Imagem: Kim Il-sung

A Coreia do Norte é um país com uma população de cerca de 25 milhões de pessoas, localizado na metade norte da Península Coreana entre o Mar do Leste (Mar do Japão) e o Mar Amarelo.

Conhecida formalmente como República Popular Democrática da Coreia, ou RPDC, foi fundada em 1948, quando os Estados Unidos e a União Soviética dividiram o controle da península após a Segunda Guerra Mundial.

A Coreia do Norte é um estado comunista altamente secreto que permanece isolado de grande parte do resto do mundo. Nos últimos anos, o líder Kim Jong Un e seu programa nuclear têm representado uma ameaça crescente à estabilidade internacional.

PARALELO 38º

A História da Coreia do Norte [Semana Especial Coreia do Norte]
Imagem: Paralelo 38°N é uma linha imaginária que está a 38 graus ao norte da Linha do Equador (Revista KoreaIn)

Em 1910, o Japão anexou formalmente a Península Coreana, que ocupara cinco anos antes, após a Guerra Russo-Japonesa. Nos 35 anos seguintes de domínio colonial, o país se modernizou e industrializou significativamente, mas muitos coreanos sofreram uma repressão brutal nas mãos do regime militar japonês.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Japão enviou muitos homens coreanos para o front como soldados ou os forçou a trabalhar em fábricas durante a guerra, enquanto milhares de jovens coreanas se tornaram “mulheres de conforto”, ‘prestando serviços sexuais aos soldados japoneses’.

Após a derrota do Japão em 1945, os Estados Unidos e a União Soviética dividiram a península em duas zonas de influência ao longo do paralelo 38, ou 38 graus de latitude norte. Em 1948, a parte apoiada pelos EUA, se tornou a República da Coreia (Coreia do Sul) estabelecida em Seul e liderada pelo fortemente anticomunista Syngman Rhee.

A História da Coreia do Norte [Semana Especial Coreia do Norte]
Imagem: Conhecido como “um gigante de um país pequeno”, Syngman Rhee tornou-se um líder na formação anticomunista da Ásia (One Korea Network)

No centro industrial do norte de Pyongyang, os soviéticos instalaram o jovem e dinâmico guerrilheiro comunista Kim Il Sung, que se tornou o primeiro premier da RPDC.

A GUERRA DA COREIA

Com os dois líderes reivindicando jurisdição sobre toda a Península Coreana, as tensões logo chegaram a um ponto de ruptura. Em 1950, com o apoio da União Soviética e da China, as forças norte-coreanas invadiram a Coreia do Sul, dando início à Guerra da Coreia.

A História da Coreia do Norte [Semana Especial Coreia do Norte]
Imagem: Tropas sul-coreanas em deslocamento em agosto de 1953 (Brasil Escola)

Os Estados Unidos ajudaram o Sul, liderando um exército de cerca de 340.000 soldados das Nações Unidas na oposição à invasão. Após três anos de combates acirrados e mais de 2,5 milhões de baixas militares e civis, ambos os lados assinaram um armistício de cessar fogo na Guerra da Coreia em julho de 1953.

O acordo deixou as fronteiras da Coreia do Norte e do Sul essencialmente inalteradas, com uma zona desmilitarizada fortemente protegida com cerca de 2,5 milhas de largura correndo aproximadamente ao longo do paralelo 38. Um tratado formal de paz, no entanto, nunca foi assinado.

KIM IL SUNG

Após a Guerra da Coreia, Kim Il Sung moldou seu país de acordo com a ideologia nacionalista de “Juche” (autossuficiência). O estado assumiu um controle rígido sobre a economia, coletivizou terras agrícolas e efetivamente afirmou a propriedade de toda a propriedade privada.

A História da Coreia do Norte [Semana Especial Coreia do Norte]
Imagem: Kim Il-sung (cc)

A mídia controlada pelo Estado e as restrições a todas as viagens para dentro ou para fora do país ajudaram a preservar o véu de sigilo em torno das operações políticas e econômicas da Coreia do Norte e a manter seu isolamento da maior parte da comunidade internacional. A população do país permaneceria quase inteiramente coreana, exceto por um pequeno número de transplantes chineses.

Graças ao investimento em mineração, produção de aço e outras indústrias pesadas, a economia civil e militar da Coreia do Norte inicialmente ultrapassou sua rival do sul.

Com o apoio soviético, Kim transformou suas forças armadas em uma das mais fortes do mundo, mesmo com muitos civis comuns ficando mais pobres. Na década de 1980, no entanto, a economia da Coreia do Sul prosperou, enquanto o crescimento no norte estagnou.

KIM JONG-IL

A História da Coreia do Norte [Semana Especial Coreia do Norte]
Imagem: Kim Jong-il (The New York Times)

A dissolução da União Soviética e do bloco oriental prejudicou a economia da Coreia do Norte e deixou o regime de Kim com a China como seu único aliado remanescente. Em 1994, Kim Il Sung morreu de ataque cardíaco e foi sucedido por seu filho, Kim Jong Il.

O novo líder instituiu uma nova política de “Songun Chong’chi”, ou militar primeiro, estabelecendo o Exército do Povo Coreano como a principal força política e econômica do país. A nova ênfase ampliou as desigualdades existentes entre as classes militares e de elite e a vasta maioria dos cidadãos norte-coreanos comuns.

Ao longo da década de 1990, inundações generalizadas, políticas agrícolas inadequadas e má gestão econômica levaram a um período de fome prolongada, com centenas de milhares de pessoas morrendo de fome e muitas outras incapacitadas pela desnutrição. O surgimento de um mercado negro robusto para atender a essa escassez forçaria o governo a tomar medidas para liberalizar a economia estatal.

GUERRA COM A COREIA DO NORTE?

Ao longo de 2017, as tensões entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos atingiram um nível sem precedentes.

A Coreia do Norte lançou seu primeiro míssil balístico intercontinental com força para atingir o continente dos Estados Unidos, ameaçou lançar mísseis perto do território norte-americano de Guam e testou uma bomba sete vezes o tamanho das lançadas em Hiroshima e Nagasaki.

Tais ações levaram a sanções ainda mais duras por parte do Conselho de Segurança da ONU e uma resposta agressiva do presidente dos EUA, Donald Trump, deixando a comunidade global temendo a possibilidade de uma guerra nuclear.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

1 × dois =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.