O estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, estuda homenagear o movimento sul-coreano de independência, designando um dia para Yu Gwansun (1902 – 1920).

De acordo com a Associação Coreano-Americana da Grande Nova Iorque (ACAGNI), uma resolução para designar o dia 1º de março como “Dia de Yu Gwansun” será votada no dia 14 de janeiro.

Yu foi uma das organizadoras e uma das participantes mais conhecidas do Movimento de 1º de Março, um protesto pacífico contra a ocupação japonesa na Coreia do Sul.

Com 16 anos na época, se uniu aos colegas de escola para participar do protesto. Eles continuaram a luta organizando um outro protesto massivo, em Cheonan, cerca de um mês depois.

Esse ano marca o centenário dos protestos.

Isso significa que o estado de Nova Iorque também entende o significado histórico do Movimento de 1º de Março“, diz Kim Minsu, líder da ACAGNI. “Para comemorar o 100º aniversário, nós continuaremos a lembrar as pessoas de sua importância.”

A Associação sugeriu a designação do dia em um ávido apoio aos coreanos que moram no estado, que tem uma das maiores populações de coreanos étnicos nos Estados Unidos.

Em 2018, o The New York Times escreveu um obituário de Yu, para a série “Negligenciados Nunca Mais” (Overlooked no more, em inglês), que fala sobre pessoas incríveis que a história negligenciou.

O jornal apresentou a história de Yu, comentando sobre sua família cristã, seu histórico escolar na Ewha Hakdang (mais tarde Ewha Womans University) e como ela se tornou uma jovem ativista.

O movimento liderado por Yu, segundo o The New York Times, “cristalizou a noção de unidade nacional e foi o incentivo para a resistência.”

Yu Gwansun. Foto: Korea Times

Prisão e Morte

Yu foi presa após os protestos e, apesar das tentativas de obter um julgamento justo, ela foi sentenciada a 5 anos de prisão.

Durante o encarceramento, Gwansun continuou apoiando o movimento de independência, o que resultou em punimentos e torturas.

Em 1920, ela preparou um grande protesto na prisão, em comemoração ao primeiro aniversário do Movimento de Independência de 1º de Março. Por conta disso, ela foi colocada em uma cela isolada.

Yu morreu em 1920, aos 17 anos, por conta dos ferimentos causados pelos japoneses durante as sessões de tortura, não antes de ter escrito:

Mesmo que minhas unhas tenham sido arrancadas, meu nariz e orelhas estejam rasgados e minhas pernas e braços esmagados, essa dor física não se compara a dor de perder minha nação. Meu único remorso é não poder fazer mais além de dedicar minha vida ao meu país.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.