e no centro estão as refeições caseiras. Além disso, a comida caseira favorita está associada  a região de onde você vem. Não há regras sobre quais ingredientes devem ser usados, deixando a cargo das chefes de cozinhas, geralmente mães, para escolher o que vão ser usados.

Não tem nada que ganhe da tigela de arroz preparada numa bandeja de vime“, disse Huh Young-man, artista de quadrinho de Yeosu. Está escrito em seu livro, “Comida de Huh Young-man“, que foi publicado ano passado.

Baekhan, pequeno restaurante, grandes filas
Huh Young-man, que publicou o livro ano passado, “Comida de Huh Young-man”. Fonte: Michelin Guide

Restaurantes típicos de comida caseira não tem horário de descanso entre almoço e janta e está aberto para servir a qualquer hora do dia.

Mas fique atento: lugares populares podem ter longas filas, especialmente durante o horário de almoço, quando os trabalhadores chegam em grupos.

Andando 10 minutos da saída 1 da estação de metrô Dongdaemun fica o restaurante Yangji Sikdang.

Com decoração e iluminação antiquados e ausência de cardápio, o único sinal que ali funciona um restaurante é um pedido aos clientes, de um papel colado na parede, escrito a mão: “Por favor, fale baixo enquanto come. Obrigada.

Assim que senta, a comida chega de 3 à 5 minutos. Uma tigela de arroz macio, sopa e oito tipos de acompanhamentos são servidos de uma vez em uma bandeja prateada.

Eu faço comida caseira aqui há 29 anos, e nunca deixei o restaurante, nem mesmo por uma semana“, disse Pyun Soon-ja, de 68 anos, dona e chefe da Yangji Sikdang.

Com o restaurante, ela conseguiu formar 2 filhos, que agora estão casados e trabalhando. Pyun sente que fez um bom trabalho e tem ótimas lembranças, apesar das dificuldades que enfrentou ao longo dos anos.

Perguntada o que baekhan significa pra ela, ela respondeu sem hesitar.

Uma fonte de força“, disse ela. “Eu faço comida caseira para meus clientes, como se eles fossem da minha família e filhos, é isso que eu faço“, completou Pyun.

Enquanto Pyun estava grelhando peixe na cozinha, era notável seu braço direito enfaixado. Pyun disse com um grande sorriso que ela vai continuar trabalhando enquanto sua saúde mental permitir.

Baekhan, pequeno restaurante, grandes filas
Comida caseira do restaurante Yangji Sikdang. Fonte: Mapo Plate

 

A comida caseira na Yangji Sikdang custa W6.000 ($5.00). O restaurante abre cinco dias da semana, das 10 às 14 horas. A sopa de Nurung-ji, que consiste numa sopa de arroz queimado, é oferecido na saída. Os coreanos comem essa sopa após as refeições para ajudar na digestão.

A 10 minutos andando da saída 3 da estação Apgujeong Rodeo, próximo ao Parque Dosan, está localizado o restaurante Cheongdamgol.

Baekhan, pequeno restaurante, grandes filas
Entrada do restaurante Cheongdamgol, em Gangnam. Fonte: TripCheckiner

Carros extravagantes ficam estacionados nas ruas estreitas em Gangnam.

O restaurante modesto dá as boas vindas com uma série de emblemas da Blue Ribbon Survey, ganhos nos últimos 5 anos, desde 2017.

Uma comida caseira básica com 8 acompanhamentos custa W8.000 ($6.85) e você pode adicionar vários tipos de peixes ou carnes por um preço adicional de W4.000 ($$3.50).

Minha mãe começou esse restaurante em nossa cidade natal, na província de Jeolla do Sul, há 30 anos atrás, e eu tenho conduzido o negócio depois que minha família se mudou para Seul“, disse Jang Woo-chang, dono da Cheongdamgol desde 2005.

Restaurantes de comidas caseiras são muito raros na vizinhança, mas a escassez facilita o relacionamento com clientes fiéis, de acordo com Jang.

Eu tenho visto crianças crescendo, virando estudantes universitários e visitando aqui com seus cônjuges e famílias. Eu fico muito orgulhoso de fazer parte de suas histórias, fornecendo boa comida“, disse Jang.

Antes da pandemia, celebridades e seus fãs frequentemente faziam uma visita. Daniel Lindemann, uma personalidade alemã da TV, que vive na Coreia, ainda visita o restaurante uma vez ou outra. “Daniel gosta de sardinhas, então frequentemente ele repete o pedido“, disse Jang com um sorriso amigável.

Baekhan, pequeno restaurante, grandes filas
Daniel Lindemann, é um dos clientes do restaurante Cheongdamgol. Fonte: The Korea Times

A pandemia persistente levou a pequenas mudanças no cardápio para manter o mesmo preço, mas Jang tenta manter a melhor qualidade em cada acompanhamento.

Eu estaria mentindo se eu dissesse que eu não pensei em abrir franquias. Mas é quase impossível para restaurantes caseiros, porque o controle de qualidade de todos os acompanhamentos são muito delicados. Apesar disso, as pessoas ainda tem aquele preconceito de que pagar W20.000 ($17) por um prato de massa vale a pena, mas uma comida caseira tem que ser mais barata“, disse Jang, completando que espera que os clientes possam apreciar o tempo e a sinceridade que é colocando no preparo da comida caseira.

Cheongdamgol fica aberto 7 dias por semana e o último pedido precisa ser feito antes das 21h30.

Yeogirae está localizado a uma quadra do mercado tradicional Huam em Yongsan, no centro de Seul.

A entrada do restaurante é um pouco difícil de achar, mas procure por uma floricultura bem ao lado dela.

O prato principal são sardinhas, chamadas de godeungeo, que custam W9.000 ($7.70), e corvina amarela, chamada de gulbi, que custam W12.000 ($10). Inúmeros acompanhamentos são servidos, que o dono disse que muda de tempo em tempo, dependendo do número de clientes no dia. Quando a The Korea Herald visitou o restaurante em uma noite no fim de setembro, um total de 17 acompanhamentos foram servidos com as sardinhas.

Baekhan, pequeno restaurante, grandes filas
Comida do restaurante Yeogirae, que tem como especialidade, sardinha e corvina amarela. Fonte: Mango Plate

Eu sou um cliente fiel aqui desde que eu moro na vizinhança“, disse um cliente de meia idade.

Para ser honesto, ás vezes os acompanhamentos são um pouco salgados, e outras vezes sem graça. Mas eu gosto mesmo assim, até porque a gente é criança, com nossas mães é assim também“, ri o cliente.

Embora recentemente tenha reclamações nas mídias sociais de que o restaurante não aceita clientes sozinhos durante as horas mais cheias, o lugar é um restaurante popular na vizinhança. Yeogirae abre de segunda a sábado, das 11h00 às 20h30. Domingo é fechado.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

um × 5 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.