Por volta de 9h30 da manhã, as ruas de Seul estão, em geral, vazias, já que os funcionários já estão presos em suas mesas de trabalho e os turistas ainda não se encontram nas redondezas. Mas a rua que começa na Estação Anguk e segue para o Tribunal Constitucional e adentra a Hanok Vilage de Bukchon já está cheia de turistas aproveitando o outono da cidade. Eles costumam primeiramente seguir para a 3355, uma loja de aluguel de hanbok (vestimenta tradicional coreana).

Este mês, um grande número de turistas chineses se encontra no país por um curto período quando a China celebra o feriado nacional da Semana Dourada. Dois amigos de Xangai – Zhang Yan e Li Jinxia, ambos com 32 anos de idade – escolheram na loja, hanboks elegantes, nas cores marfim e azul.

Queríamos experimentar a cultura coreana e também a atmosfera,” Zhang e Li disseram para o Korea Times. O Palácio Gyeongbok estava fechado no dia, mas o Palácio Changdeok estava aberto e eles planejaram visita-lo mais tarde.

Yan Zhang, na esquerda e sua amiga Jinxia Li de Xangai, China, olham os variados Hanbok para aluguel na 3355, localizada em Gyedong, Seul, na terça-feira./ Foto do Korea Times por Kim Ji-Soo
Yan Zhang, na esquerda e sua amiga Jinxia Li de Xangai, China, olham os variados Hanbok para aluguel na 3355, localizada em Gyedong, Seul, na terça-feira./ Foto do Korea Times por Kim Ji-Soo

Zhang e Li, que chegaram em Seul no dia 1 de outubro para o feriado de cinco dias, disseram que ficaram sabendo sobre as vestimentas tradicionais através de novelas históricas coreanas como Jewel in the Palace. As duas continuam grandes fãs de novelas coreanas, incluindo W e Jealousy Incarnate.

Alugar um vestido tradicional na 3355 custa entre 30.000 e 50.000 wons dependendo do estilo, o que é considerado barato considerando que comprar um hanbok feito sob medida pode custar de algumas centenas até 1 milhão de wons. Apesar disso, até o ano passado, em especial em Seul, não havia muitos coreanos e turistas correndo para lojas de aluguel como a 3355 para provarem as roupas.

hanbok - 02

Nós explicamos como colocar a vestimenta completa, desde a saia de baixo até o jeogori (jaqueta) externa e a saia externa. Não dizemos que a saia de baixo é opcional“ disse a funcionária da 3355, Hyun-Ji Shin. “E para aqueles interessados, também fazemos o cabelo de acordo com a silhueta do hanbok por 5.000 wons a mais” afirmou ela. Era isso que Li e Zhang estavam fazendo.

Hanboks na 3355 estão disponíveis apenas para aluguel por um dia e a loja os lava a seco toda vez que são devolvidos. A loja possui cerca de 600 hanboks e quatro funcionários para atender os clientes.

Lojas de aluguel como esta na Bukchon e outras na grande área de Jongno – cerca de 70 de acordo com informações – são vistas facilmente. So-Jung Hwang, de 39 anos, abriu sua loja em Choyeon recentemente na mesma vizinhança em abril deste ano. Ela decidiu abrir uma loja de aluguel de Hanbok após ver um grupo de jovens usando hanboks coloridos e vibrantes em Gwanghwamun. Nos últimos seis meses, ela focou por completo no seu negócio, vestindo seus principais clientes, turistas, ela mesma. Ela disse que quer transmitir o papel único do hanbok na vida coreana.

Diferente da 3355 que cobra pelo dia, sua loja cobra 15.000 wons para o aluguel de quatro horas e 30.000 wons para o dia inteiro. Mas existem outras lojas de aluguel que cobram pela hora ou algumas horas por preços mais acessíveis, e Hyun-Ji da 3355 acredita que essas lojas fazem seu papel em promover o hanbok. Tanto So-Jung e Hyun-Ji parecem orgulhosas e esperançosas que o interesse em usar hanbok cresça, como o uso do kimono ou a yukata no Japão.

Diz-se que o aluguel dos hanboks cresceu depois que o governo começou a oferecer entrada franca para pessoas vestidas de hanbok nos quatro maiores palácios, Gyengbok, Changdeok, Changgyeong e Deoksu, desde o final de 2013. Mas Hyun-Ji também viu um efeito poderoso nas mídias sociais, das fotos de jovens usando o hanbok.

Uma mulher caminha pelas dependências do Palácio Gyeongbok em Seul, vestida com a vestimenta tradicional coreana, o Hanbok/ Foto do Korea Times por Hyun-chul Shim
Uma mulher caminha pelas dependências do Palácio Gyeongbok em Seul, vestida com a vestimenta tradicional coreana, o Hanbok/ Foto do Korea Times por Hyun-chul Shim

De modo geral, houve uma mudança no pensamento, de que a vestimenta tradicional coreana não precisa ficar guardada no armário ou ser usada apenas em ocasiões familiares importantes. O Heudereojida, um clube na Ewha Womans University, organizou um evento de dois dias de uso de hanbok em setembro no campus no oeste de Seul.

O sentimento do público em geral parece ser que as pessoas estão interessadas em voltar às suas raízes. Designers de Hanbok, no entanto, são descrentes; eles tem notado que o hanbok tem desaparecido de eventos culturais e rituais como o pyebaek de cerimônias de casamento, onde a noiva e o noivo se vestem tradicionalmente e mostram seu respeito para com seus pais.

Eu vejo mais jovens usando o hanbok, em especial ao redor dos palácios, mas me pergunto se eles pensam sobre o significado da vestimenta tradicional, que é (nos tempos modernos) utilizada em ocasiões especiais” disse Hye-Soon Lee, designer de hanbok e dona da loja de hanbok Damyeon. “Nosso hanbok depende da linha, da silhueta, onde começa a saia de baixo. E nem tudo gira em torno da beleza. Há que se levar em conta a tradição, como por exemplo, mostrar nossa linha corporal apenas até os ombros. Então a silhueta muda a partir deste ponto dependendo se é para uso diário, ou se for para grandes eventos de família ou para cumprimentar os membros mais velhos da família” afirmou.

hanbok - 01

Hye-Soon expressou preocupação de que usuários entusiasmados de hanbok nas ruas estejam fazendo isso apenas pela diversão. Como designer, ela espera que as pessoas que alugam esses hanboks ensinem aos usuários sobre as origens culturais e seu significado, como ela fez recentemente quando viu clientes amarrarem seus laços de modo incorreto em seus hanboks alugados na Vila Hanok de Jeonju ao Norte da Província de Jeolla.

Ye-Jin Kim, designer e dona da Ye-Jin Kim Hanbok, vê o lado positivo da moda de usar hanboks por permitir a grande qualidade do vestido tradicional se tornar mais conhecida. Ainda assim, como Hye-Soon, Ye-Jin deseja que as pessoas saibam o modo certo de usar o hanbok, que ela reforça, começa com as partes de baixo, seguido da saia de baixo, o pequeno casaco e suas várias camadas.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.