Um sítio de escavação arqueológica dirigido pela Cultural Heritage Administration descobriu os restos mortais de duas pessoas enterradas debaixo das antigas paredes do Palácio Wolseong, sugerindo que durante o Reino Silla (57 a.c a 935 b.c) houve a prática de sacrifícios humanos.

Os restos de um homem de 1,66m de altura e uma pessoa de gênero não identificado de 1,59m de altura, foram encontrados debaixo das paredes à leste do Palácio Wolseong em Gyeongju, Província Norte de Gyeongsang, de acordo com o Gyeongju National Research Institute of Cultural Heritage.

Local da escavação no palácio de Wolseong em Gyeongju. Foto: The Korea Herald
Local da escavação no palácio de Wolseong em Gyeongju. Foto: The Korea Herald

As autoridades acreditam que as duas pessoas foram enterradas como sacrifícios humanos há cerca de 1500 anos. Se comprovada tal teoria, seria a primeira prova da veracidade da lenda de “Inju“– uma crença sobre a prática de enterrar pessoas nas fundações de pedra, na esperança de que a estrutura não desmoronasse com o tempo.

Já foi encontrado anteriormente o corpo de uma criança entre as relíquias do Reino Silla no Museu Nacional de Gyeongju, mas há controvérsias sobre o suposto sacrifício da criança” disse o chefe do GNRICH, Lee Jong-hun.

Mas os corpos exumados neste sítio podem, muito provavelmente, terem sido enterrados ali após um ritual,” adicionou Lee Jong-hun, dizendo que a lenda Inju pode vir a ser verdadeira.

Porém, Choi Byung-hyun, professor emérito de arqueologia da Soongsil University em Seoul, disse a mídia local que ainda é muito cedo para afirmar que sacrifícios humanos eram praticados durante o Reino Silla.

Ele ainda acrescentou, que a prática de construir paredes nos locais onde pessoas eram enterradas sugere que houve um grande esforço para construir Wolseong. Registros mostram que rumores sobre Inju ocorreram também em 1343, durante o Reino Goryeo.

A escavação arqueológica no fosso do Palácio Wolseong descobriu esculturas de argila, entre 5 a 10 cm de altura, no formato de pessoas com ornamentos persas, como roupas e turbantes. Acredita-se que as figuras também tenham sido enterradas no local há cerca de 1500 anos como oferendas.

Esculturas de argila, descobertas no sítio arqueológico de Wolseong. Foto: The Korea Herald.
Esculturas de argila, descobertas no sítio arqueológico de Wolseong. Foto: The Korea Herald.

Pesquisadores disseram que as figuras parecem ter o formato de Sogdian – pessoas da antiga civilização Iraniana – o que sugere que estas podem ser as figuras mais antigas já encontradas na Coreia.

Sete mokgan – peças de madeira utilizadas para registrar documentos antes da invenção do papel – foram encontradas no fosso. Representantes disseram que os documentos antigos oferecem evidências sobre quando o fosso foi utilizado durante o período Silla e como o governo central de Silla demandava a cooperação de pessoas influentes em outras regiões para recrutar trabalhadores de construção.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.