Na Coreia, o Ano Novo Lunar ou Seollal (‘설날’, em coreano) representa o momento de afastar a má sorte e as infelicidades do ano anterior e aguardar positivamente o ano que está por vir. A data é um dos principais feriados do país e reúne as famílias em torno de rituais e práticas tradicionais, muitas vezes inspirados em costumes chineses, ainda que, hoje em dia, apresentem características modernas.

Enquanto as origens do feriado são majoritariamente desconhecidas, acredita-se que as celebrações tenham suas raízes em rituais do século VI. Suas origens também se confundem com lendas e mitos chineses, segundo os quais as festividades de Ano Novo teriam surgido séculos atrás como forma de combater uma criatura maligna. Como a criatura temia a cor vermelha, o fogo e ruídos, as pessoas começaram a comemorar a passagem do ano com decorações vermelhas, lanternas que iluminam as ruas durante toda a noite e fogos de artifício.

Decorações tradicionais do Ano Novo Chinês. Foto: Daily Hive
Decorações tradicionais do Ano Novo Chinês. Foto: Daily Hive

De fato, as raízes do feriado na Coreia têm fortes relações com as tradições chinesas, tendo em vista que o calendário lunar coreano inspira-se na versão chinesa. Entre os séculos V e VI, o território coreano encontrava-se dividido em Três Reinos – Silla, Goguryeo e Baekje – e o calendário lunar foi adotado como padrão pela primeira vez. O calendário lunar marca a passagem de tempo com base nos ciclos de fases da lua, em contraste com os calendários solares, como o Gregoriano, que utilizam o ciclo do sol como referência. Apesar de o calendário Gregoriano (Ocidental) ter sido adotado pela Coreia no fim do século XIX, o calendário lunar permanece como referência para os festivais tradicionais.

As comemorações do feriado do Ano Novo Lunar acontecem todos os anos no primeiro dia do calendário lunar e duram por três dias, no período da segunda lua nova após o solstício de inverno. Em 2018, o Seollal será comemorado em 16 de fevereiro! Assim, o feriado combina um elemento tradicional – a observância das fases da lua, marcadas pelo calendário lunar – com a realidade presente, em consonância com as datas do calendário Gregoriano.

No dia do Ano Novo Lunar, as famílias coreanas se reúnem para prestar homenagens aos seus antepassados com banquetes de pratos típicos da culinária tradicional, realizando troca de presentes e outras atividades que marcam o feriado como uma das principais datas do calendário do país.

Cena do ritual de homenagem aos antepassados, Charye. Foto: Bao Moi
Cena do ritual de homenagem aos antepassados, Charye. Foto: Bao Moi

O feriado do Ano Novo Lunar inicia-se com o ritual que homenageiam os antepassados, conhecido como charye (‘차례’, em coreano), realizado antes mesmo do café da manhã, no qual a família se curva frente a um banquete especialmente preparado para a ocasião. O costume tem sido uma tradição desde a Dinastia Joseon e representa as fortes influencias do Confucionismo no modo de vida coreano, tendo em vista que os ensinamentos de Confúcio prezam pelo respeito aos mais velhos e antepassados, como forma de demonstrar gratidão e sacrifício. Hoje em dia, os rituais homenageiam, geralmente, apenas os pais e avós, isto é, as duas gerações mais próximas dos familiares vivos.

Sopa de bolos de arroz tipicamente consumida no Ano Novo Lunar, Tteok-guk. Foto: Shinan
Sopa de bolos de arroz tipicamente consumida no Ano Novo Lunar, Tteok-guk. Foto: Shinan

É tradicional que o prato principal do feriado seja a sopa de arroz, Tteok-guk (‘떡국’, em coreano), preparada com fatias de bolo de arroz branco, cortadas no formato de moedas antigas para simbolizar prosperidade e fortuna, além de carnes, vegetais e ovos. Acredita-se que o costume de consumir esta sopa tenha origem no século XIX, pois, além de simbolizar o envelhecimento de quem a consome – mais um ano de vida! –, seria essencial para garantir um novo ano repleto de prosperidade e pureza.

Atualmente, cresce a percepção de que o feriado deve proporcionar momentos agradáveis em família, de modo que a carga de trabalho esperada das mulheres – responsáveis pela preparação dos pratos tradicionais – tem sido reduzida com a distribuição das tarefas de modo igual entre os demais familiares. Além disso, as lojas alimentícias e restaurantes passaram a oferecer, especialmente nos últimos anos, serviços culinários ou refeições prontas, assim é possível que os pratos encomendados sejam entregues a domicílio na manhã do feriado ou no dia anterior, adicionando praticidade às tradições do Seollal.

Saudação realizada pelas crianças em respeito aos mais velhos. Foto: Korea.net
Saudação realizada pelas crianças em respeito aos mais velhos. Foto: Korea.net

Após as refeições, é costumeiro que as crianças se curvem em respeito aos seus pais e recebam, em retorno, uma pequena quantia de dinheiro. Esta prática, conhecida como sebae (‘세배’, em coreano) também tem suas origens relacionadas com tradições chinesas: desde o século XI, os pais chineses dão os filhos solteiros e crianças um envelope vermelho com dinheiro como forma simbólica de trazer boa sorte. Este costume foi incorporado às comemorações do Ano Novo Lunar coreano, ainda que anteriormente, na Coreia, fosse comum que apenas aperitivos e desejos de boa sorte fossem oferecidos as crianças invés de dinheiro. Se a criança recebesse dinheiro de seus pais, no envelope estaria escrito para que o dinheiro devesse ser utilizado.

Doces tradicionais, Hangwa, geralmente oferecidos como presente. Foto: Diane Story
Doces tradicionais, Hangwa, geralmente oferecidos como presente. Foto: Diane Story

Outro costume é a troca de presentes entre os familiares, não apenas entre as crianças. Décadas atrás, quando grande parte da população ainda se encontrava em situação econômica precária, como consequência da Guerra da Coreia e de crises financeiras, o costume de trocar presentes no feriado se resumia a presentes simples e baratos, como ovos ou açúcar. Porém, ao longo do tempo, e de modo paralelo à recuperação financeira e desenvolvimento econômico do país, a troca de presentes adquiriu novo significado.

No presente, é comum presentear com opções de alimentos saudáveis, como castanhas, nozes, amêndoas e ginseng, ou doces tradicionais, como os hangwa (‘한과’, em coreano). Além disso, outros produtos que também são muito vendidos no período são carnes e bebidas alcoólicas típicas do país, como o sikhye (‘식혜’, em coreano), um drink adocicado feito a partir de arroz.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.