A prática de exercício físico é indispensável para um estilo de vida saudável, especialmente na escola, onde as brincadeiras podem auxiliar no hábito das crianças se manterem ativas.

Com o agravamento da poluição do ar aumentando as preocupações com a saúde, escolas estão se esforçando para encontrar alternativas internas para as atividades esportivas.

Em março, a escola de ensino fundamental Banghak de Seul (Seoul Banghak Elementary School) introduziu uma sala para esportes virtuais, com uma tela ampla de corpo inteiro, sensores de alta tecnologia e tecnologia de realidade virtual.

(Imagem: The Korea Herald)
(Imagem: The Korea Herald)

As salas esportivas internas permitem que os alunos participem das atividades esportivas no ambiente interno, substituindo as aulas de educação física ao ar livre, quando os níveis de poluição do ar estão altos.

“Nos disseram que não haverá atividades externas quando a qualidade do ar estiver ruim”, disse Choi Eun-joon, de 12 anos, enquanto pratica o chute com a bola em objetos virtuais, na nova sala de esportes.

“Prefiro ir lá fora, mas desta forma também é divertido porque posso jogar com meus amigos. E também posso praticar vários tipos de habilidades no futebol, como chutar arremessar e cabecear”, acrescenta Choi.

O colega de classe de Choi, Park Hyun-soo disse não gostar de ser forçado pelos pais a usar a máscara facial de proteção.

“Ao menos eu não preciso usar enquanto estou aqui. Usá-las o tempo todo enquanto estou no lado de fora é muito desconfortável”.

De acordo com Kim Dong-ha, diretor da escola, a sala de esportes virtuais faz parte do plano de governo para lidar com o agravamento dos níveis de poeira fina no ar durante a primavera.

O Ministério da Cultura, Esportes e Turismo anunciou dia 26 de março que planeja gastar 6.4 bilhões (won) na expansão de espaços para esportes virtuais em 178 escolas de ensino fundamental em todo o país este ano.

Piora na qualidade do ar

Enquanto não há projetos para lidar com as causas da poluição do ar, a nova instalação esportiva recebeu respostas positivas dos pais, já que a educação física de seus filhos não é mais restrita pelas condições externas.

“Possuímos 51 programas educacionais e físicos, incluindo programas que ajudam os estudantes a entender melhor as matérias escolares. Também é uma boa alternativa quando os alunos não podem realizar atividades ao ar livre, como sair e brincar no campo da escola”, disse o diretor da escola.

Fora a instalação de exercícios interna, a escola “praticamente não tem outras formas” para proteger os alunos do ar poluído, acrescentou Kim.

“É ainda mais razoável instalar purificadores de ar em todas as salas de aula, mas infelizmente, não podemos fazê-lo devido ao orçamento insuficiente da escola”.

Recentemente, o Ministério da Educação prometeu instalar purificadores de ar em todas as salas de creches, escolas primárias e escolas especiais nos próximos três anos para melhorar a qualidade do ar nestes ambientes, revisando os regulamentos de execução relacionados à Lei de Saúde Escolar.

(Imagem: Yonhap)
(Imagem: Yonhap)

Até março, pouco mais de 37% das escolas tinham instalações de purificação de ar ou purificadores, cujos filtros substituíveis podem custar até dezenas de milhares de won por ano.

O anúncio do ministério foi criticado por não tomar medidas eficazes para proteger as crianças em idade escolar da má qualidade do ar. Seul e outras cidades metropolitanas veem freqüentemente uma média diária de partículas suspensas no ar atingindo níveis “extremamente ruins” que podem atingir profundamente os pulmões, causando câncer de pulmão.

Três jogos de beisebol foram cancelados em Seul devido à poeira fina vinda da China, a primeira vez que a poluição do ar interrompeu os jogos. Avisos de poeira fina foram emitidos, com os níveis de concentração de partículas atingindo 377 microgramas por metro cúbico em algumas partes da capital sul-coreana.

“Hoje em dia, as crianças crescem e tornam-se cada vez mais altas, graças à boa nutrição, porém, sua condição física permanece relativamente pobre à medida em que se movimentam menos”, disse o diretor da Escola de Banghak.

“Precisamos construir mais instalações internas devido a má qualidade do ar, pois as atividades físicas não são importantes apenas para o desenvolvimento físico, mas também ajudam no desenvolvimento da saúde mental e ajudam as crianças a se desenvolverem socialmente e emocionalmente”, disse Kim.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.