Na imagem, a Base militar de Pearl Harbor-Hickam, no Havaí, os especialistas forenses da Coreia do Sul cobrem com sua bandeira nacional a caixa de restos de soldados da Guerra da Coreia, que devem voltar para casa dos Estados Unidos, para onde foram enviados da Coreia do Norte.

Os restos mortais de 147 soldados sul-coreanos que morreram durante a Guerra da Coreia retornaram para casa no dia 24 de junho para uma solene recepção.

Uma cerimônia especial para o regresso à casa foi marcada para o dia 25 à noite, como parte dos eventos que relembram o início da guerra em 25 de junho de 1950.

Os restos mantidos por quase dois anos na POW/MIA, uma agência do Departamento de Defesa dos Estados, estavam entre os levados para os EUA após trabalhos de escavação na Coreia do Norte entre 1990 e 1994, e após a primeira cúpula entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano Kim Jong-un em Cingapura em junho de 2018.

Através de duas análises forenses conjuntas, Seul e Washington identificaram os 147 restos mortais como sendo de sul-coreanos.

As autoridades sul-coreanas encontraram amostras de DNA que combinavam com sete deles, com o restante atualmente ainda em processo de identificação, segundo o Ministério da Defesa de Seul.

Fonte: Inquirer.net

Na cerimônia realizada dia 23 no Havaí, o almirante Phil Davidson, comandante do Comando Indo-Pacífico dos EUA, disse que o repatriamento tornou mais especial o 70º aniversário deste ano do rompimento do conflito inter-coreano.

Nós os honramos hoje como a personificação dos ideais de nossas nações, nossos aliados, aqueles de que lutaram como irmãos de armas para impedir a agressão, defender a soberania e proteger os direitos humanos individuais“, disse ele.

O comandante descreveu a “aliança de ferro” entre Seul e Washington como o “ponto crucial da paz e da segurança” e uma das mais bem-sucedidas do gênero na história moderna.

Em resposta, o vice-ministro da Defesa da Coreia do Sul, Park Jae-min, disse estar agradecido pela oportunidade de repatriar os restos mortais.

A Coreia do Sul e os Estados Unidos continuarão a cooperar para homenagear aqueles que fizeram sacrifícios duradouros em seu país“, disse ele, acrescentando que os restos de seis soldados americanos mortos na Guerra da Coreia também serão devolvidos durante a cerimônia desta semana em Seul.

O último repatriamento é o quarto deste tipo, com o grupo de peritos forenses de Seul e Washington tendo identificado e enviado 92 conjuntos de restos mortais de volta à Coreia, elevando o número total de soldados repatriados para 239.

O governo sul-coreano, desde 2000, tem escavado extensivamente locais de batalha e recentemente expandiu o projeto para cobrir Arrowhead Ridge, um local de ferozes batalhas que agora fica dentro da zona desmilitarizada.

Estima-se que 135.000 soldados continuem desaparecidos.

A cerimônia de boas-vindas do dia 25 de junho, foi realizada na Base Aérea de Seul, em Seongnam, sudeste de Seul, antes dos eventos do aniversário de guerra.

Os 22 chefes de Estado que participaram da guerra, incluindo o presidente dos EUA, Donald Trump, enviaram mensagens de felicitações que foram lidas em voz alta durante a cerimônia de regresso a casa.

As Ordens de Mérito Militar serão concedidas a 14 veteranos de guerra e suas famílias, com medalhas de agradecimento aos cerca de 84.000 veteranos de guerra ainda vivos.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.