No último post da nossa coluna, o Charles falou sobre o Almirante Yi que teve uma importante participação na Guerra Imjin. Então, que tal hoje nós falarmos um pouco sobre uma mulher que participou da mesma guerra, e cujas ações são vistas – até os dias atuais – como um exemplo de patriotismo para os coreanos? Lhes apresentamos, Ju Non-gae.

Fonte: Google
Fonte: google

Ju Non-gae, mais conhecida como Non-gae, é considerada um dos maiores exemplos de amor à pátria, tendo status heroína até os dias atuais. Ela nasceu em Janggye-myeon, em setembro de 1975. Non-gae não teve a presença do pai em sua vida e, como outras várias meninas da época, foi lhe arranjado um casamento.

Porém, sem aceitar esse casamento, ela e sua mãe – que também era contra esse destino – resolveram fugir. Porém, ambas foram presas em Jinju (atualmente Província de Gyeongsang, Coreia do Sul), onde ela conheceu o homem pelo qual veio a se apaixonar: Choe Kyun-heo.

O juiz Choe fez de tudo para conseguir que Non-gae fosse libertada e, por fim, Non-gae acabou mudando-se para a casa dele. Em 1953, 200 mil japoneses tentaram invadir a península coreana pela sua costa ao sudeste, porém 3 mil coreanos conseguiram defender a região. A milícia liderada por Choe resistiu por um ano até a captura total da fortaleza de Jinju, onde todos os soldados, incluindo Choe, foram mortos. Esses conflitos duraram anos e são conhecidos como a Guerra Imjin.

Non-gae, então, iniciou o seu plano para se vingar dos japoneses. Aos 19 anos ela, voluntariamente, se registrou como uma kisaeng e com esse disfarce, entrou na festa que os japoneses estavam dando para comemorar a vitória. Non-gae, então, se aproximou do general Keyamura Rokuske e o seduziu até a beira do precipício, o abraçou com força e se jogou na água, matando a ambos.

Desde esse dia, o sacrifício de Non-gae é lembrado e honrado pela população coreana. O Festival Non-gae é realizado todo ano, em maio, na fortaleza de Jinju. Perto de Chokseongnu, também existe um santuário dedicado a ela. Non-gae é colocada, até os dias atuais, como um exemplo de patriotismo e auto sacrifício para todos os coreanos.

O ponto alto do festival em sua homenagem, é a dramática encenação noturna do evento histórico. Essa encenação corre com bailarinas com trajes da época e música tradicional coreana, ao final, fogos de artifícios iluminam o céu.

Fonte: Everyday Korea
Fonte: everyday korea

Desde a década de 1950, a história de Non-gae tem sido retratada em diversos filmes, dramas de tv, livros e manhwas. O primeiro filme conhecido é de 1956 e se chama “Non-gae”. Em 1973 foi lançado um novo filme chamado “Non-gae, the Kisaeng”. Em 2007 um novo filme foi lançado, chamado de “Resurrection of the Butterfly”, ou “Keurimja” em coreano.

Local De Nascimento De Non-Gae. Fonte: Visitkorea
Local de nascimento de non-gae. Fonte: visitkorea

O seu local de nascimento também se tornou um ponto turístico e você pode ter mais informações de como visita-lo acessando aqui.

Caso você queira saber um pouco mais sobre o que é uma kisaeng, temos um post sobre uma das mais famosas kisaeng, a Hwang Jini.

Até a próxima!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.