O cenário global de jogos não seria o mesmo sem a Coreia do Sul.

O jogo online do estilo “multijogador” que primeiro ultrapassou a marca de dois milhões de usuários simultâneos no Steam (a maior plataforma de distribuição digital do mundo) foi criado por um desenvolvedor coreano, e há muitos jogadores coreanos proeminentes no campo dos e-sports.

A fama da Coreia no mundo dos jogos on-line de hoje é apoiada por seu prazer de longa data de diversão e criatividade.

Neste post você irá conhecer essa história sob dois pontos de vistas diferentes – o primeiro é do Lee Sang-ho, PhD em estudos folclóricos, e o segundo do colunista freelance de jogos Lee Kyung-hyuk.

O Jogo como um Dever Humano

Coreia, o país que leva jogos à sério. Desde sempre.
Imagem: Dr. Lee Sang-ho Ele acredita que por trás do rico repertório de jogos tradicionais coreanos estão esforços contínuos para misturar entretenimentos existentes com novas ideias para criar novos jogos (Korean Heritage)

A palavra coreana 노릇 (noreut) se refere a um papel ou dever dado a uma pessoa. A palavra está intimamente associada a 놀이 (nori), ou ‘jogos’. Presume-se que noreut foi criada combinando a forma verbal de nori com um sufixo. A palavra noreut foi usada para coisas como entretenimento, recreação e jogos durante o século XV. A partir do século 16, a palavra ganhou o significado que conhecemos hoje. Os coreanos do passado podem ter acreditado que brincar é uma atividade importante necessária para cumprir a função ou deveres de uma pessoa”.

Coreia, o país que leva jogos à sério. Desde sempre.
Imagem: Tradição do Ano Novo, quando monges e devotos se reuniam para jogar 윷놀이 (금강신문)

No passado, os coreanos presumivelmente estavam cientes da indispensabilidade do entretenimento na vida humana e desfrutavam de uma grande variedade de jogos nos feriados tradicionais. Eles costumavam jogar 윷놀이 (yutnori), uma espécie de jogo de tabuleiro, no Ano Novo Lunar; desfrutavam de uma atividade semelhante a uma gangorra chamada 널뛰기 (neolttwigi); realizavam lutas de luta livre coreana em Dano (단오) e dançavam em círculo 강강술래 (ganggangsullae) durante o feriado da colheita Chuseok.

Coreia, o país que leva jogos à sério. Desde sempre.

Imagem: Neolttwigi é semelhante à gangorra, porém os participantes que ficam em cada extremidade do Neol (prancha), pulam impulsionando a pessoa oposta no ar. Quando realizados como um espetáculo, truques acrobáticos como saltos ou pular corda enquanto está no ar são frequentemente incluídos. (Domínio Público)Havia uma grande variedade de entretenimentos associados à agricultura, como apresentações de fazendeiros (농악 – nongak), um esporte como hóquei de campo chamado 장치기 (jangchigi) e fogueiras (달집태우기 – dalgip taeugi). Essas atividades proporcionaram prazer aos participantes e aumentaram seu senso de solidariedade.

Na sociedade tradicional coreana, os jogos desempenhavam um papel indispensável na aproximação das pessoas. Esta função de aumento de solidariedade pode ser melhor vista em jogos em grupo. Jogos de grupo populares incluem 차전놀이chajeon nori (ou “batalha gigante”, em que dois comandantes de lados opostos competem entre si enquanto ficam em cima de grandes estruturas de madeira sendo manobradas por suas equipes) e cabo de guerra. Nesses jogos, integrantes da comunidade de todas as idades e de ambos os sexos se uniram em um esforço sincero para derrotar o time adversário. Durante o processo de trabalhar em direção ao objetivo comum de vencer, seus sentimentos tornaram-se fortemente conectados e diferenças e conflitos triviais podiam ser facilmente superados. A unidade foi muito importante para aumentar a produtividade do trabalho coletivo, a espinha dorsal de qualquer sociedade agrícola”.

Os jogos tradicionais também envolvem um processo de aprendizagem. Por exemplo, as crianças podem melhorar sua capacidade cognitiva espacial por meio do 칠교 (chilgyo – o nosso Tangram), uma forma de quebra-cabeça que desafia os jogadores a reorganizar sete polígonos planos em milhares de formas geométricas possíveis. Este tipo de jogo dependente de pequenos objetos constitui uma parte considerável dos jogos tradicionais na Coreia.

Entre os muitos exemplos de tais jogos, o Dr. Lee aponta o 윷놀이 yutnori como um importante passatempo tradicional. Nele, os jogadores lançam quatro varas e, dependendo do arranjo em que caem, avançam suas fichas no tabuleiro.

Cada palito de yut é plano de um lado e redondo do outro. Os quatro gravetos podem pousar em cinco combinações diferentes, cada uma com um nome. Quando um lado plano está para cima, ele está pronto. Dois, três e quatro lados planos são, respectivamente, denominados gae, geol e yut. O número de lados planos voltados para cima indica quantos espaços o jogador pode mover sua ficha no tabuleiro. No entanto, a combinação com todos os lados arredondados para cima, chamada mo, vale um avanço de cinco espaços. Existem quatro tokens de cursos diferentes que podem ser realizados no painel do yut. O primeiro a mover todas as suas fichas além do ponto de chegada ganha a vitória.

