A maior exposição de arte da Ásia, a Bienal de Gwangju, recebeu aprovação do governo sul-coreano para seu projeto de trazer obras da Coreia do Norte para seu próximo evento, em setembro.

Segundo os organizadores, o Ministério da Unificação recentemente concedeu a permissão para que eles tragam 22 pinturas norte coreanas para serem exibidas durante a Bienal de Gwangju deste ano, na província de Jeolla do Sul.

O artista plástico coreano-americano BG Muhn está planejando a curadoria de pinturas norte coreanas, ou “Chosonhwa”. O tema da exibição será “Fronteiras Imaginadas”, que irá abordar o senso de pertencimento, fronteiras nacionais, identidade pessoal e comunidade.

Com a aprovação, os organizadores irão iniciar o transporte das obras de arte para estarem prontas para exibição no Centro de Cultura de Gwangju até a metade de Agosto.

A seção norte coreana da exibição terá os melhores artistas do país, como Choe Chang-ho e Kim In-sok, além de obras do estúdio estatal Mansudae. A coleção irá incluir seis obras grandes, pintadas coletivamente por grupos de artistas.

“Temporal”, por Kim In-sok. Imagem: Bienal de Gwangju
“Temporal”, por Kim In-sok. Imagem: Bienal de Gwangju

“Estes são trabalhos do Estúdio de Arte Mansudae, que foram selecionados de locais como o museu de arte do Mansudae em Pequim,” disse um organizador da Bienal, referindo-se ao museu da academia de arte da Coreia do Norte, situado na capital chinesa.

BG Muhn, um dos curadores desta décima segunda edição da Bienal de Gwangju, vem tentando incluir a coleção norte coreana desde o ano passado, sem muito progresso devido às relações turbulentas entre os dois países.

Com as recentes mudanças positivas, os organizadores finalmente puderam pedir a permissão do Ministério da Unificação em junho, o que é necessário para qualquer contato ou negociação com a Coreia do Norte.

Os organizadores também planejam convidar três artistas norte coreanos para a exibição e, no momento, estão cumprindo todas as etapas necessárias com a Coreia do Norte para conseguir a presença deles na Bienal.

“Um Trabalhador”, do artista Choe Chang-ho. Imagem: Bienal de Gwangju
“Um Trabalhador”, de Choe Chang-ho. Imagem: Bienal de Gwangju

 


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.