Debaixo de um teto feito de painéis de vidro, raios quentes do sol que iluminam o vasto espaço cheio de livros, música suave e pessoas falando em sussurros cumprimentam todos aqueles que vêm experimentar a agora famosa Biblioteca Starfield no Coex Mall.

O paraíso dos amantes dos livros – com prateleiras gigantescas que vão do piso subterrâneo até o teto do andar térreo – está repleto de inúmeras publicações de todo o mundo. A biblioteca se tornou um local imperdível para quem visita o Gangnam, bairro ao sul de Seul que ficou famoso pela musica hit de Psy e conhecida por suas lojas sofisticadas, shoppings luxuosos e restaurantes chiques.

Além das fileiras quase intermináveis de livros que parecem dobrar como paredes de todos os lados, o andar de cima também tem prateleiras marrons menores com vários volumes para  leitura, enquanto revistas estão expostas em quiosques no andar de baixo.

 

Há ainda um espaço reservado para eventos culturais semanais, como concertos de música, leituras de poesia e palestras de autores renomados.

Mesas, bancos, pufes e sofás macios estão espalhados no paraíso dos livros, onde qualquer um pode pegar um exemplar e ler o quanto quiser, com mesas com e sem tomada para quem usa dispositivos móveis e laptops.

Eu me sinto livre para ler nesta enorme biblioteca. Eu não preciso prestar atenção em ser observado ou no que os outros fazem“, disse Kim Ju-hyun, que lia um livro de poesia em uma mesa lateral da biblioteca. “É um lugar perfeito para explorar as estantes de livros e escolher todos os que chamam a atenção.”

Biblioteca Starfield. Foto: 10 Magazine Korea
Biblioteca Starfield. Foto: 10 Magazine Korea

Junto com Kim, um especialista em computadores aposentado de 68 anos e muitas outras pessoas  perambulavam pelas estantes para ver capas e escolher um livro para ler. Outros trabalhavam em seus laptops com uma xícara de café comprada em uma das muitas lojas próximas.

A biblioteca gratuita abriu no final de maio do ano passado e ocupa uma área impressionante de 2.800 metros quadrados, com dados estimando a frequência de mais de 1,7 milhão de pessoas para o Coex Mall em março. Isso trouxe mais vida ao shopping, que na verdade havia perdido compradores para um shopping center e uma loja de departamentos em bairros vizinhos.

Depois que a Biblioteca Starfield foi inaugurada, o shopping parece mais vibrante e cheio de energia“, disse Kim Jin-sook, gerente de uma loja de cosméticos no Coex Mall. “O número de nossos clientes mais que dobrou.”

kyobobook
O Kyobo Book Center. Foto:

O Kyobo Book Center, a livraria on-line e off-line número 1 na Coreia do Sul, não ignorou a importância de atrair pessoas, assim como a Starfield. Ela também montou uma mesa de madeira de 11,5 metros de comprimento que pode acomodar 100 pessoas ao mesmo tempo em sua filial em Gwanghwamun, no centro de Seul. A acervo permite que os leitores tenham acesso a livros para compra e gratuitos.

A livraria também remodelou sua praça de alimentação com vários cafés e lojas de artigos de papelaria e brinquedos. Desde então, a empresa viu o número de visitantes mensais aumentar em 13,2% na média. Eles compram não apenas livros, mas também bebidas, cadernos, canetas, acessórios e pequenos aparelhos eletrônicos à venda na livraria.

As vendas do Kyobo Book Center subiram 0,4 por cento, para 525,5 bilhões de won (US$ 486,9 milhões) no ano passado, saindo de uma queda de 5,8 por cento no ano anterior.

A gigante no varejo, Shinsegae, juntou-se à Youngpoong Bookstore, a segunda mais popular livraria e abriu uma grande livraria semelhante a um café que também é aberta ao público e permite que as pessoas leiam livros livremente no recém-construído complexo comercial Starfield Hanam.

Uma Youngpoong Bookstore em Jongro. Uma joint venture com um CNN Café. Foto: Suburban Girl
Uma Youngpoong Bookstore em Jongro. Uma joint venture com um CNN Café. Foto: Suburban Girl

A nova tendência é parte de esforços contínuos para impulsionar as vendas de livrarias locais que lutam com uma longa crise decorrente do surgimento de conteúdo diversificado na Internet, livros on-line mais baratos e materiais eletrônicos acessiveis.

De acordo com dados do centro de pesquisa KB Financial Group, a taxa de lucro operacional das três principais livrarias da Coreia do Sul alcançou uma média de 0,4% em 2010-2014, uma queda acentuada em relação aos 3,2% registrados no período 1994-1998. o mercado de livros on-line ainda não existia. O número de livrarias off-line despencou para cerca de 1.560 em 2015, de 4.595 em 1999.

Especialistas dizem que as empresas sabem que os livros gratuitos são o item mais fácil e promissor para atrair pessoas e fazê-las ficar mais tempo em shoppings, o que os leva a gastar dinheiro para comprar livros e outros produtos enquanto estiverem lá.

Apesar da tendência on-line irreversível, as livrarias têm feito esforços para oferecer serviços sob medida para os clientes que lêem livros físicos“, disse Lee Taek-su, pesquisador do KB Financial Group. “Eles realizam apresentações, organizam clubes de livros e preparam mesas e cadeiras com bebidas. Além disso, entram em grandes shoppings como uma espécie de marco para atrair as pessoas”.

Outros disseram que a mudança para o último tipo de biblioteca aberta está começando a emergir uma tendência cultural que não apenas ajuda os donos das lojas, mas também enriquece a vida das pessoas, proporcionando um lugar para fugir da agitação da vida cotidiana e relaxar entre as pessoas e livros em um ambiente confortável.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.