Caminhando por Seul, pode-se ver facilmente os edifícios construídos durante a era colonial japonesa.

Park Ga-hee, 31, residente de um bairro próximo ao Palácio Gyeongbokgung no centro de Seul, passa pelo Museu do Dinheiro do Banco da Coreia no caminho de ida e volta do trabalho. O prédio, construído em 1912, foi a sede do Banco de Joseon durante a era colonial japonesa.

Estou ciente de que o prédio foi usado para colonizar a Coreia. Não é uma coisa agradável ver o prédio”, disse Park. “Mas, ao mesmo tempo, isso faz parte da nossa história. Tenho sentimentos complicados e ambivalentes em relação a essa herança”, disse Park.

A Controvérsia Sobre O Patrimônio Arquitetônico Da Era Colonial Japonesa
Imagem: museu do dinheiro do banco da coreia (한국은행 화폐박물관 – visitkorea)

Anexada pelo Japão em 1910, a Coreia recuperou a independência no final da Segunda Guerra Mundial, em 15 de agosto de 1945. Os prédios daquela época têm hoje quase 100 anos ou mais, provocando debates sobre a preservação ou a destruição dessas heranças para re-desenvolvimento.

Em 1995, o ano que marcou meio século após a libertação, o governo coreano começou a demolir o prédio do Governo Geral Japonês, construído bem em frente ao Palácio Gyeongbokgung, no centro de Seul.

Houve discussões intensas sobre a destruição do prédio na época”, disse Alfred B. Hwangbo, professor da Escola de Arquitetura da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia de Seul. “Era a década de 1990, e a nação estava profundamente dividida sobre como aceitar a história moderna da Coreia.”

A cidade de Seul demoliu outro prédio em 2015 – o anexo do antigo prédio do Serviço Nacional de Impostos perto do Palácio Deoksugung, no centro de Seul, para marcar o 70º aniversário da libertação em agosto. O anexo, situado entre o palácio e o prédio do Conselho Metropolitano de Seul, foi construído pelos japoneses em 1937 em uma suposta tentativa de esconder o palácio da vista, disseram especialistas.

A Controvérsia Sobre O Patrimônio Arquitetônico Da Era Colonial Japonesa
Biblioteca metropolitana de seul. Foto: visiteseoul

No entanto, outros edifícios da era colonial japonesa ainda permanecem intactos em todo o país. Em Seul, esses edifícios incluem a Biblioteca Metropolitana de Seul, o Conselho Metropolitano de Seul e a Estação de Cultura de Seul 284.

‘Herança Difícil’

A Controvérsia Sobre O Patrimônio Arquitetônico Da Era Colonial Japonesa
Imagem: estação de cultura de seul 284 (문화역 서울 284 – visitkorea)

Os locais do patrimônio da era colonial são geralmente chamados de “herança negativa“. Alguns especialistas, entretanto, argumentam que esses termos não são apropriados porque enfatizam os lados negativos sem refletir sobre outras histórias sobre esses edifícios.

Também é importante ver como foram usados após a era colonial.

Memórias de peças de arquitetura mudam com o tempo”, disse Song Seok-ki, professor do Departamento de Arquitetura e Engenharia de Edifícios da Universidade Nacional de Kunsan. No caso do edifício do Governo Geral Japonês, o edifício foi usado como Edifício da Capital até o início dos anos 1980 e como Museu Nacional da Coreia nos anos 1980. O governo coreano fez uso do edifício por mais tempo do que o Japão imperial.

As memórias se sobrepõem ao longo do tempo, e não devemos definir o sentido da arquitetura, apenas arrancar uma certa memória, que pode ser lida como uma ação política. A questão não é tão simples quanto pode parecer”, disse.

Lee Hyun-kyung, pesquisador do Centro de Pesquisa em Artes, Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Cambridge, sugere o termo “herança difícil” em vez de “herança negativa ou sombria“, alertando que as memórias em relação às estruturas não devem ser confinado aos usos exploradores.

Não acho que nossas memórias da era colonial japonesa vão mudar por muitos anos. Mas precisamos entender as histórias acumuladas sobre o edifício em geral, embora um certo aspecto possa ser dominante”, disse Lee.

Por exemplo, o que agora é usado como edifício do Conselho Metropolitano de Seul, no centro de Seul, já foi um complexo cultural na era colonial japonesa, onde a propaganda do Japão Imperial era realizada. O prédio, anteriormente chamado de Keijo Public Hall, era conhecido como ‘Buminkwan’ em coreano.

A Controvérsia Sobre O Patrimônio Arquitetônico Da Era Colonial Japonesa
Imagem: conselho metropolitano de seul (the korea herald)

Buminkwan foi onde ocorreu o último protesto pela independência em julho de 1945, que é um momento significativo na história para nós. É por isso que não podemos simplesmente chamá-lo de herança negativa”, disse Lee.

A Controvérsia Sobre O Patrimônio Arquitetônico Da Era Colonial Japonesa
O prédio do salão de urbanismo e arquitetura de seul está localizado no local do anexo do antigo prédio do serviço nacional de impostos, que foi demolido em 2015. O prédio do conselho metropolitano de seul, anteriormente conhecido como keijo public hall, pode ser visto à direita. Foto: governo metropolitano de seul

Os especialistas, no entanto, apontam uma tendência crescente entre os jovens que visitam regiões onde se aglomeram casas de estilo japonês, como Gunsan, na província de Jeolla do Norte, para desfrutar do ambiente estrangeiro.

Gunsan foi usado como porta de entrada para o envio de arroz da Coreia para o Japão durante a era colonial, e muitos japoneses se estabeleceram em Gunsan.

Também devemos ser cautelosos quanto à apropriação comercial de uma história de partir o coração”, disse Song. “Os mais jovens visitam a cidade e tiram fotos em frente a casas de estilo japonês sem conhecer a história da cidade. Parece que alguma educação sobre os antecedentes da exploração da cidade pelo Japão precisa ser reforçada a nível governamental”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.