Kim Dong-jin, presidente da Hulbert Memorial Society, uma organização sem fins lucrativos em homenagem a Homer Hulbert (1867-1949), divulgou a cópia original de um artigo do New-York Tribune de 1889 escrito pelo influente educador sobre o Hangul, o alfabeto coreano, nessa segunda-feira.


Kim Dong-jin, Presidente da Hulbert Memorial Society. Foto: Korea Times.

Nascido nos EUA, Hulbert foi pela primeira vez para a Coreia como professor no Royal College, em 1886. Ele permaneceu no país até 1907, quando foi expulso por criticar o crescente controle do Japão e foi convidado a voltar em 1949, pouco antes de sua morte.

Ele é mais lembrado como um educador e por seu apoio ao movimento de independência da Coreia. Em 1950, o governo coreano concedeu-lhe postumamente a Ordem do Taegeuk.

Imagem: Homer B. Hulbert e um trecho do “Salminpilji” (The Korea Herald)

Hulbert fez muitas coisas para promover o Hangul durante sua vida. O artigo do New-York Tribune prova que ele promoveu o alfabeto coreano não apenas dentro, mas fora do país, e abriu a oportunidade para o Hangul se tornar popular na Coreia. Nós estamos divulgando essa cópia para que as pessoas saibam quem é Hulbert e o que ele fez pelo Hangul, disse Kim ao The Korea Times, na terça-feira.

A história do Hangul deve ser reescrita levando em conta sua contribuição.”

Imagem: New York Tribune de 1889 (The Korea Times)

Hulbert também escreveu “Saminpilji“, um livro didático de geografia escrito em Hangul, em 1891, e vários anos depois tornou-se um colaborador do primeiro jornal escrito em Hangul, o Tongnip Sinmun.

Criado em 1443 pelo Rei Sejong, o Hangul foi considerado inferior ao Hanja, o sistema de escrita chinês, até o século XX. Hulbert lembra que quando chegou à Coreia em 1886, ele não viu ninguém usando o Hangul e que as pessoas o desprezaram.

De acordo com o artigo, intitulado “A Língua Coreana“: “O alfabeto coreano é único pela simplicidade na construção de suas letras. As vogais são, com uma exceção, feitas por uma linha horizontal curta ou perpendicular, ou uma união dos dois. Assim, ‘ㅏ’ representa o som amplo de a, ㅗ o som amplo de o, ㅣ o som continental de i, ㅜ o som de u. Estes podem ser todos instantaneamente distinguidos e toda a dificuldade infinita em respeito à escrita ilegível é evitado”.

Imagem: Primeira edição do jornal Tongnip Sinmun (독립신문) em 1896 (Domínio Público)

Kim, que passou décadas colecionando memorabilias de Hulbert, obteve a cópia com seu neto.

O artigo original foi republicado em um pequeno livro que também trazia uma tradução para o coreano e opiniões de especialistas em Hangul.

Kim Seul-ong, presidente do Centro Sejong para Língua e Cultura Coreana, escreveu que Hulbert merece reconhecimento igual a Ju Si-kyeong (1876-1914), o estudioso ativista do Hangul mais conhecido da Coreia.

Hulbert é o segundo pai de Hangul. Ju foi um grande pesquisador e defensor, mas Hulbert prestou atenção ao Hangul e escreveu sobre seu valor antes de Ju. Hulbert foi a primeira pessoa a usar Hangul e defendê-lo depois do Rei Sejong … a história da língua coreana deve realmente ser reescrita”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.