A língua coreana evoluiu ao longo dos milênios, acumulando um extenso léxico.

A língua coreana é composta de palavras nativas do povo coreano, caracteres coreanos originais, palavras com raízes hanja e palavras estrangeiras que se enraizaram na cultura coreana moderna.

Atualmente, o dicionário online coreano tem mais de 1,1 milhão de palavras, o maior número de todos os idiomas. Para referência, o número total de palavras em inglês é cerca de metade disso.

Não é à toa que o Departamento de Estado dos Estados Unidos, que classifica os idiomas de acordo com o nível de dificuldade que seus diplomatas têm para alcançar a “Proficiência Profissional no Trabalho”, classifica o aprendizado da língua coreana como uma das mais difíceis de aprender.

Hangul, o alfabeto coreano, é considerado o sistema mais científico entre todos os idiomas
As consoantes do alfabeto coreano são inspiradas nos movimentos da boca. Foto: Takelessons.com

Uma das principais características do idioma coreano é que ele é um idioma consonantal sem sons emitido, semelhante aos sons da natureza. A língua inglesa, por outro lado, tem muitas consoantes sonoras que criam sons por meio da vibração das cordas vocais.

“A pronúncia do inglês não faz sentido. Por exemplo, a pronúncia de ‘chapéu’ (hat) torna-se outra coisa quando ‘w’ é adicionado na frente e torna-se ‘o quê’” (what), disse Curt Teller, um imigrante austríaco que falava alemão, espanhol e inglês. .

Existem estrangeiros na Coreia que não sabem inglês. Eles não precisam, pois podem aprender hangul.

Em comparação com os imigrantes nos Estados Unidos, que lutam para aprender a língua inglesa independentemente do tempo que moram no país, os imigrantes e os trabalhadores estrangeiros na Coreia têm uma experiência de aprendizado muito mais tranquila com a alfabetização em hangul.

O sistema de escrita coreano, o hangul, é considerado o sistema de alfabeto fonético mais científico.

O falecido James McCawley (1938-1999), um linguista da Universidade de Chicago, disse uma vez que “hangul é o sistema de escrita mais engenhosamente desenvolvido que existe. É o único sistema de escrita do mundo que divide frases não apenas em palavras, sílabas e sons individuais, mas também em recursos articulatórios.”

“Vejo estrangeiros que mostram alfabetização quase completa em hangul somente depois de três anos morando na Coreia”, disse o professor Lee Chan-kyu, que pesquisa a língua coreana na Universidade Chung-Ang.

Hangul tem “consoante, vogal, consoante” distintamente agrupadas em uma única sílaba. Existe uma definição clara de sílabas e palavras que se encaixa perfeitamente no ecossistema digital.

“A superioridade do hangul é que ele pode articular expressões completas em sílabas mais curtas. A divisão da sílaba é clara e o hangul pode criar palavras com simplicidade com palavras baseadas no hanja”, disse Lee.

Hangul, o alfabeto coreano, é considerado o sistema mais científico entre todos os idiomas
Rei Sejong, imortalizado num dos monumentos mais importantes de Seul. Foto: Arts & Crafts Korea

Embora o Rei Sejong, o Grande, tenha introduzido o hangul em 1443, foi apenas em 1527 quando Choi Se-jin lançou o livro de estudo Hunmongjahoe, fornecendo a cada letra do hangul seu respectivo nome, que as pessoas puderam aprender o hangul junto com os caracteres hanja.

O Hunmongjahoe possibilitou que a linguagem escrita se igualasse à língua falada do povo coreano no século XV.

Desde que o antigo povo Dongyi inventou a escrita óssea do Oráculo, que foi refinada em caracteres hanja durante a dinastia Han (202 aC a 220 dC), os caracteres hanja têm sido o sistema de linguagem escrita comum compartilhado pelas culturas do Leste Asiático. O hanul coreano completou os caracteres hanja do ideograma original com letras fonéticas.

Assista um pouco da beleza do Hangul:

Nas culturas do Leste Asiático, que usam sistemas de escrita baseados em caracteres hanja, os idiomas vietnamita, japonês e chinês geralmente usam o alfabeto inglês como guia de pronúncia para selecionar palavras ao digitar em smartphones ou computadores. Os usuários do hangul coreano têm a eficiência e facilidade de usar o alfabeto hangul diretamente.

Durante o domínio colonial japonês (1910-1945), quando o uso da língua coreana foi suprimido, a Sociedade da Língua Coreana, um grupo secreto de especialistas em hangul reuniu todas as palavras conhecidas na língua coreana, que tem um conjunto bastante diverso de dialetos locais.

O “Guia de Unificação de Ortografia de Hangul” foi lançado em 19 de outubro de 1933, que era a data conhecida do 487º aniversário da promulgação de hangul pelo Rei Sejong, o Grande em 1446.

Mas quando o Hunminjeongeum de 1443, Tesouro Nacional nº 70, o livro original que introduz a criação do alfabeto hhangul, foi encontrado em 1940, a data original da promulgação do hangul em 9 de outubro de 1443 foi confirmada pela primeira vez. Portanto, 9 de outubro se tornou o “Dia do Hangul”, um feriado nacional na Coreia.

O Grande dicionário de hangul coreano, concebido em 1929, foi impresso pela primeira vez em 1947, dois anos após a libertação do domínio colonial japonês.

Hangul, o alfabeto coreano, é considerado o sistema mais científico entre todos os idiomas
Museu da Língua Coreana, em Seul. Foto: etourism korea

Muitos pesquisadores de hangul morreram na prisão e foram perseguidos por seu trabalho no projeto do dicionário de hangul, que as autoridades coloniais tentaram bloquear.

Em sua última versão impressa publicada em 1994, o dicionário Great Korean Hangul contém 450.000 palavras, sem incluir nomes e nomes de lugares, em um número impressionante de 5.496 páginas. O dicionário não está mais sendo impresso.

O dicionário online de hoje tem mais de 1,1 milhão de palavras, o máximo de qualquer idioma na internet. De acordo com os pesquisadores, 55% das palavras coreanas têm raízes em caracteres coreanos e hanja, 40% em palavras puramente coreanas, enquanto o restante das palavras foram adotadas de idiomas estrangeiros.

Novas palavras são criadas quase diariamente. Por exemplo, uma palavra coreana “deuk” que significa “ganhar” ou “alcançar” é combinada com “tem” de “item” em inglês para formar uma nova palavra “deuktem” que significa “achado fortuito” ou “achado inesperado de algo de valor ou de natureza agradável.”

Durante a Pandemia COVID-19, os coreanos inventaram duas variações adicionais da palavra “máscara” para descrever diferentes maneiras de vestir máscaras. A nova palavra hangul para descrever uma máscara que cobre abaixo do nariz é chamada de “kosk”, unindo a palavra “ko” que significa nariz em coreano e “máscara”. Usar uma máscara cobrindo apenas o queixo é chamado de “teoksk”, como em “teok”, a palavra para queixo, e “máscara”.

Uma das palavras mais significativas em coreano é “geosigi”, que pode significar uma série de coisas, incluindo “aquilo, que, algo difícil ou estranho de dizer, anatomia sexual masculina”, apenas para citar alguns.

Na verdade, geosigi é uma palavra que será o que você quiser no contexto do que você quiser dizer. É semelhante a “what you may call it” em inglês americano (ou o “tipo isso” em português”).

As pessoas normalmente não têm problemas para entender o significado pretendido da palavra “geosigi”, seja lá o que ela pretenda ser.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

treze − 7 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.