O drama sul-coreano Snowdrop com apenas 2 episódios lançados foi pego por uma imensa reação negativa. Em particular, a escritora, Yoo Hyun Mi, está sendo criticada por sua suposta escolha de inspiração para seus personagens.

Snowdrop - Novo drama coreano enfrenta controvérsias por se inspirar em tragédias históricas
A escritora Yoo Hyun Mi. Foto: SK Pop

Embora a própria escritora não tenha confirmado nenhuma inspiração baseada em personagens da vida real, os espectadores estabeleceram uma conexão entre o pai do protagonista masculino e o músico e compositor gênio sul-coreano Yun Isang. No episódio 2, foi explicado que o pai de Im Soo Ho (o protagonista masculino) era um músico famoso e ganhador de medalhas em Berlim que enfrentou opressão e não pôde retornar à Coreia. Soo Ho, que cresceu na Alemanha, voltou para a Coreia do Sul sozinho quando adulto.

Na vida real, Yun Isang ganhou a medalha Goethe e vários outros prêmios musicais, mas foi proibido de voltar à Coreia do Sul. Devido ao banimento, Yun Isang teve que viajar de ida e volta entre a Coreia do Norte e a Alemanha. Embora ele tivesse se estabelecido com sua família em Berlim, ele foi falsamente acusado de espionagem e foi sequestrado pelo serviço secreto sul-coreano em 1967. Este foi um período em que muitos estudantes coreano-alemães foram falsamente acusados de serem espiões também. Yun Isang foi torturado e forçado a confessar e acabou preso. Muitos artistas assinaram uma petição em todo o mundo para sua libertação. A partir de 1973, ele participou da convocação para a democratização da Coreia do Sul.

Internautas afirmam que a história de Yun Isang soa muito como uma inspiração para o personagem fictício – pai de Im Soo Ho.

Snowdrop - Novo drama coreano enfrenta controvérsias por se inspirar em tragédias históricas
Foto: Yun Isang. About Isang Yun.

Esta não é a primeira vez que a escritora Yoo Hyun Mi é criticada por sua escolha de configuração de personagem. Anteriormente, ela já havia enfrentado críticas por nomear sua protagonista feminina, Young Cho. Young Cho não é de forma alguma um nome feminino comum na Coreia do Sul, mesmo na era em que Snowdrop se instalou.

No entanto, o nome é bem conhecido por ser de uma figura histórica durante a era dos Movimentos Democráticos na Coreia do Sul. Quer tenha sido uma coincidência ou intencionalmente, os internautas sul-coreanos não aceitaram isso porque Young Cho era uma pessoa real que lutou muito pelo movimento democrático. O marido da jovem Cho também era um participante do movimento e foi torturado até a morte sob falsas acusações de espionagem. Ironicamente, em Snowdrop, Im Soo Ho é um espião real e se esconde sob o pretexto de ser um estudante protestante que apoia o movimento democrático. Portanto, os internautas sul-coreanos pensaram que era “cruel e imoral” ter um dos personagens de Snowdrop representados pelo nome de Young Cho. Eventualmente, o nome da protagonista feminina foi alterado para Young Ro.

Snowdrop - Novo drama coreano enfrenta controvérsias por se inspirar em tragédias históricas
A verdadeira Chun Young Cho não era apenas uma estudante conhecida que sobreviveu a questionamentos e torturas na infame Agência Nacional de Polícia de Namyeong-dong, que era conhecida por abrigar a “câmara de tortura mais perfeitamente escondida” da época, mas também seu marido, Jung Moon Hwa, foi capturado e enquadrado como um “espião e conspirador do governo” durante o movimento pela democracia. Após sua prisão, Jung Moon Hwa morreu jovem devido à desnutrição. Young Cho mudou-se para o Canadá e posteriormente retornou à Coreia onde vive hoje, porém, muito debilitada devido a um acidente. Foto: AllKpop

A reação dos internautas é cada vez mais negativa. Eles estão chamando as coincidências de muito estranhas e acusaram a escritora de usar especificamente figuras da vida real que foram falsamente torturadas como espiões para seu drama, que envolve espiões reais mascarados de apoiadores do partido democrático.

Os sul-coreanos também descobriram que a própria escritora frequentou a Ewha Women’s University e foi professora titular em Gwangju. Isso foi uma decepção para muitos, pois muitos protestos estudantis pelo movimento democrático ocorreram naqueles mesmo campus, sendo as únicas universidades femininas na Coreia do Sul naquela época. Muitos sul-coreanos traçaram paralelos entre a Hosu Women’s University no drama e a Ewha University como inspiração. Da mesma forma, Gwangju foi onde ocorreu um dos mais horríveis massacres contra os partidários do movimento democrático. Os links de Yoo Hyun Mi para ambos os lugares foram severamente criticados, pois não havia como ela saber da profundidade dos incidentes que ocorreram.

Todos os olhos estão voltados para os próximos episódios do drama agora, para ver como a história irá se desenrolar.

Disclaimer

As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.