Santuário no Templo Mireuk antes e depois da restauração Foto: Yonhap

As autoridades de patrimônio cultural abrirão ao público o maior e mais antigo santuário de pedra da Coreia do Sul, após 20 anos de restauração

O Instituto Nacional de Pesquisa de Patrimônio Cultural, juntamente com o governo provincial do Norte de Jeolla e o governo da cidade de Iksan, realizaram uma cerimônia para mostrar a dedicação na restauração do santuário no local do Templo Mireuk na cidade provincial de Iksan.

O santuário é o mais ocidental dentre os três existentes no templo construido sob ordens de King Mu (600-641), lider durante o auge do Império Baejke (18 a.C – 660 D.C). É o 11º tesouro nacional da Coreia do Sul.

O Santuário do Templo de Mireuk após a restauração. Foto: Yonhap

Originalmente com 9 andares de altura, o santuário tinha apenas 6 no início do século 20. Para evitar mais desmoronamentos, as autoridades coloniais japonesas en 1915 despejaram toneladas de concreto em partes da torre. Entretanto, foi apontado como perigoso em uma checagem de segurança conduzida pelas autoridades de patrimônio cultural em 1998.

Em 1999, O Comitê de Propriedades Culturais sob a Administração de Patrimônios Culturais decidiu desfazer e restaurar a estrutura, e o instituto de pesquisa fechou o santuário ao público em 2001 para um projeto de 23 bilhões de wons de restauração da torre de seis andares.

Cerimônia que marcou os 20 anos de restauração do Santuário. Foto: Yonhap

Levou 16 anos para o instituto de pesquisa retirar os blocos de pedra e remover 185 toneladas de concreto vazado. Em 2017, o instituto concluiu a remontagem dos blocos de pedra antes de remover totalmente todos os andaimes ao redor da estrutura no início do ano.

A restauração do santuário tem 14,5 metros de altura e 12,5 metros de largura, com 1.627 blocos de pedra pesando 1,830 toneladas.

81% dos antigos blocos de pedra anteriores à restauração foram reutilizados, e o granito “hwangdeungseok”, produzido em Iksan, foi usado nos novos blocos. As proporções de antigos e novos blocos de pedra na restauração são de 65% e 35%, respectivamente.

Participantes na cerimônia de conclusão da restauração do Santuário. Foto: Yonhap

Em 2009, um antigo registro em uma placa de ouro, descoberto no processo de desmontagem do santuário, mostrou que a Rainha de Baekje, filha do oficial sênior Sataek Jeokdeok, mandou contruir o templo em 639.

Um oficial do instituto disse que o trabalho feito do santuário de pedra é a mais longa restauração feita em uma única propriedade cultural, além da restauração ter incrementado a sua forma original e a estabilidade da estrutura.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.