Run BTS! 2017 – EP.22 – dentre os jogos tradicionais, os meninos jogaram uma partida de 윷놀이

Coreia, o país que leva jogos à sério. Desde sempre.
Imagem: Peças do jogo Yutnori (Korean Heritage)

Yutnori é jogado na Coreia há muito tempo, com entalhes de um tabuleiro de yut encontrados nas pedras superiores de dolmens da Idade do Bronze. É um jogo exclusivamente coreano também. Quando você joga os quatro gravetos para o alto, não é possível prever como eles pousarão. O resultado depende, talvez, de algum poder divino. No entanto, é você quem escolhe o curso no qual definir seu token. Este jogo é como a vida – trabalhar duro para extrair o melhor de uma determinada situação. ”

Combinado pela Diversidade

A diversidade dos jogos coreanos pode, pelo menos parcialmente, ser explicada pelo desejo por novidades. Várias ideias e objetos de países vizinhos foram adotados e combinados com as tradições locais para criar novas práticas e jogos.

“Um dos passatempos originados no início da era moderna é o jogo de bola de gude [também conhecido como berlinde]. Os berlindes eram jogados de diversas maneiras. Um estava jogando sua própria bola de gude nas do oponente para vencê-las. Era o mesmo jogo que os coreanos faziam há muito tempo com moedas. Este novo brinquedo, berlindes, foi combinado com um jogo tradicional para jogar uma nova versão”.

A partir de meados do século 20, as matrículas no ensino fundamental aumentaram e a urbanização acelerou. Como as pessoas estavam deixando o campo em busca de uma nova vida na cidade, eles trouxeram as tradições locais do jogo com eles. Reunidos no mesmo espaço, esses jogos afetaram uns aos outros. Eles também foram transformados para se adequar ao novo ambiente urbano. As décadas de 1970 e 1980 foram a ‘era de ouro’ dos jogos.

“Existem mais de 100 maneiras diferentes de jogar 공기놀이 (gonggi nori), um jogo que usa pequenos seixos ou pedras de plástico. As pessoas devem ter desenvolvido tantas maneiras de brincar com pedras apenas por diversão. As pessoas também gostavam de brincar em grupos porque proporcionava mais diversão, e brincar junto levava a ideias mais criativas para brincar com pedras. Este processo criativo é alimentado pelo amor inato das pessoas pela emoção. A história chinesa do século III, Records of the Three Kingdoms, relata que os povos da Península Coreana da época adoravam cantar e dançar. Nossa sede insaciável por diversão e emoção alimentou a diversidade que caracteriza a tradição dos jogos coreanos. ”

Os jogos mudaram com o passar do tempo, mas a natureza divertida dos coreanos ainda sustenta a próspera cultura de jogos de hoje.

Um lugar perfeito para aprimorar suas habilidades de jogo (Lee Kyung-Hyuk)

Coreia, o país que leva jogos à sério. Desde sempre.
Imagem: Campeonato mundial de LoL de 2018, na Coreia do Sul (Korean Heritage)

Os videogames foram apresentados pela primeira vez na Coreia do Sul no final dos anos 1970 na forma de máquinas de fliperama. Na época, as pessoas tinham que ir a lugares como cafés e banhos públicos para jogar videogame. A indústria doméstica de videogames começou a surgir na década de 1980 e floresceu no final da década de 1990.

Como parte do esforço de reestruturação industrial após a crise financeira asiática de 1997, o governo coreano investiu ativamente no setor de tecnologia da informação, e um dos beneficiários foi a indústria de jogos. Ao mesmo tempo, a internet banda larga estava se tornando disponível em todo o país e centros de jogos em LAN, chamados de  PC방 PC bang, em coreano, surgiram em cada esquina das cidades em todo o país.

Foi nessa época que muitos coreanos se apaixonaram por jogos online de megassucesso como StarCraft, Lineage e Baramue Nara. O colunista de jogos Lee Kyung-hyuk explica que o país estava na primeira fase de desenvolvimento da indústria de jogos no final dos anos 1990 e início dos anos 2000, mas agora estão em um estágio totalmente diferente.

“O primeiro capítulo da indústria de jogos, regido pelos jogos online, deu lugar a uma nova era com o advento dos jogos para celular. Com a popularização dos smartphones na década de 2010, as pessoas que não tinham o costume de jogar foram iniciados no mundo dos jogos em grande número. Agora, não é mais incomum ver pessoas jogando um jogo online em seus telefones celulares no transporte público. De acordo com o Livro Branco de 2020 sobre o Mercado de Jogos na República da Coreia publicado pela Agência de Conteúdo Criativo Coreano, com 49,7%, os jogos para celular representaram a maior parte do mercado de jogos coreano em 2019”.

Olhando para o cenário global, a Coreia do Sul ficou em quinto lugar em termos de participação no mercado global de jogos em 2019. As vendas de 2020 para a indústria de jogos coreana ultrapassaram 15 trilhões de KRW. De acordo com pesquisas, 70 a 80 por cento dos sul-coreanos relatam ter jogado videogame pelo menos uma vez no ano passado.

