Apesar de na maior parte do ano, o clima da Coreia ser de ameno para frio, o verão costuma ser bem quente. Embora o ar condicionado seja a maneira mais rápida de se refrescar em ambientes fechados, os leques tradicionais estão entre os acessórios preferidos durante essa época.

Kim Dong-sik é um mestre artesão de hapjukseon – leques dobráveis ​​tradicionais.

O artesão de 77 anos começou a aprender as técnicas para fazer os leques em Jeonju, Jeolla do Norte quando tinha apenas 14 anos (1956). Seu avô materno Rah Hak-cheon que trabalhava fazendo leques dobráveis ​​para o Rei Gojong no final da Dinastia Joseon (1392-1910) foi seu mentor.

Kim foi designado como a propriedade cultural intangível nº 128 da Coreia pela habilidade chamada seonjajang (fabricação de leque tradicional).

Antiga Tradição Sul Coreana É Mantida Por Mestre Artesão
Imagem: kim dong-sik (koreajoongangdaily)

Enquanto que os leques consistem em componentes simples como tiras de bambu e hanji (papel tradicional coreano), o processo de fabricação é cansativo e muito mais complexo do que parece.

Leva mais de uma semana para fazer um único hapjukseon e requer mais de 150 toques manuais”, disse Kim.

Junto com o hapjukseon dobrado, há também outro tipo de leque tradicional que é rígido.

 

 

Como estima-se que o leque de hapjukseon remonta à Dinastia Goryeo (918-1392), ele oferece algumas informações sobre os tempos antigos – Os leques feitos com 50 tiras de bambu só podiam ser usados ​​pelo rei e a família real, e os nobres usavam leques feitos com 40 tiras de bambu. Aqueles com menos de 40 faixas eram para as classes mais baixas.

Ao contrário dos leques dobráveis ​​da China e do Japão que eram feitos com as partes internas e mais macias de bambu, os hapjukseon são feitos com a combinação da parte externa dura do bambu, bem como a parte interna, garantindo maior durabilidade.

Durante a Dinastia Joseon, uma agência estatal de fabricação de leques foi criada em Jeonju e o procedimento de fabricação foi dividido em seis etapas, cada uma realizada por diferentes mestres. Os procedimentos incluem uma fase em que o bambu é cortado em tiras finas e uma fase em que as formas e padrões são gravados na parte do cabo do leque. Kim é mestre em todas as etapas.

O primeiro estágio para se fazer um leque dobrável começa com o fornecimento de bambu de qualidade.

Antiga Tradição Sul Coreana É Mantida Por Mestre Artesão
Imagem: o corte e o polimento do bambu é parte do processo manual (kimmjoongangdaily)

Bambu com ‘pele’ imaculada e brilhante é considerado de alta qualidade. Para produzir um hapjukseon refinado, você precisa de um que tenha, pelo menos, 48 ​​centímetros entre cada nó. Mas às vezes leva anos para conseguir essa árvore”, acrescentou Kim.

Quando um bambu está pronto, você deve descascar a casca e ferve-la em hidróxido de sódio por 30 a 40 minutos. Quando a casca estiver seca, ela ficará amarela. A próxima etapa é fatiar a parte interna do bambu em tiras com cerca de 0,3 milímetros de espessura ou finas o suficiente para transmitir luz.

Traços do trabalho duro são visíveis nas pontas dos dedos inchadas de Kim. Ele disse que quando espinhos de bambu super finos ficam presos na carne, eles são difíceis de encontrar e arrancar.

Ao fazer um leque dobrável com 40 tiras, um total de 80 tiras de bambu são necessárias, pois duas tiras são coladas para formar uma nervura do leque. Os dois conjuntos externos são chamados de byeonjuk. Apesar do número de tiras necessárias para fazer o leque, ele mede apenas 2,9 centímetros de espessura quando é finalizado.

Certa vez, tive técnicos do Japão e da China que estavam aqui para aprender as técnicas de fabricação de leques, mas depois que viram como eu fiz, eles disseram,‘ este não é um trabalho fácil ’e voltaram para casa.”

Antiga Tradição Sul Coreana É Mantida Por Mestre Artesão
Imagem: algumas das ferramentas usadas por kim tem mais de 100 anos (koreajoongangdaily)

A parte interna do bambu se deteriora facilmente, mas como a parte externa é usada para fazer hapjukseon, ele dura muito tempo. Quando o leque é feito dessa forma, ele promete mais resiliência e também é bom em fazer vento mais forte.

Dois tipos de cola são usados ​​para unir as tiras de bambu. A cola de peixe feita de corvina é misturada com outra cola feita de peles de animais, tendões e ossos.

Quando a estrutura de bambu está completa, ela é amarrada firmemente por uma semana para uma secagem completa e, em seguida, o artesão esculpe o cabo.

Depois disso, o hanji é colado na moldura. Para o toque final, enfeites são adicionados à alça. Cada etapa ainda é realizada de forma tradicional.

Os nobres durante a Dinastia Joseon competiam uns com os outros em estilos diferentes e adornavam luxuosamente seus hapjukseon”, disse Kim.

Tradicionalmente, o deung ou a parte que é segurada, costumava ser feito com árvores de ébano do Ceilão, marfim e ossos de vaca.

Byeonjuk, as duas partes externas, são decorada com lâminas finas de cascos de tartaruga ou com verniz tradicional. Às vezes, a seda substitui o hanji nos leques.

Um leque dobrável tradicional com hanji branco é chamado baekseon (baek significa leque e seon, branco).

Antiga Tradição Sul Coreana É Mantida Por Mestre Artesão
Imagem: hwangchil usado para pintar o hanji (koreajoongangdaily

Quando hwangchil ou laca dourada é pintada no papel branco, o leque ganha um brilho elegante de amarelo dourado com o passar do tempo. Uma pequena garrafa de hwangchil custa entre 4 milhões ($ 3.372) e 5 milhões de won e cerca de 160.000 won de laca dourada são usados ​​para um único leque.

Antiga Tradição Sul Coreana É Mantida Por Mestre Artesão
Imagem: leque feito com seda (koreajoongangdaily)

Uma das criações de Kim foi usada como adereço no filme “Kundo: Age of the Rampant” de 2014, utilizado pelo ator Gang Dong-won, o ator principal no filme de época.

Emprestei o leque porque disseram que era necessário para as filmagens, mas depois jogaram fora depois que o leque partiu. Eu vi o filme e descobri que o ator estava lutando segurando o leque em uma das mãos. É uma obra de arte para mim, então fiquei chateado por eles o tratarem dessa forma. ”

Quando questionado sobre dicas para comprar leques tradicionais, Kim disse: “Se você está comprando um leque, compre algo bom”. Quanto mais você usa, melhor fica, de acordo com Kim.

Se você comprar um barato, há uma grande chance de jogá-lo fora. Às vezes, precisamos de acessórios elegantes. Hapjukseon vai iluminar seu humor apenas por possuí-lo. ”


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.