O Armistício Coreano foi assinado há mais de sete décadas, porém, a Guerra da Coreia nunca foi oficialmente encerrada, por isso a Coreia do Sul estabeleceu um dos sistemas de alistamento mais duros e sistemáticos do mundo, exigindo que todo homem capaz sirva ao exército por cerca de dois anos.

A Administração da Força de Trabalho Militar (AFTM) é quem supervisiona todo o processo de alistamento antes do serviço militar começar, desde os exames médicos até a determinação de onde cada um servirá.

O Comissário Ki

Em 22 de novembro, em uma entrevista ao Korea Herald, o comissário da AFTM, Ki Chansooexpressou seu apoio aos objetores conscientes, enfatizando a mudança do papel de sua agência quando, em breve, uma forma alternativa de serviço for introduzida.

Ki também garantiu que o sistema de seleção continuará livre de corrupção, tocando, dessa forma, na polêmica referente ao alistamento de estrelas do k-pop e celebridades, como Seungri e os integrantes do BTS. Garantir que o serviço militar seja imparcial, sem privilégios ou violações da lei é uma convicção minha“, disse.

Apesar de reafirmar que uma das funções da AFTM é encontrar aqueles que fogem do serviço militar, Ki também disse ter esperança que a relação de sua agência com aqueles que se negam a servir vai melhorar.

Como somos os responsáveis pelo alistamento, é verdade que não somos muito bem vistos pelos objetores. A AFTM tem como responsabilidade encaminhar os que tentam fugir do alistamento para serem processados. No final das contas, é o que todo mundo pensa“, disse Ki.

Ato do Serviço Militar determina que aqueles que se neguem a servir sem uma razão “justificável”, podem ser presos por até três anos. Cerca de 19.350 homens já foram sentenciados à prisão desde a promulgação do ato. Por um longo tempo, as diferentes perspectivas sobre o que pode ser considerado uma razão “justificável” causaram conflitos entre a AFTM e os objetores.

Entretanto, a mudança está próxima. Uma proposta governamental, que recentemente chegou à Assembleia Nacional, visa acomodar os que se negam a servir por conta de suas crenças, religiosas ou não, seguindo uma Corte Constitucional que, em 2018, foi a favor dos objetores.

Nota do Koreapost – Um exemplo de objetor consciente seria alguém cuja religião, como os Testemunhas de Jeová, lhe proibísse pegar em armas.

Com o novo sistema de serviços alternativos, os objetores servirão em instalações correcionais por 36 meses e um comitê de avaliação será estabelecido pela AFTM para decidir quem realmente se qualifica como objetor consciente*.

Agora, nós faremos nosso melhor para ajudar e proteger os objetores para que eles possam cumprir sua obrigação nacional da melhor forma“, disse Ki.

PUNIÇÃO PARA OS QUE FOGEM DO ALISTAMENTO

Steve Yoo em entrevista após julgamento. Foto: Yonhap

Em novembro, um tribunal decidiu a favor de Steve Yoo, um cantor coreano-americano que foi proibido de entrar no país, em 2002, após ser acusado de abrir mão de sua cidadania coreana para evitar o serviço militar.

E, apesar de se sentir mal por Yoo, por vê-lo como um indivíduo que trava uma batalha árdua, Ki – um major general aposentado – ainda acredita que a pena para casos assim deve ser dura.

No final das contas, ele mudou sua nacionalidade para evitar o alistamento. Permitir que ele volte a este país diminuíria a moral daqueles que, corretamente, cumpriram com seu serviço nacional“, diz.

Quanto a Seungri, Ki diz que está observando a situação cuidadosamente, para que ele possa se alistar no tempo certo já que existe a possibilidade do artista usar o serviço militar para acobertar seus escândalos.

A maior prioridade é certificar que Seungri seja propriamente investigado. Se o processo legal não terminar a tempo, nós tomaremos medidas para alistá-lo.”

O caso pode ser até mesmo transferido para um tribunal militar, já que, conforme Ki enfatiza, é importante que Seungri cumpra seu serviço militar sem ser interrompido por processos.

Mas o trabalho da AFTM para impedir os que fogem do alistamento não se limita a celebridades e figuras públicas. Em 2017, descobriram que um recruta quebrou seus dedos das mãos e dos pés, repetidamente, esperando falhar no checkup médico e poder ser liberado. Em março, um grupo de atletas foi pego fingindo ter problemas de audição ao se exporem a buzinas e sons agudos intencionalmente.

Para combater tais práticas, desde 2012, a AFTM tem uma força policial especial, composta por 38 oficiais. Até outubro de 2019, a força já investigou cerca de 900 casos, resultando em 398 pessoas pegas tentando fugir do recrutamento, de acordo com a agência.

TORNAR O SERVIÇO MILITAR VOLUNTÁRIO

Fuzileiros navais sul-coreanos em marcha ao chagarem ao porto, em um exercício militar conjunto, em Pohang, no dia 5 de abril de 2019, após um exercício combinado de pouso anfíbio ser cancelado devido ao mau tempo. (Foto: Jung Yeonje | AFP | Getty Images)

A ideia de mudar o sistema de recrutamento para voluntário foi levada a discussão pelo Partido Democrático, como uma forma de discutir sobre a falta de força de trabalho numa sociedade que envelhece rapidamente. O presidente Moon Jae In disse que isso levará um longo tempo, mas o país terá que fazer essa transição.

Quando perguntado sobre essa possilidade, Ki disse que essa é a direção que o país deve tomar, porém demorará para que as condições necessárias ocorram.

Para que isso aconteça, três coisas devem acontecer, de acordo com Ki: um ambiente seguro e estável, recursos para pagar bem as tropas, e um número de pessoas que se proponham a servir que seja grande o suficiente para assegurar a prontidão militar.

Quando todas essas condições ocorrerem, eu acredito que o sistema de recrutamento voluntário possa ser implementado gradualmente.”


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.