A posição de destaque da Coreia do Sul no jogo global é claramente vista nos e-sports. No Campeonato Mundial de League of Legends de 2020, a equipe coreana Damwon Gaming levou para casa o título mundial e o integrante da equipe Kim Geon-bu recebeu o prêmio de Jogador Mais Valioso.

Jogadores profissionais internacionais vêm para a Coreia do Sul para treinar nas competições de League of Legends. Há muitos adolescentes comuns com quem jogar aqui, que são tão bons quanto jogadores profissionais. Os coreanos não apenas jogam muito, mas também são jogadores e fabricantes habilidosos. Os jogadores coreanos de hoje não precisam explicar como a Coreia do Sul é boa em jogos para seus colegas em outras partes do mundo. Nossa reputação já está bem estabelecida”.

Jogadores como Criadores

Coreia, o país que leva jogos à sério. Desde sempre.
Imagem: Time Damwon – campeões mundiais de LoL, da edição de 2020 (Korea Heritage)

O maior crédito pelo sucesso da indústria de jogos coreana deve ir para seus consumidores.

Os jogadores coreanos nunca param de trabalhar para melhorar em seus jogos favoritos. Eles repetem os jogos para analisar seus erros e o sucesso dos outros, discutir seus resultados com outros jogadores e aplicar as estratégias de sucesso dos outros em seus jogos futuros. Por meio desse processo, eles desenvolvem maneiras mais criativas de jogar.

“Os jogadores coreanos [online] podem se envolver fortemente no desenvolvimento de jogos por meio de sua comunicação com empresas de jogos em várias comunidades online. Os desenvolvedores de jogos ouvem atentamente as opiniões expressas em clubes de jogos online e as refletem em seu trabalho. Este processo interativo pode ser o segredo por trás do grande avanço na qualidade dos jogos online que alcançamos na última década. Um jogo online é um serviço ao vivo em que a manutenção e as atualizações são muito importantes, e o feedback dos usuários é de grande ajuda neste processo. A participação do usuário é uma das principais forças motrizes por trás do crescimento da indústria de jogos. ”

A preferência enraizada dos coreanos por fazer as coisas rapidamente também desempenhou um papel crítico na aceleração do desenvolvimento da indústria de jogos. Os jogadores de League of Legends usam popularmente a frase “Então, qual é o seu nível?” em comunidades online como um meio de obter vantagem em uma disputa potencial com outras pessoas. Elevar um nível é a maneira mais certa de ter opiniões respeitadas em discussões online, e as pessoas querem fazer isso muito rápido.

“A preferência especial dos coreanos por atingir uma meta no menor tempo possível deve representar um grande desafio para as empresas de jogos. Quanto mais rápido os usuários puderem dominar um determinado jogo, mais cedo eles terão que desenvolver um novo. É interessante saber que a ideia de competir para matar o chefe final de um jogo online, chamado Race to World First na Coreia, começou no país, mas pegou no mundo todo”.

As empresas coreanas de jogos não estão apenas focadas no crescimento, mas também estão trabalhando para compartilhar o que ganharam com uma sociedade mais ampla. Por exemplo, a Riot Games Korea apoiou o retorno à Coreia do Sul de uma série de artefatos históricos que há muito estavam hospedados no exterior, como o livro de bambu usado para a investidura do príncipe herdeiro Hyomyeong e uma xilogravura para a Coleção de Obras Literárias de Cheogam. A Nexon Coreia doa anualmente dezenas de bilhões de KRW para ajudar a tratar crianças com câncer.

Coreia, o país que leva jogos à sério. Desde sempre.
Imagem: A Riot Games Korea patrocinou a volta de uma série de artefatos coreanos.
O exemplo mais recente é uma xilogravura da coleção de obras literárias de
o estudioso Kim Do-hwa (apelido Cheogam; 1825–1912), que liderou uma unidade do exército lutando contra o Japão Imperial. Formando duas páginas do livro de Cheogam,
este bloco de madeira foi encontrado em uma pequena casa de leilões na Alemanha e foi devolvido à Coreia do Sul em 2017. (Korea Heritage)

Espero que as empresas e usuários de jogos prestem mais atenção em fazer contribuições sociais e estabelecer uma cultura de jogo positiva. Os jogos online envolvem muito diálogo com outros jogadores ou pessoas do outro lado da tela, e eles variam em idade. É importante respeitar uns aos outros em um jogo online. Espero que possamos estabelecer uma cultura de jogos que se adeque à nossa reputação como uma potência global de jogos”.

A introdução de um servidor coreano para o videogame multijogador StarCraft, inaugurado em 2010, diz: “A Terra da Manhã Calma dominou a arte da guerra e emergiu como o lar dos jogadores de StarCraft mais renomados da Terra. Não chegue ocioso a este combate”.

Assim como seus ancestrais, os coreanos de hoje estão trabalhando duro para criar novos jogos e explorar melhores maneiras de desfrutá-los. Eles levam a diversão a sério.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

19 − quatro =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.