O líder da Coréia do Norte, Kim Jong-un, convidou o presidente sul-coreano Moon Jae-in para Pyongyang para uma cúpula histórica, uma oferta a qual Moon respondeu positivamente, de acordo com informações vindas da sede do governo, no sábado.

Presidente Moon Jae-in, na esquerda, conversa com Kim Yo-jong, na direita, a irmã mais nova do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, enquanto caminham para a reunião na Blue house. Kim Yong-nam, Chefe de Estado nominal é visto no meio. (Via: YONHAP)
Presidente Moon Jae-in, na esquerda, conversa com Kim Yo-jong, na direita, a irmã mais nova do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, enquanto caminham para a reunião na Blue house. Kim Yong-nam, Chefe de Estado nominal é visto no meio. (Via: YONHAP)

Kim Yo-jong, a irmã do líder norte-coreano, entregou a carta de Kim Jong-un e um convite verbal para Moon em nome de seu irmão durante uma reunião de três horas na residência presidencial em Seul no sábado.

Estou disposto a reunir-me com o presidente Moon futuramente“, disse Kim Yo-jong citando Kim Jong-un, de acordo com o porta-voz presidencial Kim Eui-kyeom. “Convido-o a visitar a Coreia do Norte o mais cedo possível“.

De acordo com o porta-voz, Moon respondeu: “Vamos criar as condições e manter a reunião“. O presidente sul-coreano se encontrou com uma delegação de norte-coreanos que estavam no país para os Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang.

Eles discutiram diversas questões relativas às relações inter-coreanas em um clima amigável, de acordo com a sede do governo. Moon, em particular, fez um forte esforço para o diálogo direto entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos.

Por causa do avanço das relações entre as duas Coreias, é imperativo que o Norte e os Estados Unidos conversem em breve“, afirmou Moon, citado por seu porta-voz.

Os dois lados concordaram que devem manter um clima de reconciliação na península após as Olimpíadas de Inverno e revigorar as negociações e os intercâmbios cooperativos entre as duas Coreias.

Um assessor presidencial sênior disse que a resposta de Moon foi uma aceitação de facto ao convite, acrescentando que o presidente está entusiasmado por ter uma reunião inter-coreana nos primeiros dias de sua presidência para manter o impulso de melhorar as relações.

As duas Coreias apenas realizaram duas cúpulas – uma em 2000 e outra em 2007, ambas sob administrações liberais. Moon também é liberal. Perguntado se as conversas diretas entre o Norte e os Estados Unidos são as “condições” que Moon citou para a reunião, o funcionário disse que a questão de Pyongyang-Washington é um fator importante para melhorar os laços inter-coreanos. “Os dois eixos devem girar juntos para fazer as rodas se moverem“, disse ele.

De acordo com o assessor, Moon não mencionou diretamente o programa de armas nucleares do Norte durante a reunião no sábado. A especulação era alta que Kim Jong-un proporia uma cúpula inter-coreana quando enviasse sua irmã para se juntar à delegação olímpica do Norte. Moon já disse em janeiro que estava aberto a uma reunião com o líder norte-coreano – se as condições fossem apropriadas e se a cúpula garantisse um resultado.

O convite do Norte ocorre quando os Estados Unidos estão aumentando a pressão sobre o regime recluso para força-lo a desistir do seu programa de armas. Washington deixou claro que não terá contato com Pyongyang, a menos que embarque em uma desnuclearização substancial.

Em uma demonstração de desafio, o vice-presidente dos EUA Mike Pence participou da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno na sexta-feira e permaneceu sentado quando a equipe conjunta coreana entrou no estádio.

O presidente Moon tentou negociar conversas diretas entre Pyongyang e Washington, organizando um encontro presencial entre os chefes das delegações norte-coreanas e norte-americanas à margem dos Jogos Olímpicos de Inverno, mas sua tentativa falhou na quinta-feira quando Pence faltou um jantar presidencial que incluiu o delegado norte-coreano.

Kim Yo-jong é o primeiro membro imediato da família Kim a visitar a Coreia do Sul desde a Guerra da Coréia (1950-53). Sua visita à sede do governo sul coreano também foi a primeira em mais de oito anos por um oficial sênior da Coreia do Norte.

Em agosto de 2009, o Norte enviou uma delegação liderada pelo Secretário do Partido dos Trabalhadores, Kim Ki-nam, para oferecer suas condolências ao ex-presidente Kim Dae-jung, que faleceu naquele mês e organizou a primeira cúpula inter-coreana.

A delegação mais recente foi liderada por Kim Yong-nam, presidente do Presidium da Assembleia Popular Suprema, que o torna o chefe de Estado técnico. Choe Hwi, presidente do Comitê Nacional de Orientação Esportiva, e Ri Son-gwon, presidente do Comitê da Reunificação Pacífica do Norte, também foram delegados.

O encontro entre a delegação norte-coreana e o presidente Moon começou às 11h10. Após as conversas, a delegação assinou um livro de visitas e participou de um almoço presidencial. Todo o evento na sede do governo demorou cerca de três horas.

Moon foi acompanhado por Suh Hoon, diretor do Serviço Nacional de Inteligência; Cho Myoung-gyon, ministro da unificação que lida com assuntos inter-coreanos; Im Jong-seok, chefe de gabinete de Moon; e Chung Eui-yong, chefe do Escritório Nacional de Segurança.

Kim Yo-jong carregou uma pasta de arquivos azul com o emblema oficial norte-coreano em relevo dourado, alimentando a especulação sobre seus conteúdos. Ela colocou a pasta na mesa em sua frente antes do início da reunião.

Uma análise das fotos da reunião mostrou que o emblema era o símbolo oficial do estado da Coreia do Norte. O design, criado em 1948, inclui uma estrela vermelha, o símbolo do Partido dos Trabalhadores e o Monte Paektu, o pico mais alto da Península da Coreia e um elemento significativo da mitologia da família Kim.

O arquivo era uma indicação de que Kim Jong-un estava enviando uma mensagem não como presidente do Partido dos Trabalhadores, mas usando seu título como mais novo presidente da Comissão de Assuntos Estaduais. Em 2016, ele criou a nova agência e substituiu a Comissão de Defesa Nacional, o escritório mais poderoso sob seu falecido pai, Kim Jong-il.

Quando Kim Jong-il realizou a primeira cúpula inter-coreana em 2000, ele usou o título de presidente da Comissão de Defesa Nacional.

Todos os membros da delegação norte-coreana estavam usando os broches de lapela do retrato duplo dos líderes anteriores e já falecidos, do norte, o fundador Kim Il Sung e sei filho Kim Jong-il.

Ao chegarem à sede do governo, a delegação foi recebida por Im, o chefe de gabinete, fora do prédio principal, e receberam os cumprimentos do Presidente Moon no lobby.

Durante a visita da delegação norte-coreana, Kim Song-hye, funcionário sênior do Departamento de Propaganda e Eventos do Partido dos Trabalhadores, ajudou Kim Yo-jong o tempo todo. Kim Song-hye participou de inúmeras negociações entre as duas Coreias.

Moon e Kim Yong-nam assistiram a partida da equipe de hóquei de gelo feminino inter-coreano contra a Suíça. O presidente do Comitê Olímpico Internacional Thomas Bach e o par presidencial da Suíça também estiveram presentes.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.